APA de Petrópolis inaugurou sede própria unindo tecnologia ambiental e parceria com a comunidade

A inauguração da sede própria da APA - Área de Proteção Ambiental de Petrópolis (RJ), no dia 30 de março, às 10h, em Itaipava (Estrada União Indústria, 9722), trouxe a marca do pioneirismo e da parceria com a comunidade que caracteriza a criação da APA, h

  
  

A inauguração da sede própria da APA - Área de Proteção Ambiental de Petrópolis (RJ), no dia 30 de março, às 10h, em Itaipava (Estrada União Indústria, 9722), trouxe a marca do pioneirismo e da parceria com a comunidade que caracteriza a criação da APA, há 20 anos.

Construída com recursos provenientes de um Termo de Ajustamento de Conduta celebrado com o Ministério Público Federal e Estadual e com o apoio de empresa privada, a sede utiliza madeira produzida em áreas de reflorestamento, preservando espécies nativas e em vias de extinção.

No local funcionará o Centro de Referência Ambiental Rogério Marinho, uma homenagem ao empresário e ambientalista que participou da mobilização comunitária para a criação da APA, no início da década de 80.

Localizado em meio à Praça Leôncio Ribeiro, o imóvel tem sistema próprio de tratamento de esgoto e a área de entorno receberá um projeto paisagístico com espécies nativas da Mata Atlântica assinado pelo presidente da Sbbr - Sociedade Brasileira de Bromélias, Orlando Graeff.

O Centro de Referência vai permitir uma melhor estrutura de funcionamento do Conselho Gestor da APA e suas quatro Câmaras Técnicas (Educação Ambiental, Desenvolvimento Sustentável, Recuperação Ambiental e Preservação do Patrimônio Ambiental e Cultural), que reúnem 70 entidades - 50 da sociedade civil e 20 órgãos públicos.

Os representantes das entidades debatem e decidem, em caráter deliberativo, sobre os projetos desenvolvidos pela Área de Proteção, um processo pioneiro no Brasil e que atualmente foi estendidoàs unidades de conservação do país inteiro pelo Ibama- Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis.

Os recursos para a construção da sede são provenientes de um TAC - Termo de Ajustamento de Conduta firmado pelo Ministério Público Federal e o Ministério Público Estadual. e com o apoio da empresa Tora Log Homes. Os termos permitem a concretização de várias iniciativas, como o livro O Zoneamento Ambiental da APA Petrópolis.A obra, que foi distribuída para autoridades e para escolas, traz a descrição das principais características da Área de Proteção e inclui um mapa.

O Zoneamento Ambiental, realizado pelo Instituto Ecotema com recursos do Fundo Nacional do Meio Ambiente, é vital para definir os rumos da APA Petrópolis em termos de desenvolvimento sustentável e de gestão ambiental integrada.

Na ocasião foi inaugurada também a exposição sobre os 20 anos da APA Petrópolis, que mostra toda a evolução da primeira área de proteção ambiental do país. A parceria e a preocupação com o Meio Ambiente também se refletem no coquetel ecológico que será servido na inauguração, todo ele feito a partir de produtos cultivados com base na agricultura orgânica (que não utiliza produtos químicos) por produtores locais. Petrópolis é hoje o maior pólo de agricultura orgânica do estado.

Objetivos :

O principal objetivo da Área de Proteção Ambiental é a conservação dos remanescentes de Mata Atlântica existentes na região. Com 589,6 km2, abrange do primeiro ao terceiro distritos do município de Petrópolis, além de parte dos municípios de Duque de Caxias, Magé e Guapimirim.

A vegetação, característica da Mata Fluvial Atlântica, conta com espécies como o rabo-de-galo (símbolo da APA), angico, a arariba rosa, braúna, cabriúva, jacarandá, jatobá vermelho, óleo pardo, orquídeas e bromélias, entre as quais uma espécie, a Tillandsia gazielae, que só pode ser encontrada numa determinada região de Petrópolis.

As espécies de fauna da APA Petrópolis incluem, Cachorro do mato, Mão Pelada, Gato do Mato, Jaguatirica, Paca, Caxinguelê, Sagüi, Macaco Prego, Tapiti, Queixada, Caititu, Tatu, Ouriço e Quati. Entre as aves, o Inhambu, Anu, Dacu, Bico-de-lacre, Beija-Flor, Tico-Tico, Tziu e Trinca-Ferro. A relação de répteis tem o teiú, cobra-coral, jararacuçu, a cobra-cipó, a cobra-de-capim e a jararaca.

Histórico :

Criada pelo Decreto 87.561, de 13 de setembro de 1982, a unidade de conservação tem a característica única de abrigar uma área urbana com milhares de habitantes. Sua delimitação aconteceu somente 10 anos depois, pelo Decreto 527/92.

A participação comunitária é marca registrada da APA desde os seus primórdios. Através da Portaria 6, de 3 de fevereiro de 1982, o então secretário Nacional de Meio Ambiente, Paulo Nogueira Neto, criou um Grupo de Trabalho do qual participaram representantes de entidades da sociedade civil e órgãos públicos.

