Cidades históricas de Minas lançam roteiros personalizados

Projeto realizado pela Associação das Cidades Históricas de Minas Gerais também inclui a sinalização dos principais monumentos e criação de rede de informação integrada == Eliza Caet

  
  

Projeto realizado pela Associação das Cidades Históricas de Minas Gerais também inclui a sinalização dos principais monumentos e criação de rede de informação integrada ==

Eliza Caetano

Foto: Divulgação

Iniciativa visa aumentar a permanência do turista nas cidades mineiras

Belo Horizonte - Os turistas que visitarem os principais monumentos históricos de Minas Gerais perceberão grande diferença de tratamento a partir deste mês. O projeto Qualificação, Estruturação e Promoção das Cidades Históricas de Minas Gerais irá investir R$ 6 milhões em iniciativas para aumentar a permanência do turista. O projeto é realizado com recursos do Ministério do Turismo pela Associação das Cidades Históricas do Estado.

Foram criados 160 produtos que envolvem várias áreas do turismo. Amantes do ecoturismo, do turismo cultural ou de aventura poderão escolher atividades e montar passeios personalizados. Os produtos estão divididos em seis roteiros que passam por algumas das mais famosas cidades mineiras, como São João Del Rei, Tiradentes, Ouro Preto, Diamantina e Sabará, entre outras.

Os produtos estarão disponíveis em agências de turismo receptivo em cada um dos municípios já com as tarifas. Nos locais onde o fluxo ainda não é suficiente para que haja no mercado empresas do ramo, as prefeituras serão preparadas para fazer o papel. “Quando forem atingidos níveis que justifiquem a criação de agências no mercado, o poder público se retira”, diz o presidente da Associação das Cidades Históricas de Minas Gerais e prefeito de Santa Bárbara, Toninho Timbira.

As sinalizações urbana e interpretativa irão guiar os visitantes e ajudá-los a apreciar os 300 principais monumentos históricos do Estado. A capacitação de profissionais locais também foi contemplada no projeto. Foram treinados 180 guias regionais e 876 profissionais de turismo cultural e receptivo. “Fiz uma viagem de carro no último mês para sentir na pele as carências do turista. E, realmente, é difícil obter informação”, conta o presidente da Associação.

Segundo ele, esse é o principal motivo do baixo tempo de permanência dos visitantes em Minas. “Enquanto na Bahia a média é de 10 dias, aqui são apenas 1,7”, explica. A meta do projeto é aumentar para 2 dias a permanência. “É um tempo em que a pessoa chega, visita, faz refeições, dorme e, quando tem bons produtos disponíveis, também compra”, afirma Timbira.

Outra novidade que irá facilitar a vida dos turistas é a criação de uma rede de informações integrada. Por meio de um software instalado em computadores das prefeituras dos municípios, estarão disponíveis informações a respeito de todas as outras localidades. Horários e tarifas de museus, indicações de atrações, restaurantes e até reservas de hotéis poderão ser feitas antes que o visitante chegue ao destino.

A Associação inclui as cidades de Barão de Cocais, Bom Jesus do Amparo, Caeté, Cataguases, Catas Altas, Conceição do Mato Dentro, Congonhas, Diamantina, Diogo de Vasconcelos, Estrela do Sul, Itabira, Itabirito, Itapecerica, Mariana, Ouro Branco, Ouro Preto, Pitangui, Prados, Sabará, Santa Bárbara, Santa Luzia, São Gonçalo do Rio Abaixo, São João Dei Rei, São Thomé das Letras, Serro e Tiradentes.

Serviço:
Prefeitura de Santa Bárbara - (31) 3832-1066
Agência Sebrae de Notícias – (61) 3348-7494 e (61) 2107-9362

  
  

Publicado por em

Rhanna

Rhanna

22/09/2009 13:44:33
bom acho que minas gerais e tudo por isso que moro nela!!!!

MYK

MYK

Agradecemos pelo comentário
Nadia mendiola

Nadia mendiola

26/03/2009 15:47:06
Na vez que fui lá em Minas ,odiei,lá é uma cidade pobre,com pessoas falsas e fofoqueiras,pessoas sem cultura,é uma cidade pobre e esquisita,foi uma experiência chocante..nadia mendiola gomés

MYK

MYK

Olá, Nadia! Sinto muito pela sua experiencia. Isso não é regra em Minas, mas agradeço a sua opinião.