Philips investe em responsabilidade social e na ação voluntária

Com os trabalhos voluntários e vários projetos sociais a Philips já beneficiou milhares de estudantes da rede pública nos Estados de São Paulo, Amazonas, Minas Gerais e Pernambuco. Para o ano de 2003 a empresa espera atingir ainda mais estudantes e contar

  
  

Com os trabalhos voluntários e vários projetos sociais a Philips já beneficiou milhares de estudantes da rede pública nos Estados de São Paulo, Amazonas, Minas Gerais e Pernambuco. Para o ano de 2003 a empresa espera atingir ainda mais estudantes e contar com uma força maior de voluntários.

A empresa entende que o papel no futuro das nações vem mudando já há algum tempo. Tradicionalmente o papel social destas empresas já não é mais gerar emprego e pagar impostos corretamente.

Na atualidade percebe-se uma clara mudança evolutiva neste papel, e cada vez mais as grandes corporações estão agregando novos valores e novas dimensões. As empresas têm uma responsabilidade maior e mais ampla perante as comunidades em que atuam.

A Philips já vem pensando e agindo assim desde de 1994, quando deu início a um projeto ambiental denominado
Ecovision. Com esta e outras ações, a empresa não apenas contribui para a melhoria da qualidade de vida das pessoas, mas também das comunidades onde atua, estimulando seus funcionários e familiares a se envolverem em ações sociais e contribuindo para a diminuição do impacto das injustiças sociais.

A partir de 2000, quando se criou o Comitê de Responsabilidade Social, a Philips optou por apoiar programas em educação, saúde e em meio ambiente porque vislumbrou aí uma oportunidade de participar e contribuir para o bem coletivo, já que a educação é um componente essencial para o desenvolvimento de um país, e para uma melhor distribuição de renda.

Transformando palavras em ações

A Philips sempre realizou diversas ações nas áreas de meio ambiente, saúde, cultura e educação. Inicialmente as ações aconteciam isoladamente e de forma independente. A partir daí, surgiu a necessidade de estruturar um projeto que abrangesse todas as áreas na quais a empresa já atuava, de modo a ordenar e abrigar todos os projetos que vinham sendo realizados, porém de uma forma mais bem estruturada e com um objetivo bem definido, de modo que todas as unidades Philips trabalhassem alinhadas a este foco.

Todas as ações e projetos inicialmente eram lançados para o público interno da Philips, conforme a sua aceitação e adesão o projeto começava a ser pensado para o público externo.

Em 2000 a Philips montou seu primeiro grupo de trabalho para discutir a forma de elaboração de um programa completo de Responsabilidade Social. Este grupo logo depois passou a se chamar Comitê de Responsabilidade Social com o objetivo de estruturar as ações, contemplando sempre as áreas de meio ambiente, saúde e educação.

Para exemplificar, desde 1993 a Philips já patrocinava o Prêmio Philips de Arte (denominado atualmente como Philips Art Expression para Jovens Talentos), em 1994 a empresa tinha um projeto ambiental denominado Ecovision, patrocinou diversas orquestras (ex. Royal Concertgeboww Orchestra), Instituto Qualidade no Ensino, Fundação Abrinq, etc.

`Os projetos de responsabilidade social de uma empresa jamais solucionarão todos os problemas sociais de um país, mas sua contribuição potencial para a construção de um mundo melhor torna-se cada vez mais evidente,` comenta Flávia Moraes, gerente-geral de Responsabilidade Social da Philips para a América Latina e uma das incentivadoras e voluntárias dos projetos.

Projetos atuais

O projeto Doe Vida é um dos projetos que a Philips implementou em 2001. Neste programa a empresa não apenas recruta,mas treina voluntários entre seus funcionários para promover dinâmicas, com foco na prevenção de doenças sexualmente transmissíveis e gravidez a estudantes do ensino médio de escolas públicas.

O programa foi elaborado internamente por um
comitê coordenado por Elizabeth Nogueira, do Departamento de Saúde, com o auxílio da organização não-governamental GTPOS (Grupo de Trabalho e Pesquisa em Orientação Sexual), das Secretarias de Educação Estaduais e do Conselho Nacional Empresarial para Prevenção de DST/Aids.

A importância do Doe Vida foi reconhecida pelo mercado, o programa venceu em 2002 o 1o Prêmio Marketing Best Responsabilidade Social, promovido pela Editora Referência, Fundação Getulio Vargas e Madiamundomarketing e em 2003 ganhou o Top Social ADVB (Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Nordeste).

Além disso, o projeto figura nos sites do Ministério da Saúde e do Fórum Econômico Mundial e será utilizado como case no II Fórum sobre HIV/AIDS/DST da América Latina e Caribe, realizado em Cuba.

Aprendendo com a Natureza é mais um projeto da Philips que tem como objetivo levar a discussão sobre meio ambiente a escolas públicas além de incentivar e despertar a curiosidade na criança a apreciar e preservar o meio ambiente. Com este programa a empresa busca despertar a consciência ambiental em estudantes de ensino fundamental de 7 a 10 anos, chamando a atenção para as características ambientais de suas respectivas regiões geográficas.