Entre seus participantes estavam Rogério Marinho, Fernanda Colagrossi, Anita Gilz, Ivo Chagas, Benito Piropo da Rim, Reuty Fontes de Oliveira, Francisco Antonio Doria, Gustavo Martinelli, Reinhold Haack, Sergio de Souza Leite e Maria Tereza de Jesus Gouveia. O documento produzido subsidiou a criação da APA no mesmo ano.

Em 1997, iniciou-se o processo de gestão participativa com a realização de uma oficina de planejamento no Centro General Ayrosa.

A partir da formulação de um Plano de Gestão, iniciando a parceria com o Instituto Ecotema começou a funcionar o Conselho Gestor, oficializado pelo Ibama através da Portaria 18, de 20 de março de 2000.

Neste mesmo ano, a Lei 9.985 tornou obrigatória a gestão participativa nas unidades de conservação, consagrando os conceitos adotados pela APA.

Projetos :

O balanço de 2002 da APA Petrópolis revelou que 57 atividades e projetos estão em andamento ou concluídos, num percentual de 79% do previsto no Plano de Atividades.

Entre projetos e atividades em andamento ou já concluídos da APA Petrópolis podem ser citados os seguintes:Zoneamento Ambiental - Instrumento de gestão da APA que delimita áreas e prevê critérios de ocupação na região, foi elaborado pelo Instituto Ecotema com recursos de R$ 500 mil do Ministério do Meio Ambiente.

Mapas :

Dois mapas já foram lançados: O Mapa de Vegetação e Uso de Terras e o Mapa de Zoneamento. Ambos foram distribuídos para órgãos públicos, entidades e escolas, numa tiragem inicial de dois mil exemplares.

Queimada Zero :

Campanha de conscientização para prevenir incêndios florestais.Árvore Nativa - Projeto de educação ambiental e de reflorestamento em áreas degradadas da APA, realizado em conjunto com a federação das associações de moradores de Petrópolis (Uni-Fampe).

Gestão Ambiental Integrada :

Implantação de sistema de gestão ambiental integrada das empresas da região da APA, em parceria com o LNCC - Laboratório Nacional de Computação Científica.Nossos rios não são lixeiras -

Campanha permanente de educação ambiental para evitar o despejo de lixo nos rios da região com o Move - Movimento Verde de Estudantes.

Preservação de Bromélias :

Pesquisa sobre a preservação in vitro de espécies endêmicas de Bromélias que correm risco de extinção, conduzida pelo Laboratório de Micropropagação e Transformação de Plantas da Uerj - Universidade Estadual do Rio de Janeiro.

Parque da Orla do Piabanha :

Iniciativa do Conselho Gestor da APA Petrópolis, o POP - Parque da Orla do Piabanha prevê a preservação das margens do rio em áreas atualmente degradadas. O anteprojeto está em estudo na Prefeitura de Petrópolis.

Valoração Ambiental de Serviços Públicos :

Trabalho pioneiro, em conjunto com o Ministério Público, a valoração prevê a compensação ambiental pelo uso de recursos naturais da APA por concessionárias de serviços públicos.

Biodigestores :

Instalação de biodigestores para tratamento de efluentes domésticos em comunidades carentes do município, em parceria com OIA - O Instituto Ambiental.

Ecoturismo :

Formação de guias especializados para orientar os visitantes sobre as espécies vegetais da APA.

Comunicação :

Publicação de coluna semanal, intitulada Área da Proteção Ambiental, aos sábados, em parceria com a Tribuna de Petrópolis.

Prioridades :

Além dos projetos em andamento, a APA definiu as seguintes prioridades para 2003:Educação Ambiental- Campanha de preservação dos recursos hídricos da APA; campanha anti-incêndios florestais no período da estiagem; e divulgar informações abordando a importância das Áreas de Preservação Permanente da APA na coluna Área da Proteção Ambiental.

Desenvolvimento Sustentável :

Implantação da gestão ambiental integrada nas empresas de Petrópolis; apoiar a elaboração do projeto da Via APA; e implantação dce um projeto piloto de Desenvolvimento Sustentado na Comunidade do Jacó.

Recuperação Ambiental :

Apoiar a implantação de projeto de tratamento de águas servidas por biossistemas para pequenas comunidades; apoio ao projeto de diagnóstico da qualidade da água da Bacia do Rio Piabanha; e apoiar a implantação de um horto florestal acoplado à estação de tratamento de nutrientes e biomassa no Sertão do Carangola.

Preservação Ambiental :

Apoiar a formação de nova Brigada de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais para atuação nas ZVS - Zonas de Vida Silvestre e Reserva Biológica de Araras; e parceria Ibama./PMP para ações de fiscalização na APA com capacitação de fiscais; elaboração de projeto para monitoramento da cobertura vegetal da APA.

Fonte: APA Petrópolis

  
  

Publicado por em