Há 70 anos acontecia o maior ataque de tubarões da história

O naufrágio de um navio durante a 2ª Guerra Mundial, que retornava da entrega dos componentes da bomba atômica, resultou numa tragédia sem precedentes. As águas do Pacífico, infestadas por tubarões, foram mortais para mais de uma centena de vítimas

  
  
Ao todo, foram resgatados 317 marinheiros com vida dos 900 que foram lançados ao mar após o naufrágio

O ano de 1945 marcou o final da 2ª Guerra Mundial, mas também foi neste fatídico ano que ocorreu o maior ataque de tubarões da história. Citado macabramente durante o megasucesso "Tubarão", de Steven Spielberg, o episódio também possui outros filmes que contam sobre o ocorrido e em breve ganhará um novo longametragem, estrelado por Nicolas Cage. Considerado um dos maiores traumas de uma geração que assistiu aos horrores da guerra, o brutal massacre acabou com mais de uma centena de vidas de marinheiros que foram devorados por tubarões, no Pacífico.

Mais mortal de todos os ataques registrados na história, o caso ocorreu após uma batalha naval entre o cruzador norte-americano, USS Indianapolis, e o submarino japonês I-58. O navio retornava de uma entrega supersecreta, na ilha de Tinian, de componentes da bomba atômica e acabou sendo bombardeado na madrugada de 30 de julho. O primeiro torpedo atingiu um tanque da embarcação, que tinha cerca de 3,5 mil litros de combustível de aviação, e causou danos irreparáveis ao navio. Na sequência, um segundo míssil acertou o paiol de munições causando seguidas explosões que fizeram o navio afundar em menos de 12 minutos e matando cerca de 300 marinheiros, dos 1.196 homens que estavam a bordo. Após o naufrágio, acreditava-se que o pior já havia passado, mas o massacre estava apenas começando.

Ao todo, cerca de 900 pessoas conseguiram se salvar do bombardeio, mas devido a falta de botes salva-vidas ficaram na água aguardando o resgate. O grande problema é que a região onde ocorreu o naufrágio, no Oceano Pacífico, é conhecida pela alta incidência de tubarões, em especial o galha-branca-oceânico, que é considerada uma das mais agressivas espécies do mundo. Se a grande concentração do animal já seria um problema, fatores como o barulho das explosões e o sangue dos feridos na água contribuíram ainda mais para atrair à região um número maior de tubarões. Poucos minutos após o naufrágio começaram os primeiros ataques, que aumentou o pânico dos marinheiros à deriva, além da quantidade de sangue na água.

Mais mortal de todos os ataques registrados na história, o caso ocorreu após o naufrágio do USS Indianapolis

Inicialmente, os tubarões visavam as pessoas feridas ou mortas, mas com o passar do tempo começaram a optar também pelos marinheiros que estavam vivos. Numa reação de defesa, os sobreviventes se uniram abraçados em grupos que continham até 300 pessoas para se defenderem das violentas ofensivas. A estratégia trouxe ainda mais pânico, pois as vítimas passaram a assistir aos brutais ataques, literalmente, ao seu lado. Em uma ação desesperada, os marinheiros afastaram dos grupos todos os colegas feridos, numa tentativa frustrada de criar uma 'zona de proteção'. Em outro momento de desespero extremo, um grupo abriu algumas latas de carne em conserva para comer, mas o pouco que caiu na água foi o suficiente para atrair um cardume de tubarões ao local. Até o resgate pela Força Aérea dos Estados Unidos, os náufragos ficaram mais de 96 horas perdidos no meio do Pacífico.

A tragédia que resultou na morte de mais de uma centena de pessoas devoradas por tubarões poderia ter sido evitada, pois os norte-americanos haviam interceptado mensagens japonesas que avisavam sobre o naufrágio de um navio de guerra na área, mas os militares acreditavam ser uma 'isca' para atrair embarcações Aliadas a uma emboscada.

Ao todo, foram resgatados 317 marinheiros com vida dos 900 que foram lançados ao mar após o naufrágio. Calcula-se que aproximadamente 150 pessoas perderam suas vidas devido aos ataques de tubarões e outras 430 morreram por desidratação ou fome, ao longo dos quatro dias que ficaram à deriva. O fato ficou conhecido como o maior ataque de tubarões, já registrado, da história.

Sobreviventes do naufrágio e dos ataques de tubarões sendo resgatados, na Ilha de Guam
  
  

Publicado por em