O programa consiste na promoção de atividades com os alunos em escolas de São Paulo, Manaus, Varginha, Recife e Mauá.O Kit Aprendendo com a Natureza, utilizado no projeto em 2002, ganhou o prêmio Top Social. Faz parte do kit uma máquina fotográfica que os professores utilizam para realizar as atividades de estudo do meio e para registrar as pesquisas sobre biodiversidade.

`Aprendendo com a Natureza` não é a única ação de responsabilidade social da Philips ligada à preservação do meio ambiente. A empresa edita uma série com 14 folhetos educativos sobre Parques Nacionais - em versões em português, espanhol e inglês -, que são distribuídos gratuitamente a seus visitantes, além de publicar guias sobre regiões do Brasil.Quatro já foram editados, sendo o Guia Philips Nordeste o mais recente.

Este foi o primeiro guia de ecoturismo feito
especificamente sobre a região. Editado pela Horizonte Geográfico, o guia tem versões em português e inglês, traz informações detalhadas sobre os nove Estados Nordestinos e mostra que, além das praias paradisíacas, há muitos outros lugares a serem explorados. A venda dos guias financia a produção dos folhetos sobre Parques Nacionais.

Há nove anos a Philips promove o Prêmio Art Expression para Jovens Talentos que tem como objetivo incentivar trabalhos inéditos de arte analógica e digital pela América Latina. O prêmio é voltado para estudantes de Artes Plásticas e áreas afins, de 18 a 30 anos.

Foi criado pela Philips Brasil, mas atinge atualmente também 12 países: Argentina, Chile, Colômbia, El Salvador, Equador, México, Peru, Paraguai, Uruguai e Venezuela. Os trabalhos finalistas ganham uma
exposição no Brasil.

Os resultados obtidos pela Philips são bastante significativos: no início de 2001 o número de voluntários foi de 261, atingindo nove mil alunos da rede pública de ensino. Em 2002, com a expansão do programa, o número de voluntários foi para 445, atingindo assim 12 mil alunos no total.

No Aprendendo com a Natureza, o total de escolas beneficiadas foi de 14.675 no ano de 2001. Já os Guias Philips e Folhetos de Parques Nacionais atingiram 60 mil pessoas, com uma tiragem de 20 mil exemplares. Este número tende a crescer, já que o número de adesão a cada projeto novo é bastante significativo. Este ano, com as novas inscrições, a Philips contará com aproximadamente 800 voluntários.

`Tendo o ser humano como centro de tudo que faz, a Philips pretende estabelecer novos parâmetros de qualidade de vida,`disse Marcos Magalhães, presidente da Philips para América Latina.

`Isso será alcançado não apenas através de produtos de alta tecnologia e design em benefício do Homem, mas também participando e contribuindo para o bem coletivo, sendo um agente efetivo de melhoria social e mobilização das pessoas.`

Próximos passos

As próximas ações para 2003 já estão sendo realizadas. Um dos projetos que já começou a dar frutos foi a EIC Philips, uma escola voltada para o ensino básico de informática. A primeira turma de alunos formados pela EIC Philips deve sair no começo de abril em São Paulo. Além desta, a Philips conta com uma EIC na sua unidade de Recife, e duas outras que serão inauguradas em Manaus e Capuava (SP).

Fora os projetos externos, a Philips tem projetos internos: Conscientização, Diversidade, Reciclagem, Voto Consciente. Todas estas ações compõem, na realidade um único projeto que tem por objetivo desenvolver a cidadania nos funcionários Philips. A cada ano a empresa pretende desenvolver uma ação diferenciada, que não esteja absolutamente relacionado aos temas saúde,educação e meio ambiente.

No ano passado o projeto diferenciado foi o Voto Consciente, neste ano será Diversidade – que trabalhará a questão do preconceito de sexo, cor, classe social, etnia, idade e portadores de necessidades especiais. Assim como o Doe Vida e Aprendendo com a Natureza, podem gerar projetos a serem utilizados fora dos limites da empresa.

Sobre a Philips

A Philips do Brasil é uma subsidiária da Royal Philips Electronics da Holanda e atua no País há 78 anos. Líder dos mercados locais de eletroeletrônicos, equipamentos para recepção de TV por assinatura via satélite, eletrodomésticos portáteis, produtos para cuidados pessoais, iluminação e componentes eletrônicos, a Philips do Brasil atua ainda nos setores de telecomunicações, informática e equipamentos médico-hospitalares.

Fonte: Ass.Imprensa da Philips do Brasil

  
  

Publicado por em

ANDRESSA

ANDRESSA

25/04/2009 16:57:57
ÓTIMA ACÃO.... É POR ISSO QUE EMPRESAS ASSIM CRESCEM CADA VEZ MAIS..PENSANDO NO PRÓXIMO, SE PREOCUPANDO COM O FUTURO (TODOS SABEMOS QUE O QUE ESTA EM JOGO É O FUTURO). ASSIM SE CADA EMPRESA FIZESSE SUA PARTE O MUNDO SERIA MELHOR ...PARABENS QUE DEUS ABENÇOE VOCÊS ..