ABAV e SEBRAE se unem para revitalizar o agenciamento de viagens

Duas instituições referenciais em âmbito nacional – SEBRAE E ABAV – firmaram parceria, há quase dois anos, através do PROAGÊNCIA (Programa de Desenvolvimento Setorial em Agenciamento e Operaç&otil

  
  

Duas instituições referenciais em âmbito nacional – SEBRAE E ABAV – firmaram parceria, há quase dois anos, através do PROAGÊNCIA (Programa de Desenvolvimento Setorial em Agenciamento e Operações Turísticas) para melhorar a qualidade e incrementar a competitividade das Agências de Viagens do país.

Fatores como crise aérea, câmbio desfavorável, corte nas comissões por parte das companhias aéreas e o impacto da Internet no mundo dos negócios do turismo contribuíram para a tomada de decisão. Era preciso repensar e reordenar, em profundidade, todo o funcionamento do setor.

O primeiro passo foi a realização de uma pesquisa ampla, para se tomar conhecimento da realidade. A partir deste documento, divulgado em 2006 no 34º Congresso Brasileiro de Agências de Viagens – Feira das Américas, foi possível estabelecer metas e planejar estratégias, incluindo treinamento para a equipe gerencial, administrativa, técnica, operacional e comercial das Agências de Viagens.

O passo seguinte foi a realização, em todas as capitais brasileiras, do Fórum de Gestão para Gestores, um programa presencial dedicado a despertar, instigar e provocar mudanças de atitude ante o novo cenário. Cerca de 800 Agentes de Viagens participaram, credenciando-se para a próxima etapa, que foi o Curso de Gestão de Processos, através de e-learning, via web.

Ao mesmo tempo, o PROAGÊNCIA incumbiu-se de preparar o lançamento, no 35º Congresso Brasileiro de Agências de Viagens (de 24 a 27 de outubro, no Riocentro), do novo PORTAL ABAV. No entendimento do diretor do ICCABAV, Antonio Azevedo, “a inovação surge com a proposta de ser um dos principais portais de turismo do país e vai reunir facilidades tecnológicas tanto para agências e seus fornecedores como para os consumidores”.

Azevedo acrescenta que “os diferenciais representam a inserção do Agente de Viagens no processo entre o turismo e o destino, o acesso aos operadores, companhias aéreas, hotelaria, locadoras e demais serviços, e o de relacionamento com a associação e o universo dos agentes. Nesta triangulação B2C, B2B e A2A (Business to Consumer; Business to Business e Agent to ABAV), estaremos abrigando ferramentas de uso direto e imediato para os agentes”.

Dival Schmidt, coordenador nacional da carteira de projetos de Turismo do SEBRAE Nacional, reitera o compromisso da sua instituição em tratar o Turismo como segmento de prioridade absoluta para a entidade. Sobre a parceria com a Abav que resultou no PROAGÊNCIA, ele afirma que “o SEBRAE acredita e aposta no Turismo como atividade sustentada.

Atualmente, o segmento responde por 10% da riqueza gerada no mundo. O Brasil ainda está longe deste patamar, o que mostra que ainda temos muito que fazer pelo Turismo”, assegura.

Fonte: LH Miranda

Del Valle Editoria

Contato: vininha@vininha.com

Site: www.animalivre.com.br

  
  

Publicado por em

Cleber damiao dos santos

Cleber damiao dos santos

02/02/2009 14:52:25
olha eu sou um admirador das ações praticadas pelo Sebrae, participei de varios cursos, a atuação do sebrae em meu município, implantamos dlis, onde tinhamos a participação ativamente da comunidade local, foi onde trabalhamos vários segmentos (artesanato,apicultura,ouvinocaprinocultura,cultura e o turismo),p/ um municipio pequeno igual ao meu, esse trabalho é importante, gostaria de que todo o trabalho começado pudesse dar continuidade.temos uma associação criada com metodologia aplicada pelo sebrae.(ADLIS-ASSOCIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO LOCAL INTEGRADO E SUSTENTÁVEL DE GARARU.TEL:(79)33541240/99762058 DAMIAO.
ADLISGARARU@YAHOO.COM.BR

Wagner Cavalcante

Wagner Cavalcante

09/09/2008 23:25:57
É preciso sem duvida, existir politicas públicas que vise um planejamento estratégico a longo prazo... não só em ambito nacional... mas principalmente nos municípios potenciais quanto ao turismo... É comum ver municipios com muito potencial turistico... entregues a ambição política, onde só se ver fazer algo para consertar um problema imediato,(CLaro!!! eles só tem 4 anos...). Um planejamento estratégico (longo prazo) é concluído no minímo em 10 anos.. ""qual o político q quer passar a bola pra outro???"" Difícil!! O Turismo realmente nõ é uma atividade tão simples de administrar... por isso que se deve ter pessoas entendidas para atuar.. como um "Turismologo"" por exemplo... mas nem o turismologo o Governo quer regulamentar!!! Difícil!!