Adventure Fair, com público profissional, gerou R$65 milhões em negócios

Uma feira mais profissional, que confirma o crescimento do mercado de aventura e ecoturismo no Brasil e ratifica sua condição de maior feira do gênero do Hemisfério Sul. Este é o balanço da Adventure Fair 2003, encerrada no domingo passado, no Pavilhão da

  
  

Uma feira mais profissional, que confirma o crescimento do mercado de aventura e ecoturismo no Brasil e ratifica sua condição de maior feira do gênero do Hemisfério Sul. Este é o balanço da Adventure Fair 2003, encerrada no domingo passado, no Pavilhão da Bienal do Ibirapuera, em São Paulo, de acordo com a Promotrade, organizadora do evento.

Neste ano, a Adventure teve 260 expositores e gerou negócios da ordem de R$ 65 milhões, 18% mais que a edição anterior,superando a expectativa dos promotores. Um total de 89 mil visitantes esteve nos cinco dias de sua realização, contra 86 mil do evento de 2002.

Para Sérgio Bernardi, diretor da Promotrade, o balanço do evento foi muito positivo. “No ano passado, atingimos R$ 55 milhões e agora esperávamos ter 10% a mais, mas chegamos a 18%. Apesar do crescimento de apenas 3,5% em relação ao público de 2002, estou muito satisfeito pelo salto de qualidade do evento deste ano.

A presença foi mais qualificada ,constituídas de lojistas e agentes de turismo, resultado das iniciativas que implementamos no ano passado, como as rodadas de negócio e os horários específicos para o trade” , explicou.

Em 2004, a Adventure Fair será realizada mais cedo, de 7 a 11 de agosto, e começará em um sábado. “A maioria dos expositores fez este pedido para facilitar o lançamento dos produtos. Consideramos pertinente esta reivindicação e vamos atendê-la, visando melhorar ainda mais os negócios na feira”, disse Bernardi, que também antecipou que 70% dos estandes para o próximo ano já estão reservados.

Expositores dos diversos segmentos que compõem a Adventure Fair também elogiaram o evento. A Timberland, por exemplo, faturou 20% a mais que em 2002. “Isso sem falar dos contatos com novos clientes”, disse Gustavo Brandão, gerente de varejo da empresa.

“O segmento de esportes de aventura cresce a cada ano e a Timberland tem acompanhado esta tendência dos consumidores em todas as suas linhas de produto. Este ano, a Adventure Fair provou porque é a maior feira de aventura do Hemisfério Sul”.

Para Fernando Oliveira, diretor da Curtlo, o lojista que visitou seu estande estava mais bem preparado para a compra direta.

“Isso sem dúvida é fruto das ações criadas junto ao trade. Fechamos muitos negócios, também graças a nossa capacidade produtiva, que nos proporcionou estocar mercadorias para pronta entrega”, disse.

“Do ponto de vista de visibilidade da marca, a Curtlo teve ganhos com o público em geral, que está mais familiarizado com os nossos produtos e a tecnologia que utilizamos. A marca já está bem conhecida no mercado de aventura”. A empresa, que previa crescer este ano em torno de 35%, deve alcançar 43%.

Setor de bikes

O setor de bicicletas também foi muito bem representado na Adventure Fair 2003. Marcas como Scott, Cannondale, Caloi,Sundown e Airbone apresentaram os novos modelos da linha 2004, para profissionais que buscam bicicletas mais leves e que possam ajudar a melhorar a performance durante as competições.

Estes expositores também promoveram atrações para os visitantes, como palestras com personalidades do setor, apresentações de manobras, tarde de autógrafos e até sorteio de bicicletas.

Os representantes da Scott no Brasil participam desde a primeira edição da feira e mais uma vez tiveram boas impressões do evento.

“O público da Adventure Fair é altamente qualificado. São pessoas que gostam de praticar esportes em contato com a natureza, que têm um estilo de vida diferenciado, e a Scott expôs bicicletas tanto para quem quer passear com os amigos como para os atletas que buscam performance e tecnologia”, disse Maurício Speranzini, assessor de marketing da Scott no Brasil.

A loja Anderson Bicicletas, representante da Cannondale no Brasil, também participa da feira desde 1999 e neste ano, além de apresentar diversos modelos da marca, trouxe para uma tarde de autógrafos em seu estande o campeão Tinker Juarez, especialista em provas de 24 horas.

“Estamos na feira desde o início e percebemos que a cada ano o consumidor vai ficando mais maduro, mais qualificado. Este ano não foi muito diferente de 2002, mas as pessoas estão mais interessadas, pedem mais informações sobre os produtos. Apresentamos todas as bicicletas da linha, desde o modelo mais barato até o top de linha”, disse Cléber Anderson, sócio-gerente de atendimento da Anderson Bicicletas.

Representante da Cannondale desde 1997, Cléber também ajudou no desenvolvimento de uma bicicleta especial para o Brasil. Um representante da fábrica norte-americana veio participar pelo segundo ano consecutivo da Adventure Fair e gostou muito dos resultados.

