Floresta de Zika, o local onde 'surgiu' o temido vírus

Localizada em Uganda e visitada pelo ex-presidente norte-americano Jimmy Carter, a floresta é o 'berçário' do vírus, porém apenas dois casos da doença foram confirmados oficialmente no país desde 1947

  
  
Ao contrário do que se pode imaginar que a Floresta de Zika é um verdadeiro paraíso para a propagação da doença, o vírus permanece isolado na localidade

Ainda pouco conhecido pela ciência e sem grandes estudos sobre o assunto, o zika vírus colocou o mundo de joelhos e ameaça ser a malária do século XXI, mas o que poucos sabem é onde surgiu o famoso vírus. Seu nome de batismo foi uma homenagem ao local onde foi descoberto, em 1947. Conhecida como Floresta de Zika, a densa mata está localizada em Uganda, no leste da África.

Pouco conhecida no próprio país, a floresta está desaparecendo nos últimos anos devido ao desmatamento para a construção de grandes empreendimentos imobiliários, que surgem nas proximidades da capital Kampala e do Aeroporto de Entebbe, o principal do país. Se no idioma local, o termo ziika significa 'floresta densa', atualmente este conceito ficou no passado, quando a região abrigava apenas os guardas-florestais e suas famílias, em pequenos casebres.

Com fácil acesso, a floresta tropical fica dentro de uma Área Restrita à Pesquisa Científica, controlada pelo Instituto Uganda, porém a especulação imobiliária vem vencendo esta batalha. Situada próxima aos pântanos de Waiya Bay, no Lago Vitória, ela possui 25 hectares e é conhecida por abrigar diversos ecossistemas, que criam uma riquíssima fauna e flora.

Se na atualidade Zika ganhou destaque internacional devido ao vírus, no passado ela era apreciada por ser um dos melhores locais da África para a observação de aves. Entre os diversos visitantes ilustres, a região recebeu o ex-presidente norte-americano Jimmy Carter (1977-81), que é um amante dos pássaros.

Descoberta do Zika
Curiosamente, o vírus Zika foi descoberto sem querer, enquanto cientistas norte-americanos, europeus e ugandenses buscavam a cura para outra doença tropical, a febre amarela, que também contamina a população através do mesmo vetor, o mosquito aedes aegypti. Para batizar o novo vírus, eles decidiram chama-lo de 'Zika', nome da floresta onde estava o macaco infectado, da espécie Rhesus. Pouco informados sobre o assunto, os cientistas poderiam ter contido que a futura epidemia se espalhasse já naquela época, pois a transmissão para seres humanos deste novo microrganismo havia ocorrido poucos anos antes de sua descoberta.

Ao contrário do que se pode imaginar que a Floresta de Zika é um verdadeiro paraíso para a propagação da doença, o vírus permanece isolado na localidade. Desde a sua descoberta, há mais 65 anos apenas dois casos de contaminação humana foram confirmados no país africano. A principal justificativa para a curiosa situação é que o vetor da doença na região é o Aedes aegypti formosus, que é conhecido por raramente picar seres humanos, ao contrário do seu 'primo' Aedes aegypti aegypti.

Mapa


.

Com fácil acesso, a floresta tropical fica dentro de uma Área Restrita à Pesquisa Científica
Localizada em Uganda e visitada pelo ex-presidente norte-americano Jimmy Carter, a floresta é o 'berçário' do vírus zika
Se na atualidade Zika ganhou destaque internacional devido ao vírus, no passado ela era apreciada por ser um dos melhores locais da África para a observação de aves
  
  

Publicado por em