Artesãs mantêm viva tradição no Vale do Urucuia

Mantas, cortinas, xales, colchas e tapetes são produzidos por meio de fios feitos a mão e tingidos com corantes naturais

  
  

Elas moram numa região imortalizada na obra do escritor Guimarães Rosa, onde a riqueza do sertão e a exuberância dos chapadões do cerrado contrastam com uma realidade social de inúmeros desafios, como a busca por melhores índices de escolarização, emprego e renda.

Neste cenário, as artesãs do Vale do Urucuia, no noroeste de Minas Gerais, trabalham os valores culturais e ambientais e transferem para produtos e soluções artesanais as cores e texturas do lugar.

Mantas, cortinas, xales, colchas e tapetes são produzidos por meio de fios feitos a mão e tingidos com corantes naturais, obtidos em plantas do cerrado, cascas de cebola, serragem de madeira, folhas de manga e sucata de ferro.

Para vencer o isolamento e o difícil acesso a novos mercados, as artesãs uniram-se e contam com o apoio de instituições públicas, privadas e do terceiro setor.

Desde 1998 o Sebrae em Minas Gerais atua no noroeste do estado, onde desenvolve uma gama de atividades, todas voltadas para despertar o empreendedorismo e capacitar. Essa multiplicidade é conhecida como ProjetoTerritorial Urucuia, que abriga iniciativas destinadas a dar suporte aos diversos projetos de desenvolvimento local, com capacitação de lideranças públicas e privadas, acesso a serviços financeiros, compras locais e apoio às aglomerações produtivas.

Central Veredas:

No artesanato, uma das ações envolveu a criação, em 2009, da Central Veredas de Artesanato, vitrine da produção de mais de 300 profissionais de dez cidades da região.

Além de contar com este canal de vendas, as artesãs emitem notas fiscais, têm o acompanhamento de um contador e o auxílio de profissionais para orientar o processo de gerenciamento das associações participantes.

O Sebrae oferece cursos para profissionalizar e melhorar a qualidade dos produtos. As artesãs participam de treinamentos na área de design, associativismo, empreendedorismo, acesso a mercados e gestão.

Em 2010, as mulheres do projeto Artesanato de Tecelagem do Polo Veredas expuseram e comercializaram seus produtos em diversas feiras e mostras de artesanato no Brasil.

A iniciativa envolveu associações dos municípios de Natalândia, Bonfinópolis de Minas, Riachinho, Uruana de Minas e Arinos, com destaque para o distrito de Sagarana.

Fonte: SEBRAE

Visite: www.revistaecotour.com.br

  
  

Publicado por em