Conheça a última tribo canibal do mundo

Situada em Papua-Nova Guiné, a tribo Korowai é o último povo antropófago do mundo. O ritual canibal só ocorre quando um doente à beira da morte acusa uma pessoa de transmitir a doença e estar possuída pelo demônio

  
  
Quando se fala em canibalismo, logo se pensa em selvageria e pessoas sendo comidas vivas, mas não é assim que ocorre no ritual Korowai

Pode até parecer o enredo de um filme de aventura dos anos 80, mas ainda existe um povo canibal no mundo. Conhecida como Korowai, a última tribo antropófaga está situada em Papua-Nova Guiné, na Oceania. Famosos por seus rituais, eles também ganharam fama mundial por suas casas a mais de 35 metros de altura na copa das árvores.

Localizada por cientistas na década 1970, a tribo teve o primeiro contato com o homem branco apenas naquela época. Para uma população que vivia em total isolamento da humanidade, a descoberta gerou tanto terror que os descobridores foram chamados de "laleo", que significa "demônio branco".

Ao contrário da crença popular que o canibalismo ocorre em qualquer momento e sem um objetivo próprio, os Korowai's comem seus pares apenas quando eles são 'acusados' por um doente que esteja à beira da morte. Quando a pessoa enferma chama alguém pelo nome, os membros Korowai's acham que o doente está acusando-a de estar possuída pelo "khakhua" que significa demônio, em português. A prática faz parte da cultura espiritual da tribo e segundo uma crença local, eles estão matando a criatura que está transmitindo a doença e não um ser humano.

Quando se fala em canibalismo, logo se pensa em selvageria e pessoas sendo comidas vivas, mas não é assim que ocorre. No ritual Korowai, o "acusado" é primeiramente morto por uma flecha feita com osso de ave e então, seu corpo é cortado, cozido e servido para a tribo durante o jantar. As únicas partes que não são devoradas pelos canibais são os órgãos genitais, cabelos, ossos, dentes e unhas.

Os únicos integrantes que estão a salvo do canibalismo são as crianças, mas apenas até os 12 anos de idade. Assim como o ritual não permite que sejam mortas, elas também não podem se servir dos banquetes antropófagos. Contudo, se uma das crianças for acusada de estar possuída pelo "khakhua", ela será mantida presa até a adolescência quando será morta.

Prática ilegal
Nos últimos anos, o governo local vem tentando diminuir a prática no país ao proibi-la em algumas áreas. Uma das leis que tentam coibir o canibalismo trata o ato como um assassinato premeditado. Porém, independentemente das ações governamentais, o número de pessoas mortas anualmente vem caindo desde o início do contato dos Korowai's com o homem branco.

Turismo
Ao contrário do que se pode imaginar, centenas de turistas visitam os Korowai's anualmente e saem com todas as partes do corpo inteiras! Desde a descoberta da tribo, algumas agências turísticas a colocaram em seus roteiros e levam visitantes para conhecê-la. Os passeios rumo aos últimos canibais do mundo são vendidos na cidade de Port Moresby, capital de Papua-Nova Guiné. O roteiro custa a partir de R$ 1455 por pessoa e dura 10 horas.

Como o canibalismo ocorre apenas entre os próprios integrantes, não existem riscos a saúde dos turistas. Com visitas quase diárias, os Korowai's criaram uma nova fonte de renda para ajudar na subsistência da tribo. Contudo, o dinheiro não alterou o estilo de vida simples e os hábitos deste povo único.

Mapa


.

As únicas partes que não são devoradas pelos canibais são os órgãos genitais, cabelos, ossos, dentes e unhas
Famosos por seus rituais, eles também ganharam fama mundial por suas casas a mais de 35 metros de altura na copa das árvores
Conhecida como Korowai, a última tribo antropófaga está situada em Papua-Nova Guiné, na Oceania
  
  

Publicado por em