Revitalização da Bacia do Bacanga / MA

A execução do projeto acontecerá no decorrer dos próximos cinco anos e tem amplas perspectivas de ser considerado referência no âmbito dos programas de melhoria em grandes centros urbanos

  
  

A prefeitura começou a tomar as primeiras providências para garantir o Projeto Bacanga, como é popularmente conhecido o Programa de Recuperação Ambiental e Melhoria da Qualidade de Vida da Bacia do Bacanga, que será financiado pelo Banco Mundial (Bird) e pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do governo federal. A revitalização mobilizará recursos na ordem de 59,4 milhões de dólares, sendo que 60% vêm da instituição financeira e 40% serão de contrapartida da prefeitura.

Segundo a secretária municipal de Planejamento e Desenvolvimento, Amparo Melo, o envolvimento da população local, durante todo o processo de revitalização da bacia, é essencial para a efetividade do programa. A execução do projeto acontecerá no decorrer dos próximos cinco anos e tem amplas perspectivas de ser considerado referência no âmbito dos programas de melhoria em grandes centros urbanos, já financiados pelo Bird.

Para a revisão, adequação e ajuste do Projeto Bacanga, a Secretaria Municipal de Planejamento e Desenvolvimento (Seplan), como articuladora da equipe da prefeitura, promoveu, na semana passada, uma série de oficinas de trabalho com a participação de secretários e de técnicos diretamente envolvidos com o projeto. O objetivo é operacionalizar a execução do programa.

O consultor do Bird, Enrique Asturizaga, participou das reuniões, acompanhando a concepção do trabalho, em todas as suas fases. Discutiram o projeto representantes da Secretaria de Projetos Especiais, executora do programa, além dos órgãos municipais que nele possuem atribuições diretas: turismo, urbanismo, obras e serviços, assistência social, meio ambiente, fazenda, controladoria e procuradoria.

Ações

O projeto estabelece como ações o fortalecimento da gestão municipal, o desenvolvimento econômico do município com iniciativas que gerem emprego e renda e melhoria da condição sanitária. Inclui ainda a proteção ambiental à população da área estimada em 67 mil pessoas, distribuídas em 45 bairros da Bacia do Bacanga, que receberão serviços de abastecimento de água, com 100 km de rede de esgotos sanitários e 80 km de tubulação para o tratamento de efluentes e a recuperação de 10 km de canais de drenagem nos bairros Salinas e Coroadinho.

“Estas intervenções trarão benefícios à saúde pública, sobretudo, nas áreas que não eram atendidas pelo sistema, o que certamente se revestirão em melhorias na qualidade de vida da população”, frisou o prefeito de São Luís, João Castelo. O projeto prevê, ainda, uma área de lazer de 10.000 m2, além da implementação de um Plano de Gestão do Parque Estadual do Bacanga.

No que diz respeito às melhorias urbanas e gestão ambiental, o Programa do Bacanga prevê impactos nos eixos da educação ambiental, preparando a população para receber e manter todos os serviços e equipamentos públicos, que propiciarão a melhoria da qualidade de vida de todos, por meio de ações de reciclagem e de reaproveitamento.

Para firmar o compromisso da atual gestão municipal com o programa, a secretária de Planejamento e Desenvolvimento, Amparo Melo, recebeu, na última quinta-feira, uma comitiva formada por lideranças comunitárias da área do Bacanga para conhecer os anseios da população e compartilhar informações acerca do avanço das ações previstas na região. Com o mesmo objetivo, diversos eventos, junto à comunidade, estão previstos, e contarão, inclusive, com a presença de especialistas da alta administração do Banco Mundial.

Fonte: O Imparcial / MA

  
  

Publicado por em