Na onda dos Acampamentos de Férias

Temperada com boas pitadas de criatividade e pedagogia, a programação dos acampamentos de férias costuma misturar diversão, esportes, ecoturismo e educação ambiental, ganhando cada vez mais simpatia dos pais das crianças e adolescentes

  
  
Revista Aventura & Ação - Ed. 149

Texto: Camila Fróis
Esta matéria faz parte da Edição 149 da Revista Aventura & Ação

Nada da entediante programação da tarde na televisão, videogame, computador ou viagens pouco originais, como a temporada na casa de praia de amigos. Para cada vez mais famílias, o período de férias escolares é sinônimo de novos desafios, novos amigos, contato com a natureza, regras de sobrevivência, estratégias de ação em equipe e muita aventura! Os relatos são de quem já passou pela experiência de um acampamento de férias nas fazendas, sítios e campings, que investem e inovam na programação para disputar a preferência dos adolescentes e até dos pequeninos a partir de cinco anos.

Além de garantir a diversão e as fortes emoções durante as férias, muitas vezes a experiência acaba sendo também o primeiro grito de independência. Longe dos olhares paternos, as crianças convivem com pessoas diferentes, tomam decisões sozinhas, participam de brincadeiras inusitadas e crescem em todos os sentidos.

Acampamento Quinta da Estância Grande, Viamão (RS)

“Eles ganham mais autonomia, mais maturidade e têm a oportunidade de se divertirem de uma forma orientada e criativa, através da prática do esporte, da relação com novos amigos e inclusive de atividades de artísticas e culturais”, garante a psicóloga Patrícia Meirelles, mãe de Maria Eduarda (17), Frederico (14) e Maria Antonia (11), todos os três acampantes do República do Lago. Patrícia, que diz ter dificuldades de conciliar viagens de férias em família, ressalta que as temporadas nos acampamentos permitem que os filhos, principalmente os adolescentes, tenham uma opção de entretenimento mais saudável e enriquecedora do que nos clássicos programas nos shoppings centers e barzinhos.

Orientação para circuito de arvorismo, no Acampamento Clínica de Aventura Núcleo 16, em Juquitiba (SP)

Assim como a mãe dos três participantes do República do Lago, muitos outros pais têm apostado na alternativa. Tradicionais nos Estados Unidos e em vários países europeus, os acampamentos conquistam um número cada vez maior de pessoas no Brasil, através de propostas ousadas: atividades como rapel, rafting, canoagem, montanhismo, camping selvagem, trilha de aventura e até mesmo paraquedismo tornam o dia a dia dos acampantes, no mínimo, bastante intensos. As atividades de aventura são mescladas com as atrações mais convencionais, mas não menos interessantes, como competições esportivas, gincanas, luaus, expedições, tiro ao alvo, cavalgadas, brincadeiras de rua (resgatadas da época dos pais e avós das crianças) e até alguns jogos de estratégia, um tanto quanto peculiares, inventados pelos próprios acampamentos.

Apesar de o período ser de férias, ainda dá para aliar o entretenimento ao exercício da segunda língua, como no English Camp, que inclui a prática do idioma durante os momentos de recreação. Outros acampamentos têm atividades ecológicas e procuram despertar nas crianças e adolescentes a consciência para a preservação ambiental. Incluem atividades como plantar, colher, regar e fazer coleta seletiva de lixo. Há também fazendas que oferecem aulas de culinária, oficinas de artesanato e competições musicais, que podem revelar verdadeiros artistas entre os participantes. No República do Lago, entre as atrações que mais despertam a atenção dos participantes está o Projeto Cinema, em que as crianças roteirizam e filmam uma história, programa preferido da filha do meio de Patrícia, Maria Antonia. Já no Radical, em Boituva (SP), voltado para um público mais adolescente, os acampantes podem voar de balão ou até saltar de paraquedas. Desde a fundação do Paiol Grande, o acampamento pioneiro no Brasil, em 1946, os serviços se sofisticaram muito, mas a variedade de entretenimentos oferecidos é determinante na variedade também dos preços. Com duração de 5 a 25 dias, os pacotes podem sair de R$ 350 a R$ 2.448.

