Revitalizado, Centro Histórico de Santos já teve Wall Street brasileira; Veja fotos

A rua XV de Novembro, mais conhecida como Wall Street brasileira, era o mais importante centro comercial cafeeiro do país, principal produto nacional de exportação da época

  
  
A Rua XV de Novembro chegou a abrigar sete bancos e a Bolsa do Café de Santos

Santos, no litoral de São Paulo, é conhecida por sua praia, seu enorme jardim e pelo Santos FC, mas num passado recente ficou famosa por abrigar a Wall Street brasileira, como era conhecida a rua XV de Novembro, um dos principais centros financeiros do país.

O auge da economia da cidade foi durante o ciclo do café, entre o final do século XIX e início do século XX. O período transformou Santos, em específico a Rua XV de Novembro, numa Wall Street brasileira. Com milhões de dólares movimentados diariamente e abrigando diversas instituições financeiras nacionais e internacionais em apenas cinco quarteirões de extensão, a via se transformou num símbolo da época de ouro das exportações brasileiras. Atualmente, a via, que foi restaurada, abriga restaurantes e bares, que animam a noite santista.

Coração da economia santista e brasileira no início do século 20, a Rua XV de Novembro chegou a abrigar, em seus poucos metros de extensão, sete bancos e a Bolsa do Café de Santos, que era a maior negociante de café do mundo. O prédio, onde atualmente funciona um museu que conta a história do produto, é um dos ícones da via, que ainda preserva os imóveis do início do século passado, além dos tradicionais paralelepípedos. A rua é cenário constante de novelas e filmes de época da televisão brasileira, como "Lula, o filho do Brasil" e "Terra Nostra".

Atualmente, a via se transformou num famoso destino turístico, totalmente preservada, e durante as noites ganha vida com restaurantes e bares, que garantem a animação. Aos finais de semana, os restaurantes da região também abrem com a tradicional feijoada de sábado e uma feira de produtos artesanais.

Já quem preferir entrar no clima do início do século XX poderá passear num dos bondes que circulam pelas ruas da região. Os veículos, que foram restaurados, passam em frente a edifícios históricos como a Bolsa do Café e aos Palácios José Bonifácio e Saturnino de Brito. Atualmente, a linha turística conta com 13 bondes, sendo seis em circulação. O percurso é de cinco quilômetros, em passeios com duração de 45 minutos. Os veículos partem da Estação "Buck Jones", na Praça Mauá.

Como chegar
Saindo de São Paulo é possível chegar à Santos pela Rodovia dos Imigrantes ou Anchieta. A viagem dura cerca de 50 minutos e o percurso é de 70 quilômetros. Quem desce ao litoral pagará na viagem de volta um pedágio no valor de R$ 25,20.

Outra opção é fazer o traslado de ônibus. Com duração de 1h, o embarque ocorre na Estação Rodoviária do Jabaquara, em São Paulo, e custa R$ 25,75. As saídas rumo ao litoral paulista acontecem a cada 10 minutos.

Mapa

Já quem preferir entrar no clima do início do século XX poderá passear num dos bondes que circulam pelas ruas do Centro Histórico
Dentro da antiga Bolsa de Café funciona um Museu, que conta a história do produto
Atualmente, a via se transformou num famoso destino turístico, totalmente preservada
No início do século 20, a Bolsa do Café de Santos foi responsável por negociar mais de 70% do grão, que era exportado pelo Brasil
  
  

Publicado por em