Gastronomia atrai turistas a festivais regionais

A gastronomia brasileira é considerada muito boa para 89% dos turistas brasileiros e 97% dos estrangeiros, de acordo com um estudo do Ministério do Turismo

  
  

Aos amantes da boa gastronomia sobram motivos para viajar pelo Brasil. A partir deste mês começa a temporada de festivais gastronômicos, com sabores para todos os gostos.

No fim de semana (13 e 14 de junho), Pirenópolis (GO) sediou a décima edição do festival da cidade, com expectativa de reunir 20 mil visitantes e movimentar R$ 5 milhões na economia local.

Outra opção é o festival de Fortaleza, marcado para ocorrer entre os dias 19 e 21 de junho. A expectativa é reunir cerca de 12 mil pessoas no Shopping Iguatemi na capital cearense. A programação prevê mais de 80 atividades gastronômicas e presença de 70 chefs.

O número de viajantes que arruma as malas com destino a um dos mais de duzentos festivais gastronômicos que ocorrem todo ano pelo país é cada vez maior.

Os gastos com alimentação estão entre as principais despesas dos turistas brasileiros, atrás apenas do transporte, de acordo com a última Pesquisa de turismo doméstico do Ministério do Turismo.

A variedade de sabores e de novos chefs de cozinha aumenta ainda mais o apelo turístico de alguns destinos brasileiros. A gastronomia brasileira é considerada muito boa para 89% dos turistas brasileiros e 97% dos estrangeiros, de acordo com um estudo do Ministério do Turismo.

Em julho será a vez do festival de Búzios, que deve atrair 30 mil pessoas entre os dias 3 e 11. Nesta edição participam cerca de 45 restaurantes com as tradicionais mesas montadas em diferentes pontos da cidade.

Segundo os organizadores, a ocupação hoteleira de Búzios deve alcançar 90% durante os dias do evento. O calendário de festivais segue até agosto em Tiradentes (MG), entre os dias 21 e 30.

A expectativa é superar os números de 2014, quando o evento atraiu cerca de 40 mil turistas e teve a participação de aproximadamente 90 chefs, produtores, expositores e outros membros da cadeia produtiva do setor.

A gastronomia é uma das bases da estrutura do turismo para o lazer e para o negócio, segundo o diretor do Departamento de Estudos e Pesquisas do Ministério do Turismo, José Francisco Lopes.

"Outra boa notícia é que a vocação gastronômica de parte das cidades só agora começa a ser incorporada aos destinos. Ainda há muito a se conhecer".

O Senac tem 16 restaurante-escola no país responsáveis por boa parte da formação de mão de obra na área de gastronomia. Há cursos de qualificação profissional para garçons, bartenders, de especialização em confeitaria e harmonização de vinhos. Apenas na unidade de Brasília passaram pela escola 850 alunos.

Visite: www.revistaecotour.tur.br

Fonte: MTur / Gustavo Henrique Braga e Carolina Valadares

  
  

Publicado por em