Sabe quando ocorreu o primeiro desfile de carnaval do Brasil?

Há 160 anos, os primeiros foliões desfilavam em carruagens decoradas e com fantasias importadas da França e criavam o verdadeiro carnaval brasileiro

  
  
O primeiro desfile marcou o fim do entrudo, uma espécie de carnaval, de origem portuguesa

Se nos dias atuais o auge do carnaval são os desfiles das escolas de samba nas Passarelas das principais cidades do país, no passado tudo começou de forma bem mais simples e sem a menor estrutura. Em 1855, uma comissão de intelectuais realizaria o primeiro desfile da história do Brasil, pelas ruas da cidade do Rio de Janeiro. Com a presença do então Imperador D. Pedro II, a nova festa tinha como principal meta substituir o entrudo, uma espécie de carnaval, de origem portuguesa, que ocorreu no país entre os séculos XVI e XVIII.

Conhecido como 'Congresso das Summidades Carnavalescas', o clube foi a primeira sociedade carnavalesca do Brasil e exibiu suas luxuosas fantasias inspiradas em personagens europeus pelas principais ruas do centro urbano da capital fluminense. Se nos dias atuais os desfiles são feitos em enormes e tecnológicos carros alegóricos, no passado os nobres subiam em carruagens decoradas para curtir a folia e saiam em 'carreata' pelas esburacadas ruas cariocas.

Fantasiados de Dom Quixote, mandarins, nobres Cáucasos e até de 'Fernando, o Católico', os foliões tinham regras rígidas para que a festa não se transformasse numa enorme confusão, como era o entrudo. Entre as curiosas exigências estavam as proibições de jogar água nas pessoas e de qualquer 'brincadeira' violenta, além da 'obrigatoriedade' de utilizar fantasias.

Fim do entrudo

O ano de 1855 marcou o fim do entrudo e o início do carnaval atual

A violência não é um problema novo no Brasil. Se o tema é uma das grandes preocupações do país durante o carnaval, na época do entrudo não era diferente e causou seu fim. Inicialmente, os foliões se divertiam jogando entre si apenas água, mas com o passar do tempo começaram a arremessar laranjas, ovos, farinha e até lixo. Devido a grande confusão e violência que ocorreu em 1854, a comemoração precisou ser 'encerrada' pela polícia e para solucionar o problema, ficou determinado que nas próximas festividades não poderia ser arremessado nada, nem mesmo a tradicional água. A justificativa oficial era para que o líquido não estragasse as caras e luxuosas fantasias que eram importadas da França. Com isso, o entrudo se transformaria no carnaval atual.

Origens do carnaval
Ao contrário do que se diz, o carnaval não é uma festa de origem católica e sim, pagã. Surgida ainda nos tempos da Grécia Antiga, a folia ganhou destaque na história durante o Império Romano, como uma homenagem ao deus Saturno (Saturnais, em latim). Apenas em 590, a Igreja Católica decidiu reconhecer o carnaval, mas fez duas 'exigências'. As comemorações, que já contavam com homens e mulheres desfilando nus, deveria ocorrer 47 dias antes do domingo de Páscoa e o último dia de folia, a quarta-feira de cinzas, seria uma data para reflexão dos pecados e arrependimento.

  
  

Publicado por em