Em tempos de crise econômica, ilhas paradisíacas no Brasil são vendidas por até R$ 68 milhões

Com mais de duas dezenas de ilhas a venda, os preços variam entre R$ 850 mil até incríveis R$ 68 milhões. A região nordeste e o Rio de Janeiro são as localizações com mais pedaços de terra a venda

  
  
Ao todo, são oferecidas 22 ilhas nacionais nos principais sites especializados que atendem ao luxuoso mercado

Não é só no exterior que o mercado de venda de ilhas está aquecido mesmo com a recessão econômica. No Brasil, o comércio milionário de pedaços de terra banhados por água também existe e está em alta mesmo em tempos de crise. Com pequenas e grandes ilhas, os preços variam entre US$ 250 mil (R$ 850 mil) até incríveis US$ 20 milhões (R$ 68 milhões).

Os valores vão crescendo proporcionalmente com a facilidade de acesso, número de construções e tamanhos, além da beleza natural do lugar. Ao todo, são oferecidas 22 ilhas nacionais nos principais sites especializados que atendem ao luxuoso mercado. Com mais opções, os estados do Rio de Janeiro e Bahia possuem ilhas para todos os gostos e bolsos e atraem também investidores internacionais interessados com a recente onda de desvalorização do real em relação ao dólar.

Nos dois extremos da tabela estão as ilhas de Pirichill e Alhambra, ambas no nordeste e com uma diferença de preço de aproximadamente R$ 67,15 milhões. Localizada no estado da Bahia, em Itacaré, com 9 acres, a ilha de Alhambra possui a 'tradicional' dupla com águas translúcidas e areia branca. Os interessados terão que desembolsar cerca de R$ 840 mil (US$ 247 mil) por este paraíso.

Com um valor aproximado de R$ 68 milhões, Pirichill é a ilha mais cara a venda no Brasil

No outro extremo da lista está Pirichill, situada em Maceió (Alagoas), que possui 988 hectares e fica cerca de três quilômetros da área urbana da capital alagoana. Seu valor é de aproximadamente R$ 68 milhões e há um estudo que indica que a região pode gerar até 133,5 MWH de energia com a instalação de uma usina solar. Outros pedaços de terra que também se destacam por sua beleza são as ilhas de Esmeralda/RJ (R$ 25,8 milhões), Japão/RJ (R$ 13,6 milhões), Itanhanga/RJ (R$ 47,6 milhões), Geraldo/PA (R$ 2,7 milhões) e Comprida/RJ (R$ 11,3 milhões).

Ao contrário das rotineiras negociações para a compra de terrenos e imóveis em terra firme, o comércio de ilhas é algo mais burocrático e exige atenção redobrada dos interessados em adquirirem estes pedaços do paraísos. Além de taxas extras a serem pagas ao governo como o laudêmio e o foro, o novo proprietário necessitará de uma autorização do governo federal para adquiri-la. Esta documentação é necessária, pois as ilhas e ilhotas situadas na região litorânea do país são de propriedade da União.

'Bota-fora' de ilhas Gregas

Ao todo, estão sendo vendidas mais de três dezenas de ilhas gregas com valores que variam entre R$11,1 milhões e R$ 185 milhões

A crise grega não está perdoando nem suas idílicas ilhas. Com o país quebrado e os bancos a beira da bancarrota, os milionários gregos estão se desfazendo de suas propriedades de luxo entre elas as famosas ilhas particulares. Ao todo, estão sendo vendidas mais de três dezenas de ilhas no país da Península Balcânica com valores que variam entre € 3 milhões (R$11,1 milhões) e € 50 milhões (R$ 185 milhões), conforme suas áreas, belezas e localização.

Entre as 'pechinchas' se destaca a ilha de Lihnari, na região de Korinth, que está a venda por apenas R$ 11,1 milhões (€ 3 milhões). O local conta com algumas casas construídas, além de estradas e 650 oliveiras. Já no outro extremo financeiro está a ilha de Omfori que tem o preço fixado em incríveis R$ 185 milhões (€ 50 milhões). Com uma simpática capelinha branca banhada pelas águas esverdeadas do mar Jônico, ela é desabitada e possui autorização para construção de imóveis em apenas 20% de seu território.

  
  

Publicado por em