Artesãs criam bicho-da-seda para produção de cachecol

Há algum tempo, elas trabalhavam na roça e a renda era apertada. Agora, as peças desfilam pelas ruas de Paris.

  
  

Donas de casa e produtoras de bicho-da-seda trabalham para fazer cachecóis em Nova Esperança (PR). Há algum tempo, elas trabalhavam na roça e a renda era apertada. Agora, as peças desfilam pelas ruas de Paris.

Os cachecóis são vendidos por uma rede francesa de artesanato e segue as normas do chamado comércio justo. “O mercado justo é mantido por pessoas que querem que o seu ato de compra faça diferença na vida dos pequenos produtores rurais”, explica João Berdu, coordenador do projeto.

A pequena associação virou cooperativa e conquistou clientes no Brasil e no exterior. Por isso, elas precisaram de reforço na linha de produção, para conseguirem produzir mais e melhor. Embora o principal produto seja o cachecol, agora as artesãs também vão produzir lenços, bandanas e echarpes de seda. Elas usam fio de alta qualidade, que garante peças mais sofisticadas.

A coleção é colorida de um jeito alternativo. A cor verde é retirada da erva-marte, a cor marrom da casca de cebola e a cor laranja do urucum. Com tanta procura, só o talento das mãos não dá mais conta das encomendas, por isso, elas passaram a usar máquinas. As artesãs explicam que, com o uso da máquina, um cachecol fica pronto em meia hora. Utilizando apenas as mãos, o trabalho levaria oito horas para ser concluído.

Sessenta por cento do valor das peças ficam com as artesãs, que ganham em média R$ 900 por mês.

Fonte: Ambiente Brasil

  
  

Publicado por em