Paraíba promove Salão de Artesanato no embalo de São João

Evento reúne cerca de 600 artesãos do Estado e exibe para turistas a produção local

  
  

Com o tema 'Mãos de Barro', a décima edição do Salão de Artesanato da Paraíba será realizado no embalo do Maior São João do Mundo, em Campina Grande. Exibindo a produção artística de 600 artesãos cadastrados no programa 'A Paraíba em Suas Mãos', a estrutura montada especialmente para abrigar o salão será aberta ao público nesta sexta-feira (5), às 19 horas. Entre os parceiros do evento está o Sebrae/PB, que levará os seus projetos de artesanato para expor no local.

Com o objetivo de mostrar a habilidade dos artesãos, no espaço de 2.400 metros quadrados estarão vários estandes onde serão expostas desde arte produzida em fios e fibras e as louceiras do Sertão até as rendas renascença das cidades de Monteiro, São Sebastião de Umbuzeiro, São João do Tigre, Camalaú e Zabelê, que chamam atenção por sua delicadeza e personalidade, fazendo sucesso de norte a sul do País.

Segundo Verônica Ribeiro, gestora do Programa de Artesanato do Sebrae/PB, o público e os turistas podem esperar uma boa representatividade do artesanato do Estado feito pelas mãos habilidosas dos artistas. “Teremos entre os expositores oito ganhadores do Prêmio SebraeTop 100 de Artesanato, um dos mais importantes da categoria, mostrando que o artesanato da terra vem ganhando cada vez mais destaque pela sua qualidade e competitividade”.

Durante o salão espera-se movimentar cerca de R$ 1 milhão em vendas dos produtos paraibanos até o dia 28 de junho, com a circulação de 120 mjl pessoas, 25% a mais que o público do ano passado. A expectativa para o aumento da circulação dos visitantes leva em consideração o grande fluxo de turistas que vai a Campina Grande para participar do Maior São João do Mundo. Na capital do Estado, João Pessoa, o Salão sempre é realizado no início do ano, aproveitando a alta temporada de verão.

Artesanato e negócios

O salão, além de uma oportunidade de negociações imediatas, serve como espaço de encomendas e de negócios e resultados a longo prazo. Somente em cinco anos de existência, os ganhos movimentados na iniciativa apoiada pelo Sebrae/PB e Governo do Estado foram avaliados em mais de R$ 12 milhões em vendas diretas.

A atual coordenadora do programa do artesanato do governo, Marielza Rodrigues, disse que a área do salão foi toda planejada pela arquiteta Sandra Moura com foco no tema do evento. “Teremos mais espaço e uma ornamentação que destaque mais o nosso artesanato. O layout do evento é importante também para manter o gosto do visitante pelas peças expostas”, definiu Marielza.

O evento também terá outros destaques como peças em cerâmica, couro, fios, tecelagem, metal, madeira e até os tradicionais brinquedos populares. Os preços das peças variam de R$ 2,00 até R$ 300,00, em todos os segmentos artesanais. O visitante poderá comprar chapéus de couro por R$ 10,00, colares de argila por R$ 40,0 e peças africanas a partir de R$ 200,00.

Arte familiar

Apesar do programa do artesanato paraibano atender diretamente a quase cinco mil artesãos, estima-se que cerca de 25 mil se beneficiem com a negociação dos produtos, segundo informou, Verônica. “Cada família que trabalha com artesanato tem, pelo menos, mais cinco membros ganhando com o trabalho”, explicou a gestora.

Um dos artesanatos paraibanos que saiu do anonimato e que é a prova da qualidade do produto no Estado é a Renda Renascença, do Cariri. A maior parte das artesãs são mulheres e jovens que já conseguiram montar associação e ter uma lucratividade de um salário mínimo. “A meta do programa é fazer com que todos os artesãos envolvidos ganhem pelo menos nesta faixa, visto que a atividade em grupo proporciona melhores condições de desenvolver o produto regional”, disse Verônica.

Serviço:
Sebrae na Paraíba - (83) 2108-1100

Fonte: Agência Sebrae de Notícias

  
  

Publicado por em