Senador Morazildo destaca crítica a demarcação de terras indígenas em Roraima

O senador Mozarildo Cavalcanti (PFL-RR) registrou em Plenário, na sexta-feira (13/12), críticas feitas por três associações de representação indígena ao processo de demarcação de terras em Roraima. O parlamentar leu manifestos enviados a ele e ao pres

  
  

O senador Mozarildo Cavalcanti (PFL-RR) registrou em Plenário, na sexta-feira (13/12), críticas feitas por três associações de representação indígena ao processo de demarcação de terras em Roraima.

O parlamentar leu manifestos enviados a ele e ao presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva pelas entidades, "insatisfeitas" com a transformação em área contínua do território indígena Raposa-Serra do Sol, na fronteira com a Venezuela e a Guiana. O documento também faz crítica à indicação do CIR - Conselho Indígena de Roraima para receber o prêmio de Direitos Humanos, a ser entregue pelo presidente da República.

As entidades Sodiur - Sociedade de Defesa dos Índios Unidos do Norte de Roraima, Arikom - Associação Regional Indígena dos Rios Kinô, Cotingo e Monte Roraima e Alidcir - Aliança de Integração e Desenvolvimento das Comunidades Indígenas de Roraima acusam o CIR de "insuflar e treinar" os índios para invadir fazendas, roubar gado e depredar propriedades e patrimônios públicos.

E advertem para a deflagração de um conflito indígena "gigantesco e sangrento", se a CIR promover invasões e concretizar ameaças de expulsão e agressão nas áreas indígenas que contestam sua liderança.

"Se a área indígena Raposa-Serra do Sol for demarcada de modo contínuo, vai haver uma inevitável guerra entre nós", alertam as entidades citadas pelo senador.

CRITÉRIOS

Referindo-se a pronunciamento feito pelo senador Mozarildo Cavalcanti (PFL-RR), que o antecedeu na tribuna, o senador Lúdio Coelho (PSDB-MS) disse não compreender os critérios que estão sendo utilizados para a demarcação de terras indígenas.

Para ele, se o critério a ser adotado for o de tornar reserva indígena as áreas onde existiu índio, o Brasil inteiro será demarcado.O senador defendeu a importância de o Poder Legislativo determinar com precisão o que é e o que não é terra indígena, para que haja harmonia no campo e sejam evitados conflitos "absolutamente improcedentes".

Fonte: Jornal do Senado

  
  

Publicado por em