Primeiro atentado terrorista aconteceu há 1,9 mil anos

O primeiro caso registrado ocorreu entre os séculos I e II a.C, na região de Israel. O estopim para o atentado foi uma invasão do Império Romano ao Oriente Médio. Já o termo terrorismo surgiu durante a Revolução Francesa, no século XVIII

  
  
Os ataques terroristas voltaram a ganhar grande destaque na mídia mundial após o 11 de setembro, mas eles já são registrados na história há milênios

Em poucos dias mais de 100 pessoas morreram e outras 450 ficaram feridas em dois ataques terroristas, mas estas ações extremistas não são nenhuma novidade na história mundial. Tão antigos quanto a própria humanidade, os primeiros ataques terroristas foram registrados, oficialmente, entre os séculos I e II a.C., no Oriente Médio, onde fica o atual estado de Israel. A localidade, que ainda hoje é um constante foco de grupos terroristas, registrou pela primeira vez um ataque do gênero. O fato ocorreu durante uma ocupação romana na região, que visava integrar a área ao vasto império dos Césares.

Os judeus contrários a invasão começaram a realizar ataques terroristas contra alvos específicos, em especial membros do alto escalão do governo invasor, além de cidadãos hebreus que se posicionavam a favor do domínio romano. Os assassinatos realizados pelos radicais eram praticados com um punhal e focavam apenas seus 'inimigos', nunca atingindo pessoas 'inocentes' na visão deles. Oficialmente registrado, o primeiro ataque terrorista ocorreu contra um hebreu que se dizia a favor da intervenção romana na área. Devido as dificuldades de registro que existiam na época, pouco se sabe sobre a vítima e quem o atacou.

Passados mais de 10 séculos desde os primeiros atentados, o mundo voltou a registrar outros violentos ataques terroristas. A disputa, que envolvia política e religião, transformou a Palestina Síria e o Egito, em inimigos. Liderados por Hassan ibn Sabbah, mais conhecido como o 'Velho da Montanha', os sírios utilizavam o terrorismo como principal arma na luta contra os cristãos e sunitas. O grupo ficou tão conhecido pelos requintes de crueldade e centenas de mortes, que sua denominação deu origem ao termo 'assassino'. Os membros do clã eram conhecidos como 'hashashin' ("consumidor de haxixe", em árabe) ou 'assassínio', que originou o termo que é descrito nos dicionários como o "indivíduo que retira a vida de outro ser humano".

Termo terrorismo
O termo usado para designar o que é descrito na Enciclopédia 'Britannica Concise' como um ato "sistemático de violência para criar um clima de medo generalizado numa população" foi cunhado na França, no final do século XVIII. Ele deriva do latim terroris e foi usado pela primeira vez na história no ano de 1794, para designar os jacobinos que utilizavam da 'doutrina do terror' para comandar o país durante a Revolução Francesa. Criado para criticar o estilo truculento e na base de ameaças que os jacobinos usavam para manter o poder a qualquer custo, o termo apareceu pela primeira vez num dicionário em 1798, na edição anual do 'Dicionário da Academia Francesa'.

Sem o advento da globalização, a palavra terrorismo só atravessaria o Canal da Mancha rumo a Inglaterra em 1795, cerca de um ano após se tornar popular na França. Já no Brasil, somente em 1836, a palavra seria cunhada pela primeira vez num dicionário da língua portuguesa, cerca de quatro décadas após seu surgimento na França.

  
  

Publicado por em