Com tantas opções de programação e de custos, escolher um acampamento de férias pode ser uma decisão acertada para os pais, que garantem a tranquilidade no cotidiano da casa e, ao mesmo tempo, a agitação total nas férias dos filhos. Durante o período do acampamento, entretanto, é comum que eles acabem sentindo saudade da bagunça e do barulho da molecada, mas a volta para casa pode trazer boas surpresas para a família. Em geral, a vivência nos acampamentos é recheada de aprendizados. A relação mais próxima com o ambiente natural, os jogos em grupo, os desafios impostos nas atividades e competições, assim como na própria quebra da rotina familiar podem ensinar às crianças a se tornarem mais independentes, a compartilharem seus sentimentos com outras crianças, a serem menos egoístas ou a perderem a timidez, por exemplo.

Acampamento República do Lago. Em uma fazenda com um visual deslumbrante, as crianças e adolescentes participam com entusiasmo das atividades recreativas

Isso acontece porque os acampamentos costumam incentivar as relações interpessoais de forma bastante criativa. Se no dia a dia, as crianças não abrem mão do telefone celular e querem garantir a diversão com o uso de iPods, videogames e internet, no período dos acampamentos as brincadeiras são bem diferentes. No acampamento Peraltas, por exemplo, durante o Day Chalenge, as tarefas envolvem atividades como tirar leite da vaca, trocar pneu de carro, plantar mudas, fritar um ovo, fazer travessias no lago com balsa, além dos desafios no circuito de arvorismo. Tudo vira diversão. “O objetivo da brincadeira é preparar pessoas melhores que auxiliem o próximo, saibam trabalhar em equipe, aprendam a planejar, tomem iniciativa e gerenciem o tempo”, conta a diretora da Fazenda Estância Peraltas, Marília Rabello.

Para quem mora em meio aos grandes centros urbanos, a oportunidade de conhecer atividades praticadas na natureza, além de permitir a formação de novas amizades, pode, inclusive, despertar o interesse por um estilo de vida mais saudável, pela prática de esportes e pelas atividades de aventura.

Como escolher o acampamento ideal

Aventura no acampamento Nosso Recanto

Se a idéia de escolher um acampamento é propiciar a diversão máxima da criançada, é melhor se certificar que tudo irá ocorrer bem. Para que as férias não se tornem um problema, o ideal é pesquisar antes, pedir indicações de amigos e dedicar um especial cuidado com a contratação do serviço.

A Associação Brasileira de Acampamentos Educativos (Abae) orienta os seus associados a cuidarem da saúde, nutrição, segurança e infraestrutura dos acampamentos. Para garantir o cumprimento de todos esses cuidados, a Associação criou um selo que certifica, por meio de uma espécie de auditoria, a qualidade das políticas de gerenciamento de riscos, recursos humanos e da programação dos acampamentos.

A diretora-presidente do Acampamento Paiol Grande, que existe há mais de 60 anos e foi um dos fundadores da Abae, Dora Vilares de Freitas, explica que a principal proposta do acampamento é promover educação de forma lúdica, mas que para isso é preciso muito cuidado nos detalhes da programação, da didática, da alimentação e da segurança das crianças. Por isso, de acordo com a diretora, a certificação é uma forma de estimular os acampamentos a se organizarem para oferecer e atestar serviços de qualidade.

Já a Associação Férias Vivas tem como objetivo promover, de forma geral, a educação para o turismo seguro, explica a presidente da ONG, Sílvia Basile. Segundo ela, na hora de escolher é importante conhecer quais as opções disponíveis no mercado para definir com seus filhos qual o tipo mais adequado à idade e ao perfil de cada um. Existem acampamentos que incluem na programação atividades religiosas, por exemplo. “Se a família é judia e envia o filho para um acampamento católico, ele pode encontrar algum problema de adaptação”, adverte.

