Moradores de Mauá conhecem projeto para o gerenciamento sócio-ambiental

Cerca de 40 moradores da Região de Visconde de Mauá (RJ e MG) participaram no último dia 13/12 da reunião que apresentou o programa de Gestão Sócio-Ambiental da Micro-Bacia Hidrográfica do Alto Rio Preto, proposto pela ONG Crescente Fértil em parceria com

  
  

Cerca de 40 moradores da Região de Visconde de Mauá (RJ e MG) participaram no último dia 13/12 da reunião que apresentou o programa de Gestão Sócio-Ambiental da Micro-Bacia Hidrográfica do Alto Rio Preto, proposto pela ONG Crescente Fértil em parceria com a Nova Terra e outras entidades.

O encontro foi muito produtivo e contou com uma platéia atenta e interessada no programa que pretende possibilitar o adequado gerenciamento ambiental, contribuindo para melhorar a qualidade de vida da população e proteger a biodiversidade, além de incentivar a elaboração de um Plano de Gestão da APA (Área de Proteção Ambiental) da Serra da Mantiqueira.

A equipe técnica responsável pelo desenvolvimento do programa afirma que o sucesso desse trabalho depende principalmente da participação dos moradores, que irão contribuir com o retrato social, ambiental e econômico da localidade para nortear todas as diretrizes de ações do projeto durante os próximos 20 meses.

Nesta reunião inicial, foram registradas as participações de moradores de oito localidades, que desempenham cerca de 15 atividades diferentes em suas comunidades. Todos eles gostaram do projeto e pretendem atrair mais pessoas para esta mobilização.

A iniciativa, financiada pelo Fundo de Parceria para Ecossistemas Críticos (CEPF) e Ashoka Empreendedores Sociais, vem conquistando novos aliados há tempos. No dia 02 de dezembro, organizações que atuam nas diversas vilas da região de Visconde de Mauá assinaram um Acordo de Parceria para lutar para que esse sonho se torne realidade.

E agora, dia 13 de dezembro,moradores e apaixonados pela região entraram nessa grande rede com um grande objetivo: colaborar para que o Programa atenda às reais necessidades da microbacia hidrográfica do alto Rio Preto, por meio de seu gerenciamento integrado e sustentável.

Fonte: Crescente Fértil

  
  

Publicado por em