Legado? Conheça 4 Complexos Olímpicos abandonados pelo mundo

Símbolo maior das Olimpíadas, os Complexos são construídos para receberem os atletas durante a competição e serem usados pela população local após o final do evento, mas em alguns casos eles foram totalmente abandonados depois dos Jogos

  
  
Após 80 anos dos Jogos Olímpicos de Berlim, as construções estão totalmente abandonadas e se transformaram num enorme elefante branco para o governo alemão

Há pouco menos de cinco meses para o início dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, a grande dúvida é sobre o legado do mais importante evento esportivo do mundo. Com um investimento estimado em R$ 39,1 bilhões, os Jogos deixarão como principal marca o Complexo Olímpico e suas modernas instalações. Assim como o Brasil, outros países já sediaram o evento, mas em alguns casos o grande símbolo das Olimpíadas se transformou num enorme elefante branco para o poder público.

Cidades como Berlim, Sarajevo e Atenas, símbolo maior dos Jogos Olímpicos, são exemplos de locais que o grande legado das Olimpíadas ficou apenas no papel. O caso mais simbólico de abandono ocorreu na Vila dos Jogos de Inverno de 2014, em Sochi, que menos de dois meses após o seu término já havia se transformado numa cidade fantasma. Última sede Olímpica, a cidade russa não resistiu a crise política e econômica da região.

Jogos Olímpicos de Berlim (1936)

O colossal ginásio que recebeu as partidas de basquete das Olimpíadas de 1936 está totalmente abandonado
Hoje em ruínas, há 80 anos os alojamentos da Vila Olímpica abrigaram os melhores atletas da época

Sede dos Jogos Olímpicos de 1936, a capital alemã recebeu o maior evento esportivo do mundo numa das épocas mais controvérsias da história mundial. O anfitrião do evento foi Adolf Hitler, então chanceler do país, e visava utilizá-lo para mostrar ao mundo a superioridade da raça ariana e da Alemanha. Ao final da competição, que aconteceu entre os dias 1º e 16 de agosto, o Führer teve que aceitar que o maior medalhista da mais importante modalidade olímpica, o atletismo, foi o velocista afroamericano Jesse Owens, com quatro medalhas de ouro.

Se os jogos foram conturbados, as imponentes construções do Complexo Olímpico, erguido em Berlim, atingiram seu objetivo de mostrar uma nova Alemanha ao mundo, já recuperada após ser destruída durante a 1ª Guerra Mundial. O problema é que depois de 80 anos do histórico evento, as construções estão totalmente abandonadas e se transformaram num enorme elefante branco para o governo alemão. Recentemente, após fotos do local circularem pela internet, os escombros da antiga Vila se transformaram num sombrio 'ponto turístico'.

Jogos Olímpicos de Sarajevo (1984)

Atualmente, a pista de bobsleigh foi cercada pela vegetação local
Parcialmente desabado nos dias atuais, há três décadas o local serviu como pista de esqui para os Jogos Olímpicos

Após 32 anos da atual capital da Bósnia-Herzegovina ter sediado os Jogos Olímpicos, o Complexo que recepcionou os 1,2 mil atletas de 49 países, em Sarajevo, está totalmente abandonado. Tomada pela vegetação que engoliu as principais instalações olímpicas, a construção foi considerada a mais moderna em sua época para a prática de 'esportes de inverno'.

Entre os setores totalmente abandonados estão as pistas que no passado receberam os melhores atletas mundiais de bobsleigh e esqui. O cenário, que remonta a uma cidade fantasma, está completamente esquecido desde a realização dos Jogos e com a ação do tempo e de vândalos, terminou de se deteriorar. Atualmente, a pista de esqui está parcialmente desabada e a pista de bobsleigh foi engolida pela vegetação local.

Jogos Olímpicos de Atenas (2004)

Abandonada desde o final dos Jogos, a Vila de Atenas está na lista das mais caras construções da história olímpica
A dívida gerada pelo alto valor gasto nas instalações olímpicas foi uma das responsáveis pela crise grega

Após 108 anos dos primeiros Jogos Olímpicos da Era Moderna, o evento retornou a sua terra natal, na cidade de Atenas. Símbolo da então moderna e promissora Grécia, as Olimpíadas de 2004 são 'acusadas' de serem uma das responsáveis pela crise que arruína o país desde 2010.

Considerada até sua realização a mais cara de todas as Olimpíadas, Atenas não soube aproveitar o tão famoso legado do evento e abandonou a maior parte das bilionárias construções. Espelhos d'água destruídos, construções deterioradas, ruas esburacadas e um estádio de beisebol tomado por uma 'pequena floresta', assim ficou o Complexo Olímpico de Atenas após 12 anos do evento que visava consagrar o país para a União Europeia.

Jogos Olímpicos de Sochi (2014)

Trechos da Vila Olímpica foram tomados pela lama e sujeira
A Cidade construída para recepcionar os atletas foi abandonada depois de dois meses do término dos Jogos de Inverno
A Vila Olímpica se transformou numa cidade fantasma, sem habitantes e totalmente esquecida pelo poder público

Última sede dos Jogos Olímpicos, a edição na cidade russa de Sochi foi a mais cara de todas até o momento e teve um custo quatro vezes maior que a Copa do Mundo no Brasil, no mesmo ano. O investimento russo foi de R$ 121 bilhões contra R$ 27,1 bilhões do evento brasileiro. Os valores não seriam tão assustadores se após dois meses depois do término dos Jogos, toda a Vila não fosse abandonada pelo governo russo e ainda sofresse com a crise econômica que atingiu a região devido a guerra na Crimeia, próxima a Sochi.

A cidade se tornou um símbolo do desperdício de dinheiro público com um investimento bilionário e um retorno quase nulo após as Olimpíadas. Prédios, ainda inteiros, mas totalmente vazios contrastam com áreas tomadas pela lama e sujeira que mostram uma cidade fantasma. Poucos locais da Vila Olímpica, entre eles alguns restaurantes e pequenas lojas, ainda recebem turistas e curiosos em conhecerem o 'legado' dos Jogos de Inverno de 2014.

  
  

Publicado por em