Brasil todo precioso

Coleção de pingentes criada especialmente para o 6º Salão do Turismo exalta o mais belo e singular da fauna e flora do cerrado

  
  
Peça: tartaruga com águas marinhas

Ervas aromáticas, fibra de coco, ouro, tecidos naturais, osso, metais reciclados, citrino, raízes, pérolas e borracha. A combinação parece incompatível, mas originou uma coleção de pingentes criada com exclusividade para o 6º Salão do Turismo, que acontece de 13 a 17 de julho, no Anhembi, em São Paulo (SP).

A coleção Badul'acquas do Cerrado – que une matérias-primas da fauna e da flora do cerrado brasileiro a materiais ecostyle e gemas de alto valor de mercado – é uma amostra da mistura de Brasil que o visitante vai encontrar durante o maior evento do turismo brasileiro voltado para o público final.

Esta será a quarta vez que as designers Adeguimar Arantes e Ioná Arantes, proprietárias da marca goiana Flores de Gabi, levarão suas peças para o Salão do Turismo. Em pingentes para colares femininos, elas vão responder à seguinte pergunta: o que é que o cerrado tem? “É o que vão revelar as criações baseadas na iconografia de Caldas Novas e Rio Quente. As peças artesanais mostram um pouco dos municípios, falam um pouco da sua cultura e das suas belezas”, afirma Adeguimar.

Negócios futuros
A expectativa das empresárias é que os negócios gerados durante e por meio do 6º Salão do Turismo representem cerca de 30% do lucro anual da marca. O otimismo tem justificativa: o histórico de vendas do evento é marcado por saldos positivos. “Na edição de 2009, chegamos perto dos R$ 20 mil de lucro. Uma das peças foi vendida para uma empresária paraense. Depois desse primeiro contato, ela nos chamou para fazer uma exposição no estado do Pará e nós capitalizamos mais R$ 50 mil”, conta Adeguimar, que estima bater recorde de vendas pelo fato de o evento ser aberto ao público.

A marca Flores de Gabi e outras coleções de jóias artesanais serão expostas e comercializadas em 15 estandes do Espaço Jóias do Brasil, coordenado pelo Ministério do Turismo, em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e o Instituto Brasileiro de Gemas e Metais Preciosos (IBGM). As cinco macrorregiões brasileiras participam.

Os produtos têm como diferencial a diversidade de matérias-primas nacionais, tais como a prata, as pedras preciosas, couro de peixe e de jacaré, sementes, fibras naturais, casca de piaçava e ossos de animais, entre outros.

Além de representar uma oportunidade para prospecção de clientes e divulgação dos produtos, os ganhos do pós-venda são a aposta dos artesãos. De acordo com o secretário Colbert Martins, “esses microempreendedores estarão lá representando a sua cidade, o seu estado, e mostrando o melhor que temos em gemas e joias do Brasil, com grande qualidade de lapidação e design diferenciado. A abertura para o mercado e a captação de negócios é muito importante”.

O Ministério do Turismo visa sensibilizar operadores, agentes de viagens e empreendedores do setor turístico para a valorização dos produtos associados ao turismo e o estímulo à inserção deles na cesta de consumo do viajante.

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em