Beleza do artesanato faz do Agreste a mesorregião mais representativa do Guia

Bonecas de pano, carrinhos de lata, cordéis, máscaras, louça cabocla e uma grande variedade de produtos surgem a partir das mãos habilidosas dos artesãos. A cor do Agreste se faz presente em todas elas

  
  

A Secretaria de Turismo de Pernambuco, através do projeto de interiorização do turismo, lançará, no dia 14 de setembro, em Caruaru, o Guia Artesanato Rota 232. O catálogo é dividido em Zona da Mata, Agreste e Sertão, contempla o artesanato de 42 estabelecimentos em onze destinos da BR-232. A maioria desses equipamentos e dos mestres apresentados no Guia está no Agreste. Destacam-se pela qualidade, representatividade e beleza, o artesanato de Gravatá, Bezerros, Encruzilhada de São João, Caruaru, Belo Jardim e Pesqueira.

Bonecas de pano, carrinhos de lata, cordéis, máscaras, louça cabocla e uma grande variedade de produtos surgem a partir das mãos habilidosas dos artesãos. A cor do Agreste se faz presente em todas elas. Impossível não se encantar com o trabalho de J.Borges, Lula Vassoureiro e Cida Lima. A renascença de Pesqueira, que é motivo de orgulho para o enxoval de qualquer noiva, ganha seu merecido reconhecimento com o Guia.

O Alto do Moura, em Caruaru, revela o motivo de ser o maior centro de arte figurativa das Américas. O bairro caruaruense concentra cinco dos nove mestres que fazem parte do capítulo do Guia que é dedicado aos mestres-artesãos, chamado Galeria dos Mestres. O grande Mestre Vitalino ensinou a arte ao filho Severino, e também para Seu Elias, Marliete Rodrigues, Manuel Eudócio e Luiz Antônio. Através do barro, esses mestres retratam a vida e os costumes do Nordeste.

Tudo isso mostra que o Agreste é muito mais que uma “zona de transição entre a Zona da Mata e o Sertão”, como aprendemos na escola. O Agreste oferece riqueza cultural, gastronomia, paisagens e o melhor do artesanato pernambucano.

Fonte: Governo de Pernambuco

  
  

Publicado por em