Economia da Experiência anima turismo na Serra Gaúcha

Uma trilha que leva a um paiol num ambiente que remonta os tempos de antigos romances históricos. E um nicho que pode servir para encontros ou fazer preces e simpatias para casar, conseguir a reconciliação do bem-amado ou resolver out

  
  

Uma trilha que leva a um paiol num ambiente que remonta os tempos de antigos romances históricos. E um nicho que pode servir para encontros ou fazer preces e simpatias para casar, conseguir a reconciliação do bem-amado ou resolver outros problemas. Esses dois locais ficam na região de uva e vinho do Rio Grande do Sul. O primeiro, no Osteria Della Colombina, um restaurante típico italiano no município de Garibaldi; e o segundo, no Museu do Imigrante e Restaurante Sbroglio, no município de Nova Prata.

São duas das 65 atrações turísticas que poderão ser visitadas já partir deste mês, em oito municípios daquela região: Caxias do Sul, Bento Gonçalves, Veranópolis, Cotiporã, Vila Flores e Protásio Alves, além de Garibaldi e Nova Prata. Eles integram o projeto "Economia da Experiência", um piloto que está sendo desenvolvido pelo Sebrae em parceria com o Sindicato local dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares daquela região (SHRBS), junto a micro e pequenas empresas da cadeia do turismo local.

Esses atrativos turísticos estão sendo desenvolvidos com base no conceito da "Economia da Experiência", ou "Sociedade dos Sonhos", nova tendência econômica que, na formação e venda de produtos, leva em conta principalmente o sentimento, a experiência, a emoção que causará ao consumidor.

"A idéia é fazer com que cada atrativo seja uma experiência única para o turista", explica a diretora executiva SHRBS local e gestora do projeto da região, Márcia Ferronato.

Segundo a gestora nacional do projeto, Adriana Girão, o objetivo é diversificar a oferta e o consumo turístico e aumentar a geração de emprego e renda na região, levando em conta, também, a integração de mercado por meio de uma rede de cooperação onde um negócio serve para promover outro. Esse trabalho pioneiro começou em maio de 2006 envolvendo meios de hospedagem, gastronomia, vinícolas e associações de artesãos, de produção cultural e da área de entretenimento.

Os empreendimentos envolvidos receberam consultorias para definir novas atividades que pudessem incrementar o negócio com base na "Economia da Experiência" e capacitações a partir da demanda do negócio, como hospitalidade, inovação, cardápio e serviço de vinho, além da formação da rede de cooperação.

Entre os resultados, estão negócios como o Osteria Della Colombina, um restaurante típico italiano instalado em uma propriedade rural onde a comida é produzida por descendentes de italianos e que agregou outro atrativo: o ambiente do romantismo rural à moda antiga com a trilha que leva as pessoas a um paiol decorado com utensílios da época.

Outro é o Museu do Imigrante e Restaurante Sbroglio. É um local com três ambientes: o museu, onde se pode conhecer um pouco da história dos imigrantes italianos; o restaurante com comida típica italiana e café colonial; e um espaço religioso, com imagens sacras como a de Santo Antônio. É esse espaço religioso que está sendo revitalizado para que as pessoas possam interagir, como fazer preces e simpatias.

Segundo Márcia Ferronato, desde dezembro do ano passado até este mês de janeiro, estão previstas visitas de jornalistas, de operadores de turismo e de empresários à região onde está sendo desenvolvido o projeto. "A meta é, a partir dos resultados, expandir a iniciativa para outras regiões do País", explica Adriana Girão.

Fonte: Agência Sebrae

Del Valle Editoria

Contato: vininha@vininha.com

  
  

Publicado por em