“O público da feira é ótimo e o mais importante é este contato direto com o consumidor, que nos passa muitas informações e impressões sobre os produtos, o que nos ajuda muito no desenvolvimento dos modelos”, disse Joe Arcovio, diretor da divisão internacional da Cannondale.

Há apenas três meses no Brasil, a Airbone, outra marca norte-americana de bicicletas profissionais, viu na feira uma boa oportunidade para divulgar a marca e conquistar os consumidores. Para Jamie Raddin, presidente-fundador da marca, a feira é muito interessante porque reúne apaixonados por outros esportes, não é uma feira de um segmento isolado.

“O público da Adventure Fair é muito receptivo e interessado em conhecer as novidades. Gostamos tanto do evento que já fechamos o estande para 2004”, disse Raddin.

Duas fabricantes nacionais também estavam representadas na feira. A centenária Caloi, em sua quarta participação no evento, apresentou os protótipos da linha 2004, que estarão disponíveis nas lojas a partir de janeiro de 2004. O estande também ofereceu para o visitante palestras com atletas, colocou um caricaturista para atender ao público e distribuiu cartões postais
com paisagens e bicicletas.

“A Caloi escolheu a Adventure Fair para fazer o lançamento da linha profissional, pois não existe feira melhor no segmento para apresentarmos as novidades. Também fazemos o estande de acordo com o tema, que é a
aventura, e oferecemos atividades para atrair o público, com novas idéias para enriquecer o evento”, disse Eduardo Romão,analista de marketing da Caloi.

Para a Sundown, estreante no mercado de aventura e na Adventure Fair, o que mais chamou a atenção foi a receptividade e a curiosidade do público, que já conhecia a marca, mas não sabia que tinha uma linha profissional.

“A presença na feira foi ótima, pois o número de visitantes é muito grande e nosso maior interesse era a fixação da imagem. Com esta linha profissional, pretendemos dar mais confiabilidade à marca”, informou Sandra Fernandes, supervisora de marketing da Sundown.

Ecoturismo

O ecoturismo é um dos principais segmentos da feira e, este ano, teve três vezes mais destinos do que em 2002. Pela primeira vez na Adventure Fair, a consultora do Ministério do Meio Ambiente Camila Rodrigues ressaltou que a Adventure Fair é o lugar certo para estimular o uso responsável das áreas naturais no país.

“Para o próximo ano, temas como segurança nos
destinos, a discussão sobre os problemas que os operadores enfrentam e o impacto do ecoturismo sobre os recursos naturais estarão na nossa pauta para agilizarmos a melhoria do segmento.

Turismo não é só problema e esta é a filosofia em que nosso trabalho está baseado e é pensando desta forma que também lutamos para a regulamentação do setor”, lembrou.

Outro ministério satisfeito com o que viu na feira foi o do Turismo. “Ela reúne todos os integrantes da cadeia do ecoturismo no Brasil e suas propostas vão contribuir significativamente para o aumento da representatividade do segmento e para a normatização do ecoturismo”, afirmou Mara Flora Lottici Krahl, gerente da Secretaria de Políticas do órgão.

“Diferente do que acontece normalmente em feiras, o Ministério do Turismo não montou estande na Adventure Fair para fazer um trabalho institucional ou entregar panfletos. O que fizemos aqui foi abrir espaço para discussão dos assuntos mais relevantes do setor,junto às ONGs, operadoras, turistas e destinos.

Em 2004, espero que a semente plantada este ano frutifique no sentido de termos ações concretas para o desenvolvimento do ecoturismo no Brasil”.

Off road

De acordo com Felipe Naves, consultor de marketing e publicidade da Fiat, patrocinadora da Adventure Fair pelo segundo ano, o evento atingiu plenamente os objetivos da montadora.

“A feira consolidou o nosso conceito ‘adventure’, que incluiu em 2003 a exposição da marca e a possibilidade de mostrarmos ao público os modelos Dobló Adventure 1.8 8V, Palio Adventure e Strada”, definiu.

“Quem procurou pela pista de off road da feira pôde dirigir os carros e comprovar seus diferenciais. Sentimos que a repercussão foi muito positiva”.

Naves ressaltou ainda que a Adventure Fair vai propiciar à Fiat uma noção mais fiel do verdadeiro tamanho deste mercado.

“Acreditamos que ele cresce anualmente entre 30 e 40%, mas agora, com o sucesso do evento e das estratégias que estamos adotando focadas nos modelos adventure, teremos sinais mais claros desta evolução. A Feira de 2003 foi um divisor de águas para nós e, com certeza, vamos manter o patrocínio em 2004”, completou.

A Adventure Fair contou com o patrocínio da Fiat, co-patrocínio da Rádio Eldorado e HP e apoio de Guaraná Kuat, ESPN Brasil, revista Isto É e Água Crystal.

Fonte: ZDL de Comunicação

  
  

Publicado por em