As 5 regiões mais radioativas do mundo, segundo Agência

Localizadas na Ásia e Europa, as cinco regiões entraram na lista devido a graves acidentes, testes com bombas nucleares ou simplesmente com a poluição causada pela indústria química

  
  
A tragédia em Chernobyl que matou cerca de 95 mil pessoas aconteceu em 26 de abril de 1986, após uma explosão e um incêndio

Existe alguma região no mundo que não deve ser visitada por ninguém? Mais especificamente existem cinco lugares que pessoas prudentes devem manter uma considerável distância. Classificados pela Agência Internacional de Energia Atômica (IAEA) como os locais mais radioativos do mundo, estas cidades sofreram com tragédias nucleares que além de custarem a vida de milhares de vítimas, ainda deixam suas marcas até os dias atuais.

Localizadas na Ásia e Europa, as cinco regiões entraram na lista devido a graves acidentes, testes com bombas nucleares ou simplesmente com a poluição causada pela indústria química. Dentre as localidades, a última a ingressar na listagem foi Fukushima, no Japão. Após um forte terremoto, a cidade sofreu com um maremoto que atingiu a usina nuclear e gerou um vazamento de elementos radioativos.

Confira a lista com as 5 regiões mais radioativas do mundo, segundo a IAEA

5) Cooperativa Química Siberiana (Rússia/Sibéria)
O local é o símbolo do descaso das autoridades russas com o meio ambiente. Considerado o maior polo químico da Rússia e um dos maiores do mundo, a Cooperativa Química Siberiana é uma herança da União Soviética que ao longo dos anos depositou no solo cerca de 125 mil toneladas de lixo químico. A poluição causada pelo desastre ambiental, que já foi comprovado por entidades do setor, está sendo levada para regiões cada vez mais longe. Segundo as últimas medições, as chuvas e ventos já transportaram a poluição para até 120 quilômetros de distância.

4) 'Polígono' (Cazaquistão/Semipalatinsk)
O atual estado de abandono da região não demonstra a importância do local durante o período da Guerra Fria. Entre as décadas de 1950 e 1980, o 'Polígono' foi a sede do Projeto Atômico do governo da extinta União Soviética. Ao longo das três décadas foram tantas explosões na região que a área é recordista mundial de detonações nucleares. O efeito da utilização indiscriminada da energia é que até os dias atuais cerca de 200 mil pessoas lidam as consequências da radiação.

3) Mineradora e Cooperativa Química (Quirguistão/Mailuu-Suu)
Ao contrário do 4º lugar mais poluído do mundo, a região de Mailuu-Suu não está na listagem devido as explosões nucleares e sim pelos perigosos resíduos de urânio descartados pela Mineradora e Cooperativa Química. A quantidade de aproximadamente dois milhões de metros cúbicos de lixo colocam o local na lista dos mais poluídos do mundo, além de radioativo.

2) Chernobyl (Ucrânia/Pripyat)
O maior acidente nuclear da história não poderia ficar de fora da lista, mesmo após 29 anos. A tragédia que matou cerca de 95 mil pessoas aconteceu em 26 de abril de 1986 após uma explosão e um incêndio, que inicialmente foram encobertos pela União Soviética. O acidente só foi comunicado oficialmente ao mundo após os ventos terem levado a nuvem radioativa a outras nações. Para efeito comparativo, a explosão em Chernobyl foi 100 vezes maior do que as bombas atômicas de Nagasaki e Hiroshima juntas.

1) Usina de Fukushima (Japão/Fukushima)
Considerado o 2º pior acidente nuclear da história, a explosão em Fukushima foi uma consequência de um terremoto de magnitude 8,9 na região. O tsunami gerado pelos fortes tremores causou a morte de 15,8 mil pessoas e comprometeu a estrutura de resfriamento da Usina Nuclear de Fukushima. Após o problema houve três explosões que liberaram uma onda radioativa que elevou o nível de radiação na região em oito vezes acima do máximo permitido. A tragédia que aconteceu em 11 de março de 2011 transforma a cidade no pior lugar do mundo para estar quando o assunto é radioatividade.

  
  

Publicado por em