Zermatt, a luxuosa vila suíça que fala português

Situada aos pés do monte Matterhorn, a cidade suíça tem como segunda língua, falada por cerca de 50% da população, o português. A região também é uma tradicional estação de esqui, com mais de 320 quilômetros de pistas

  
  
A principal atração e cartão-postal de Zermatt não é a enorme pista de esqui ou a peculiar língua portuguesa, mas sim o monte Matterhorn

Um dos principais problemas numa viagem internacional é a comunicação, mas os brasileiros que viajarem a Zermatt, na Suíça, não terão esta dificuldade. A luxuosa vila, situada aos pés da mítica montanha Matterhorn, tem como primeira língua o alemão e a segunda, surpreendentemente, o português. Cerca de 50% da população local pode ler esta matéria sem a necessidade de tradutores.

O clima alpino em Zermatt é o cartão de visitas da comuna suíça, mas o grande destaque são os 320 quilômetros de pistas de esqui, que lhe renderam o apelido de "pátria do alpinismo". Entre os seus 5,6 mil habitantes, cerca de 1,4 mil são portugueses e imigraram ao país durante a década de 1980, em busca de melhores condições de vida. Zermatt não é a única vila da região a contar com um alto índice de imigrantes. Os vilarejos vizinhos de Täsch e Randa possuem mais habitantes originários de outras nações, do que nascidos na Suíça. Recentemente, o fluxo de portugueses à região voltou a crescer com o agravamento da crise econômica, no país ibérico.

Com um clima bucólico e estilo alpino, Zermatt é um paraíso para os turistas que buscam tranquilidade e vistas paradisíacas. Suas vielas com vasos floridos nas janelas e chalés de madeira, com telhados pintados de branco pela neve, conseguiram mudar até o tradicional padrão das construções de uma famosa rede norte-americana de fast-food, que se rendeu ao 'estilo alpino'. A simplicidade só perde lugar para o luxo dentro dos restaurantes, hotéis icônicos, relojoarias e pubs, que costumeiramente são frequentados por celebridades mundiais.

Um pouco mais afastadas da área central do tranquilo vilarejo, as ágeis e gigantescas pistas de esqui sinalizadas cortam a região por incríveis 323 quilômetros. Na alta temporada, a pequena vila se transforma em meca dos esportes radicais, como snowboard, paragliding, cross country, esqui e patinação no gelo.

Curiosamente, a principal atração e cartão-postal de Zermatt não é a enorme pista de esqui ou a peculiar língua portuguesa, mas sim o monte Matterhorn. Eternizado nas embalagens de um famoso chocolate suíço, em formato triangular, e nas caixas de uma conhecida marca de lápis de cor, o imponente pico se destaca na paisagem local, com seus 4.478 metros de altura.

Como chegar
Com passagens aéreas, de ida e volta, a partir de R$ 1.536, os voos saem de São Paulo rumo à Zurique e são operados apenas por companhias internacionais. Após chegar a maior cidade suíça, a opção mais indicada para ir à Zermatt é utilizando o excelente sistema ferroviário do país. A viagem de trem dura cerca de 3h15.

A melhor época do ano para se visitar a região é durante a alta temporada, entre os meses de dezembro e março, mas neste período os preços também estão mais elevados. A Suíça não exige visto no passaporte para entrar no país.

Mapa


.

Com um clima bucólico e estilo alpino, Zermatt é um paraíso para os turistas que buscam tranquilidade e vistas paradisíacas
Entre os 5,6 mil habitantes de Zermatt, cerca de 1,4 mil são portugueses e imigraram ao país durante a década de 1980, em busca de melhores condições de vida
Na alta temporada, a pequena vila se transforma em meca dos esportes radicais, como snowboard, paragliding, cross country, esqui e patinação no gelo
Situada aos pés do monte Matterhorn, a cidade suíça tem como segunda língua, falada por cerca de 50% da população, o português
  
  

Publicado por em