Taboa vira fonte de renda para artesãos do Espírito Santo

Associação de Artesãos de Guarapari, criada há dois anos, é escolhida pelo Sebrae como uma das 100 melhores unidades do País

  
  
Dos manguezais e lagoas para vitrines: taboa vira peças criativas nas mãos de artesãos de Guarapari (ES)<br />

Da taboa, abundante na lagoa Mãe Ba, artesãos de Guarapari, no Espírito Santo, retiram seu sustento. A fibra, antes desprezada, hoje é usada na fabricação de mais de 270 itens como bolsas, souplats, carteiras e cachepots. Escolhida como uma das 100 melhores unidades produtivas do País no prêmio Top 100 de Artesanato, do Sebrae, os 22 membros da associação comemoram a conquista.

“Fomos pegos de surpresa. Todo mundo almejava o Top 100, mas ninguém esperava que pudéssemos conseguir com apenas dois anos de trabalho”, festeja o presidente da Associação dos Artesãos do Núcleo de Artesanato em Taboa, César Weslley Conti Nunes.

O grupo foi estruturado com a ajuda do Sebrae e da filial da Samarco Mineração. “Ninguém tinha trabalho por aqui, então a mineradora nos ajudou com um programa de geração de renda”, explica.

De outubro a dezembro de 2006, os artesãos fizeram cursos no Sebrae e logo receberam a primeira encomenda da empresa para fazer quatro mil caixinhas de 7 x 7. “Acho que eles queriam ver se a gente tinha aprendido”, brinca Conti.

Em março, o grupo foi surpreendido mais uma vez com outro pedido de duas mil caixas, desta vez da sede da Samarco em Belo Horizonte. Foi a partir daí que os artesãos se deram conta de que era preciso investir ainda mais no conhecimento.

“Percebemos que o negócio não ia só ficar daquele jeito. Aí, fizemos uma reunião para discutir o que fazer. Para não ficar marcando passo e ter um negócio rentável, decidimos parar tudo. Procuramos o Sebrae e, durante três meses, fizemos todos os cursos possíveis”, explica Nunes.

Enquanto aprendiam design, formação de preços, associativismo, cooperativismo, marketing e artesanato, os artesãos entraram com pedido para formalizar a associação. Com a ajuda do Sebrae, “parceiro de primeira hora”, reforça Nunes, os artesãos começaram a participar de feiras e exposições. Hoje, o grupo vende para oito estados.

Orgulhoso da trajetória, o presidente da Associação conta que, em setembro passado, o grupo ficou em segundo lugar em um concurso internacional de saúde e sustentabilidade realizado na Austrália, onde concorreram com 280 países.

O crescimento da associação também beneficia outros profissionais como serralheiros e sapateiros. “Hoje, temos mais de 150 pessoas envolvidas com o nosso trabalho”, diz Nunes. Preocupados com a qualidade, ele conta ainda que toda a produção passa por uma análise rigorosa. “Qualquer peça mal acabada é rejeitada”, reforça.

“Agora, quando recebemos a notícia de que fomos escolhidos pelo Top 100, ficamos ainda mais emocionados e certos de que estamos fazendo direito o nosso trabalho. Mas já falei para o pessoal: chegar foi difícil, mas agora precisamos trabalhar ainda mais para permanecer”, diz Nunes.

Serviço:
Agência Sebrae de Notícias - (61) 2107-9138 e 2107-9362 www.agenciasebrae.com.br
Associação dos Artesãos do Núcleo de Artesaanto em Taboa - (28) 3536 5170

Fonte: Agência Sebrae de Notícias

  
  

Publicado por em

Heloisa Bessa

Heloisa Bessa

26/03/2012 09:30:15
Parabéns aos artesãos e que continuem fazendo sucesso. O lado esquerdo da lagoa próxima ao Vilage dos Pássaros na Nova Guarapari está praticamente tomado pela taboa e gostaria de saber se existem planos de aproveitamento do material.

Sonia Regina M. Silva

Sonia Regina M. Silva

14/02/2012 16:37:02
Parabéns, fico muito feliz com o sucesso de vocês, pois sei o quanto é difícil ver o nosso trabalho valorizado. Sou pedagoga aposentada e amo fazer artesanato,gostaria muito de poder participar de uma oficina oferecida por vocês, quando surgir gostaria de ter oportunidade de fazer. Um grande abraço a todos.

Maria José Alves Silva

Maria José Alves Silva

04/11/2011 12:39:52
Amaei e fico feliz que as pessoas possam sobreviver com a Taboa. Aqui na Bahia estou tentando reviver está história om a Taboa mas estou sofrendo muito a rejeição. Estou querendo participar de encontros e oficinas onde eu possa aprender mais pois quero fazer com as mulheres carentes, com o objetivo de fazer com que elas tenha uma renda. Mas aqui na Bahia está dificil. Mas eu vou tentar até conseguir. Se vocês poderem me ajudar eu gostaria de participar de uma oficina. Mas é um trabalho lindo Parabéns!