À noite uma baladinha em clima de integração no acampamento Nosso Recanto

Outra preocupação importante é se a programação é adequada às diferentes idades de participantes, que, em geral, varia de cinco a 17 anos. Feita a escolha, a ordem é planejar a viagem pessoalmente. Sílvia observa que é muito válido que os pais visitem as instalações do local e verifiquem a higiene do restaurante em que os alimentos são preparados, a estrutura de atendimento emergencial, de transportes e das acomodações.

Check list dos pais

Para ajudar os pais na tarefa de escolher o acampamento certo, a Associação Férias Vivas preparou uma lista de 10 dicas:

1. Visitar o local para conhecer a estrutura e os responsáveis por ela;

2. Verificar se a proposta educacional (todo acampamento tem de ter uma) está adequada com o perfil do acampante;

3. Conhecer o planejamento das atividades para aquela temporada, qual a experiência e formação profissional de coordenadores e monitores;

4. Caso o acampamento ofereça atividades de aventura, verificar se os monitores têm experiência comprovada naquela modalidade e se estão capacitados para prestar atendimento adequado em caso de acidente;

5. Informar-se sobre o número de acampantes que estará sob a responsabilidade de cada monitor, considerando a faixa etária das crianças envolvidas;

6. Certificar-se sobre a adequação da infraestrutura do acampamento para a realização das atividades propostas;

7. Certificar-se sobre a manutenção dos equipamentos;

8. Conhecer a cozinha e perguntar sobre a alimentação e a elaboração das refeições;

9. Assegurar-se sobre a presença de profissionais de saúde no acampamento, a facilidade de comunicação para o transporte de emergência, hospitais próximos e a distância do acampamento;

10. Confirmar a presença constante de guarda-vidas caso o local tenha piscinas e lagoas.

A ONG lembra ainda que é responsabilidade do acampamento oferecer equipamentos de segurança. Se há programação de canoagem, por exemplo, é indispensável o uso de salva-vidas e capacete. Em caso de cavalgadas, os monitores não devem permitir a prática sem uso de capacete e sela apropriada à idade do acampante. Preenchido satisfatoriamente o roteiro de regras e sentindo-se seguro, é só aprontar a mochila e deixar que os filhos aproveitem muito bem as férias.

____________________

Esta matéria faz parte da Edição 149 da Revista Aventura & Ação.

Conheça melhor a Revista Aventura & Ação:
Canal A&A no EcoViagem / Site Oficial da A&A.

Gostou? ASSINE A&A ou busque seu exemplar nas melhores bancas!

Conecte-se com A&A: Orkut / Facebook / Twitter / Blog

  
  

Publicado por em

Mari

Mari

28/01/2011 17:50:39
Amei axistir Acampamento de Ferias!

Revista Aventura & Ação

Revista Aventura & Ação

Olá Mari! Acampamentos geralmente são as primeiras experiências junto a natureza em um clima muito saudável, né? A pedida é nunca deixar de se aventurar! Conheça mais sobre a nossa revista! www.aventuraeacao.com.br Assine e confira roteiros instigantes pelo Brasil e pelo mundo! abs
Monica Regina

Monica Regina

08/07/2010 16:16:18
Nunca fui a um acampamento de ferias,mais so de ver essa materia me deixa com muito mais vontade de ir a um acampamento.Parabens por essa materia maravilhosa.OBS:Não tenho E-mail o endereço é do meu orkut.

Monica Regina

Monica Regina

08/07/2010 16:10:52
O acampamento de férias é otimo para relaxar.Meu nome é Monica,tenho 15 anos e adoraria ir a um acampamento de férias nos Estados Unidos.Parabens pela materia.OBS:Não tenho E-mail,e sim orkut