Há 55 anos o primeiro brasileiro era laureado com o Prêmio Nobel de Medicina

Após o anúncio oficial dos ganhadores do Nobel de 2015, o Brasil ficou mais uma vez fora da lista dos laureados. O que muitos não sabem é que um brasileiro foi agraciado com o prêmio em 1960, mas por questões burocráticas

  
  
Nascido em Petrópolis, mais exatamente na Cidade Imperial como consta em seu registro de nascimento, em 28 de fevereiro de 1915, Peter Brian Medawar morou no Brasil até seus 13 anos de idade

Todos os anos durante o período de anúncio dos agraciados pelo Nobel, os brasileiros esperam que a medalha venha pela primeira vez para solo nacional. Em alguns casos, o Brasil quase trouxe a conquista na bagagem, mas 'bateu na trave'. O que muitos não sabem é que em 1960, esta escrita foi quebrada, mas por questões “burocráticas” a premiação nunca constou no ranking do Brasil.

Nascido em Petrópolis, mais exatamente na Cidade Imperial como consta em seu registro de nascimento, em 28 de fevereiro de 1915, Peter Brian Medawar morou no Brasil até seus 13 anos de idade, quando rumou à Inglaterra para cursar o segundo grau (equivalente ao atual Ensino Médio). Em terras estrangeiras, o brasileiro, que também possuía cidadania inglesa desde seu nascimento, se destacou estudando biologia e zoologia no conceituado Marlborough College. A partir daí, sua carreira foi marcada por diversas conquistas, entre eles o título de 'sir', dado pela Rainha Elizabeth, em 1965.

Em 1960, veio a mais importante de todas as conquistas, após o reconhecimento do seu trabalho, em conjunto com o australiano Frank Burnet, pela descoberta sobre a "tolerância imunológica adquirida" com a invenção do soro antilinfocitário. O Nobel de Medicina daquele ano premiou o trabalho que possibilitou a criação de uma metodologia para a não rejeição do novo tecido durante um transplante de órgãos. Em 1962, ocorreu o primeiro bem sucedido transplante de órgãos entre um doador morto e um paciente vivo. Baseado no método Medawar e Burnet, os médicos transplantaram um rim e o paciente ganhou uma sobrevida de 21 meses. Após as descobertas foi possível popularizar os transplantes de órgãos que ajudam até os dias atuais a salvar milhões de vidas.

Inglês ou brasileiro?
Ao nascer, Peter Brian Medawar foi registrado num cartório de Petrópolis, mas também na embaixada do Reino Unido, como cidadão inglês. Em 1913, sua família havia vindo da Inglaterra rumo ao Brasil para instalar uma filial da "Óptica Inglesa" e permaneceu no país por mais de uma década até retornar ao Velho Continente. Quando o jovem Medawar decidiu ir à Inglaterra estudar, ele ainda possuía nacionalidade brasileira, mas ao completar sua maioridade foi convocado a retornar ao Brasil para se alistar ao serviço militar obrigatório. Naquela época, ele não quis abdicar dos estudos para vir ao país e tentou junto ao seu padrinho, o Ministro da Aeronáutica, Salgado Filho, obter a liberação do alistamento militar, porém foram recusados. Após isso, sua nacionalidade brasileira foi 'apagada' e o país 'perdeu', oficialmente, um dos maiores cientistas de sua época.

Retorno ao Brasil
Pouco mais de um ano após ser laureado com o Nobel, Medawar retornou ao Brasil para receber o título de Doutor Honoris Causa pela atual Universidade Federal do Rio de Janeiro, além de rever parte da família e amigos de infância. Naquela época, a imprensa brasileira não deu destaque à ilustre visita, mas ainda assim ele realizou palestras no Instituto de Biofísica da Universidade do Brasil e na Academia Brasileira de Ciências. Durante a estadia, ele afirmou que o retorno ao Brasil foi uma das suas maiores emoções e ainda comentou sobre sua paixão por um bom prato de arroz, feijão e farofa.

  
  

Publicado por em