Acordo com índios xucuru deve por fim aos conflitos em Pesqueira-PE

O ministro da Secretaria Especial de Direitos Humanos, Nilmário Miranda, disse à Agência Brasil, que a situação no município de Pesqueira (PE) já está calma. Ele contou que o clima esteve muito tenso na manhã do sábado (08/2), quando chegou à região

  
  

O ministro da Secretaria Especial de Direitos Humanos, Nilmário Miranda, disse à Agência Brasil, que a situação no município de Pesqueira (PE) já está calma.

Ele contou que o clima esteve muito tenso na manhã do sábado (08/2), quando chegou à região para acompanhar as investigações sobre o atentado contra o cacique Marcos Luídson de Araújo, o Marquinho Xucuru. Mas explicou que os índios, embora ainda estejam profundamente indignados com a violência sofrida, garantiram que a situação já está controlada.

O ministro informou que a Funai e a Secretaria Especial de Direitos Humanos fizeram um acordo com o cacique Marquinho e que ele garantiu que o povo Xucuru vai confiar as investigações à Polícia Federal e cessar os conflitos.

A Polícia Federal e a Polícia Militar também ficaram encarregadas de oferecer segurança à casa da mãe do cacique, sob supervisão da Funai. O caso está sob o comando do delegado Jorge Cunha, da Polícia Federal.

O ministro disse que sua ida a Pernambuco visou buscar garantir a integridade da comunidade da região de Pesqueira e o rigor nas investigações sobre a violência contra os índios. O índio Marquinho Xucuru, liderança local, foi ferido e dois outros índios morreram numa emboscada que teria sido armada por outro índio, Louro Frazão, supostamente ligado a fazendeiros da região. Um dos supostos envolvidos no atentanto ja foi identificado e preso. Os corpos dos dois índios mortos foram encaminhados ao Instituto Médico Legal de Recife.

Representantes do Movimento de Defesa dos Direitos Humanos e do Conselho Indigenista Brasileiro (Cimi) estiveram ontem no local para acompanhar o desenrolar dos acontecimentos.

Após o atentado, o clima na região da serra do Ororubá ficou tenso e ontem à noite, índios Xucurus puseram fogo em cinco casas e quatro carros dos Xucurus de Cimbres. Por medida de segurança, o líder do grupo, Espedito Alves, e 20 pessoas da família foram retirados da reserva e colocados sob proteção da Polícia Militar.

O deputado federal Fernando Ferro, integrante da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, e o secretário de Defesa Social de Pernambuco, Gustavo Rodrigues, também acompanharam a visita do ministro Nilmário Miranda à região.

Fonte: Agência Brasil

  
  

Publicado por em

Marcos França

Marcos França

16/09/2010 08:06:04
As autoridades brasileiras deveriam dar mais atenção aos nossos indios pois essas terras antes eram deles. E por obrigação devemos preservar as nossas raizes. A cultura indígina, sua lingua e seus costumes.