Alimentação lucrativa

Setor de alimentação rende bons resultados para turismo Estudo ‘Economia do Turismo: análise das atividades características do turismo’, divulgado pelo IBGE e Embratur, revela montante gasto por turistas com aliment

  
  

Setor de alimentação rende bons resultados para turismo Estudo ‘Economia do Turismo: análise das atividades características do turismo’, divulgado pelo IBGE e Embratur, revela montante gasto por turistas com alimentação Regina Xeyla Divulgação Sebrae investe na capacitação do setor de produtos alimentícios em todo o País

Brasília - Tomar uma água de coco caminhando pelo calçadão, ou dar uma parada com a família em um restaurante à beira da praia. Esses são hábitos que se repetem todos os anos, principalmente na alta temporada, com as férias e a folia de Carnaval. Nesse período, os turistas lotam as praias brasileiras, as cidades históricas, e os diversos pontos turísticos espalhados pelo Brasil.

A movimentação desse elevado volume de turistas dentro do País se reverteu num montante de R$ 23,7 bilhões para o turismo em 2003, segundo revela o estudo ‘Economia do Turismo: análise das atividades características do turismo’, divulgado no final do mês de janeiro pelo IBGE e Embratur.

O estudo indica que as atividades relacionadas ao turismo corresponderam a 2,2% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 2003, gerando R$ 31,1 bilhões de valor adicionado na economia brasileira. O Estado do Rio de Janeiro, que abriga alguns dos principais atrativos turísticos do País, ocupa o segundo lugar, com 20,15% da receita bruta com do turismo brasileiro, ficando atrás de São Paulo, que concentra 43,3% da receita.

A maior receita líquida do turismo em 2003 foi gerada pelo setor de alimentação, com R$ 23,7 bilhões. O segmento da alimentação destacou-se também no número de pessoas ocupadas, com 1,4 milhão de trabalhadores, e no montante dos salários pagos, com R$ 6,3 bilhões. E, a depender do incentivo do Sebrae, esses indicadores vão crescer cada vez mais. A instituição hoje desenvolve projetos no setor de alimentação nas principais capitais do País. As ações sempre visam oferecer para os turistas produtos e serviços de qualidade.

No Carnaval, considerado o ápice da alta temporada, o faturamento das pequenas empresas chegam a dobrar devido ao intenso fluxo de turistas. Nesse período, os principais destinos procurados pelos turistas são Rio de Janeiro; Recife, em Pernambuco; e Salvador, na Bahia. Durante as festas carnavalescas, os bares, restaurantes, barracas e quiosques são o ponto de encontro para descontração com os amigos e a família e, muitas vezes, até de descanso durante e depois da folia.

Atendimento com qualidade

Mas, apesar de o estudo demonstrar a expressiva participação do setor da alimentação no turismo, os turistas estão cada vez mais exigentes, no que se refere a atendimento e qualidade do produto. Hoje, por exemplo, o turista que visita as ‘Tapioqueiras de Olinda’ se deparam com um bom atendimento somado a uma deliciosa tapioca, com os mais diversos recheios. Isso porque, desde 2005, o Sebrae vem desenvolvedo em parceria com a prefeitura de Olinda um trabalho de valorização da cultura regional.

As barracas das tapioqueiras foram padronizadas. Através de um concurso entre estilistas, foi criada uma nova vestimenta para as tapioqueiras. Hoje, elas vestem blusa e saia branca, com desenhos coloridos que retratam os casarios de Olinda. As tapioqueiras também receberam capacitação em atendimento e o curso ‘Boas Práticas na Manipulação de Alimentos'.

E as ações não param por ai. “Já estamos realizando um trabalho de consultoria para a criação de uma estação de trabalho para as tapioqueiras. Com esse instrumento será mais fácil para elas manusear os alimentos, de acordo com as boas práticas. O próximo passo é buscar parceiros para viabilizar a estação”, explica o coordenador do projeto no Sebrae em Olinda, Alexandre Ramos.

O Sebrae em Olinda também desenvolve um trabalho em parceria com a Abrasel junto aos bares e restaurantes locais. Os empresários recebem capacitação do processo de adequação das instalações, manipulação e oferta de alimentos; e capacitação empresarial. “Para 2007, pretendemos intensificar esse trabalho, sempre integrando a valorização da gastronomia regional. Afinal, 98% dos bares e restaurantes em Olinda são micro e pequenas empresas. O setor é o segundo que mais emprega aqui”, afirma Alexandre Alves, coordenador da Unidade do Sebrae em Recife.

E o Rio de Janeiro" A cidade maravilhosa não poderia ficar fora. O Estado abriga cinco importantes pólos gastronômicos, que ficam na Tijuca, Botafogo, Praça 15, Rio Antigo (Centro), e Leblon. É na época de Carnaval que os pólos recebem um maior fluxo de visitantes, já que a maioria oferece outros atrativos, como por exemplo, a Praça 15, que tem um tradicional bloco de rua. Já o Rio Antigo abriga o centro histórico do Rio.

O Sebrae trabalha com os pólos, realizando oficinas semanais, onde são discutidos temas como calendário de eventos, aumento de fluxo de clientes, aumento no número de vendas e criação de plano de marketing; entre outros. “Hoje, de forma direta, o projeto atende cerca de 30 empresários em cada pólo, totalizando cerca de 150 empresários. Mas, de forma indireta, esse número triplica. São os empresários que não participam do projeto, mas que se beneficiam com o movimento na vizinhança. Um grande ganho que temos tido é a mídia gratuita, que gerou um grande aumento de visitantes nos pólos”, explica a coordenadora do Projeto de Desenvolvimento Comercial do Sebrae no Rio, Margareth Carvalho.

Em Salvador não poderia ser diferente. Os bares e restaurantes locais também estão recebendo um reforço para melhorar cada vez mais os serviços prestados ao turista.Trata-se do ‘Programa Qualidade na Mesa’, desenvolvido pelo Sebrae local e que busca a qualificação dos restaurantes e bares da capital baiana. O programa, que atualmente atende 40 estabelecimentos, atua de duas formas: com o trabalho de formação dos profissionais e a prática de alimentos seguros.

Dois profissionais de cada estabelecimento são capacitados, passando a agir como multiplicadores que, após o treinamento, ficam responsáveis por repassar o conhecimento adquirido aos demais colegas de trabalho. São trabalhadas as atividades específicas, voltadas para cada função, como garçom e maitre; e as atividades genéricas, aonde são trabalhadas questões como liderança, superação, entre outros.

Para 2007, os restaurantes interessados em participar do 'Festival Gastronômico Brasil Sabor' terão como principal requisito o certificado do ‘Programa Qualidade na Mesa’. “Esse ano pretendemos atender 120 restaurantes, oferecendo o curso para outras localidades, além de Salvador, como Porto Seguro, Praia do Forte, e Ilhéus”, explica o coordenador de turismo do Sebrae na Bahia, Richard Alves.

Serviço:
Agência Sebrae de Notícias – (61) 3348-7494 e (61) 2107-9362
Sebrae no Rio de Janeiro – 0800-782020 e (21) 2212-7971
Sebrae em Pernambuco – (81) 2101-8400
Sebrae na Bahia – (71) 3320-4300
www.ibge.gov.br
Fonte: Agência Sebrae de Notícias

  
  

Publicado por em