Artesãs do Vale do Urucuia recebem prêmio em São Paulo

A idéia do prêmio é estimular a pesquisa e a inovação, divulgar e promover artesãos, designers e empresários que propõem novos caminhos para a criação de objetos artesanais no país.

  
  

Artesãs do projeto Pólo Veredas (Vale do Urucuia/MG) foram as vencedoras do 1º Prêmio Objeto Brasileiro na categoria ação sócio-ambiental. Apoiado pelo SEBRAE-MG e pela ONG Central ArteSol, o projeto foi reconhecido pelo desenvolvimento do processo de coloração na tecelagem que não requer produtos químicos, não causa mal à saúde, nem ao meio ambiente, e ainda gera ocupação e renda para mulheres do Noroeste do Estado.

O projeto tem a participação de 150 artesãs de cinco associações da região, que formam uma rede de produção, que inclui o tingimento, a fiação e a tecelagem. O processo começa com a coloração na cidade de Uruana de Minas. O trabalho é feito com folhas de manga, goiaba, serragens de árvores e casca de cebola.

Ao todo são 18 corantes naturais. Em média, as artesãs gastam meio quilo de casca de cebola para tingir um quilo de linha de algodão e obter um tom amarelado. Cinco quilos de folha de manga são necessários para conseguir uma cor esverdeada. A ferrugem também é usada como tonalizante e é produzida pelo contato das sucatas de ferro com água e amônia.

Depois de coloridos, os fios são encaminhados para as associações de artesãos dos municípios de Riachinho, Sagarana (distrito de Arinos), Natalândia e Bonfinópolis de Minas para serem transformados em colchas, xales, tapetes e mantas.

Parceiro na iniciativa, o SEBRAE-MG oferece capacitações para profissionalizar e melhorar a qualidade dos produtos. As artesãs participam de treinamentos na área de design, associativismo, empreendedorismo, acesso ao mercado e gestão.

Objeto Brasileiro:

A idéia do prêmio é estimular a pesquisa e a inovação, divulgar e promover artesãos, designers e empresários que propõem novos caminhos para a criação de objetos artesanais no país.

O prêmio recebeu 1.000 inscrições de produtos, projetos e designers de todo o país. Destes, 62 foram selecionados para a fase final de avaliação e 8 foram premiados nas categorias objeto de produção autoral, objeto de produção coletiva, ação sócio-ambiental e novos projetos (estudantes e jovens profissionais).

Entre os critérios de avaliação estão o posicionamento do produto artesanal no mercado, funcionalidade, qualidade estético-formal, conteúdo inovador, aspecto ambiental, desenvolvimento sustentável, geração de emprego e renda, interface solidária e multicultural, valorização do patrimônio cultural brasileiro, preservar e divulgar a cultura local.

Os objetos finalistas e os projetos premiados participam da exposição 1° Prêmio Objeto Brasileiro até 28 de novembro, na sede de A CASA – Museu do Objeto Brasileiro, em São Paulo.

Serviço

Exposição 1º Prêmio Objeto Brasileiro
Até 28 de novembro
A CASA - Museu do Objeto Brasileiro
Rua Cunha Gago, 807 – Pinheiros – São Paulo/SP
Informações: (11) 3814 9711

Fonte: Assessoria de Imprensa do Sebrae-MG

  
  

Publicado por em

Rubinho

Rubinho

03/09/2009 16:03:01
Eu sou urucuiano, e acho que essa associação é a que melhor representa nossa cidade. Meus parabens a esses artesãos.