Castelo do Piauí prepara a quinta edição do Cachaçafest

Além de importante sítio arqueológico, região do município piauiense é um pólo produtor de cachaça de alambique

  
  

A banda de pagode paulista Raça Negra será uma das atrações do 5º Cachaçafest 2009, com realização programada para 24 a 26 de julho, na cidade de Castelo do Piauí, 190 km ao norte de Teresina. Agronegócios, turismo, artesanato e gastronomia serão alguns dos setores econômicos evidenciados durante a quinta edição do Cachaçafest.

O evento é uma realização do Sebrae/PI, da Prefeitura Municipal de Castelo do Piauí e do Governo do Estado. Castelo é uma cidade cuja economia está voltada para o agronegócio da cachaça de alambique, que cria postos de trabalho e garante renda para muita gente. Com o Cachaçafest, setores como a gastronomia, o turismo e o artesanato foram fortalecidos.

Segundo o presidente do Conselho Deliberativo Estadual do Sebrae/PI, Ulysses Gonçalves Nunes de Moraes, "a cada edição do Cachaçafest registramos que o evento se consolida como uma fonte geradora de divisas para o município”. Castelo é também um pólo turístico e importante sítio arqueológico.

Durante o evento serão realizadas visitas às fábricas de cachaça e passeios turísticos ao Canyon do Rio Poti, à Pedra do Castelo e suas pinturas rupestres, aos Castelos das Barrocas e dos Tucuns, ao Pico do André e a Baixa do Cajueiro. Na quinta edição do evento, também haverá passeios a roteiros turísticos nos municípios de Buriti dos Montes e São Miguel do Tapuio, cidades vizinhas a Castelo.

O superintendente do Sebrae/PI diz que “é bom ver que realizamos ações com resultados surpreendentes. O Cachaçafest é um desses eventos, pois a cada edição cresce o número de turistas e as capacitações são ampliadas com grande participação dos empreendedores. O município se prepara para realizar um evento de qualidade, que vai gerar oportunidades de trabalho e de renda”.

Artesanato e Gastronomia

Uma feira na Praça Aluísio Lima, centro de Castelo, vai revelar outra vocação da região: o artesanato rico e variado em couro, crochê, bordados e bonecas de pano.

Os sabores de Castelo do Piauí também serão ressaltados durante o Cachaçafest. Pratos como a galinha mergulhada e os doces típicos da região serão comercializados pelos restaurantes da cidade.

Uma série de treinamentos já estão sendo realizados junto aos meios de hospedagem de Castelo. São capacitações em atendimento e em culinária. "Outra ação será dar acompanhamento às oito tendas de alimentação que serão instaladas na Praça Aluísio Lima e que vão funcionar à noite durante os shows do festival”, informa a gestora do Projeto de Eventos do Sebrae/PI, Ceres Rebelo.

Mercado

A cachaça de alambique fabricada no Piauí vem adquirindo mais qualidade desde que o Sebrae iniciou um projeto de desenvolvimento dessa cadeia produtiva. Atualmente, oito municípios piauienses são responsáveis pela produção de cachaça no Estado: José de Freitas, Castelo do Piauí, Amarante, São João da Serra, Pedro II, Barras, Palmeira do Piauí e Pedro II.

“O mercado já melhorou bastante, houve uma inovação no processo produtivo, trabalhando solo, a variedade de cana, o design da embalagem. E nosso maior objetivo é tornar a cachaça mais competitiva e com qualidade. A cachaça de alambique é consumida por públicos diferenciados, mas atualmente tem conquistado um público com maior poder aquisitivo. Um exemplo disso foi a participação do setor na mostra Piauí Sampa: as oito marcas levadas a São Paulo fizeram boas vendas”, explica a gestora do Projeto da Cachaça do Sebrae/PI, Rosângela Pires.

O setor gera sete mil empregos diretos e indiretos, fabrica 3,5 milhões de litros da bebida e movimenta por ano, uma quantia expressiva para o Estado: R$ 8 milhões. De acordo com a Associação Piauiense dos Produtores de Cachaça (APPC), somente Castelo do Piauí é responsável pela produção de 2,5 milhões de litros de cachaça por ano.

“O Projeto de Cachaça, está fazendo junto com a APPC um planejamento estratégico, redefinindo ações e reposicionando o produto. Estivemos na Piauí Agroshow em Bom Jesus, e continuamos as consultorias tecnológicas junto aos produtores. Uma boa notícia é a formação da Associação dos Produtores de Cachaça de Pedro II. Os doze produtores daquele município criaram uma marca, a Opala Verde, que terá o apoio do Banco do Nordeste”, explica a gerente da Unidade de Desenvolvimento Territorial do Sebrae/PI, Ana Lucia Pereira.

Serviço:
Sebrae no Piauí - (86) 3216-1387
Gerente Ana Lúcia Pereira - (86) 9405-5804

Fonte: Agência Sebrae de Notícias

  
  

Publicado por em