Em Olinda, bloco mantém tradição de só sair na quarta-feira de cinzas

O desfile na Quarta-Feira de Cinzas é uma tradição na cidade, reunindo milhares de pessoas, que se concentram no Alto da Sé, no centro histórico.

  
  
Bloco 'Bacalhau do Batata'

Enquanto na vizinha Recife, a maioria começa a voltar ao trabalho, retomando as atividades do dia-a-dia, em Olinda, o carnaval continua, com o Bacalhau do Batata.

O desfile na Quarta-Feira de Cinzas é uma tradição na cidade, reunindo milhares de pessoas, que se concentram no Alto da Sé, no centro histórico.

Tudo começou com o garçom Isaías Pereira da Silva, o Batata, que, por causa da profissão, não tinha como brincar o carnaval.

Em 1947, Batata criou o bloco para sair na quarta-feira, com foliões fantasiados e ao som do frevo. Assim, as pessoas que trabalhavam durante o carnaval passaram a ter seu primeiro e único dia de folia no carnaval pernambucano.

O sucesso foi tão grande que hoje o desfile do Bacalhau do Batata faz parte do calendário turístico de Olinda. Outras cidades copiaram a iniciativa do garçom, que morreu em 1993, mas deixou a festa. Em todas as Quartas-Feiras de Cinzas, os foliões percorrem as ruas de Olinda e todos os que querem aproveitam para dançar frevo ao som da orquestra do bloco.

Neste dia, são poucos os foliões de outros blocos que saem pelas ruas da cidade. Hoje, além do Bacalhau do Batata, viram-se no centro histórico apenas alguns integrantes do Bloco da Quarta, que passaram pela Rua Prudente de Morais cantando e dançando.

Segundo a programação oficial da cidade, 51 blocos devem continuar com o carnaval hoje – o último deve sair às 19h. A pouca chuva que caiu não desanimou os foliões e o sol logo voltou a brilhar. Em Olinda, de cinzas, a quarta-feira não tem nada.

Fonte: Agência Brasil
Esta notícia está licenciada sob Licença Creative Commons Atribuição 2.5.

  
  

Publicado por em