APAJ completa 20 anos de pioneirismo na expansão da rede alberguista

A APAJ (Associação Paulista de Albergues da Juventude), ou HI Hostel São Paulo, completou nesta segunda-feira, dia 15 de março, 20 anos de pioneirismo e bons serviços prestados à HI Hostel, a maior rede de hospedagem econômica do mundo. Desde a sua

  
  

A APAJ (Associação Paulista de Albergues da Juventude), ou HI Hostel São Paulo, completou nesta segunda-feira, dia 15 de março, 20 anos de pioneirismo e bons serviços prestados à HI Hostel, a maior rede de hospedagem econômica do mundo.

Desde a sua fundação, em 1984, a entidade paulista preserva os princípios básicos da Hostelling International: integrar os sócios de todo o planeta através da amizade, intercâmbio de culturas e do respeito ao meio ambiente.

Em duas décadas, a diretoria da APAJ e seus funcionários trabalharam pelas importantes conquistas visando a expansão da rede no Brasil. Entre as ações pioneiras da maior associação da América Latina filiada à HI Hostel, estão a implantação de sistemas de reservas nacionais e internacionais (IBN On Line), do serviço de reservas para o exterior, que funciona desde 1995, e da elaboração dos manuais de abertura de albergues e de controle e qualidade.

A APAJ também foi a primeira a criar uma agência de turismo na sede de uma associação, hoje na rua Sete de abril, 386, sala 2, na Praça da República, em São Paulo, onde atende sócios e não-sócios em viagens pelo Brasil e ao exterior.

A APAJ é responsável por 52% dos sócios no Brasil e já atingiu a marca de 440 mil associados. A associação é comparada hoje às de Nova York e Sidney em estrutura de prestação de serviços aos sócios e possui 12 hostels com excelente padrão de qualidade.

É emissora de bilhetes de viagem em âmbito nacional e internacional e já é responsável também pela recepção de grande parte dos viajantes vindos de todas as regiões do Brasil e de fora do país, com a inauguração do São Paulo Hostel, em 25 de janeiro de 2004.

Ao longo do tempo, a APAJ participou das principais feiras de turismo e de educação em São Paulo, como o Hotel Travel Show, Bienal do Livro, Salão do Estudante e Expo Belta (para cursos no exterior). Através dos contatos mantidos com os visitantes destes eventos, criou o Manual de Abertura de Albergues da Juventude para proprietários e o distribuiu gratuitamente aos empresários interessados em fazer parte da rede.

Com esta ação, novos e jovens empreendedores, com formação superior, ajudaram a melhorar o padrão de qualidade dos hostels em São Paulo, entre eles Ricardo Mattar, do Maresias Hostel; Sofia Widmer, do Camburi Hostel e Dominici Merari, presidente da APAJ hoje e dono dos hostels Praça da Árvore e São Paulo Hostel.

Nas metas estabelecidas pela APAJ para 2004, estão a chegada, até dezembro, à marca dos 500 mil sócios e o aumento do número de hostels no estado de São Paulo, em cidades como Campos do Jordão, Santo Antonio do
Pinhal, municípios do Circuito das Águas e no litoral (Ilha Bela, Caraguatatuba e Ubatuba).

“A APAJ entra na idade da plena juventude, das transformações e de aceitar todos os desafios”, revela Maria José Giaretta, diretora financeira e vice-presidente da FBAJ (Federação Brasileira dos Albergues da Juventude).

Como tudo começou

Os hostels chegaram ao Brasil em 1961, através do casal de educadores cariocas Joaquim e Yone Trotta, que trouxeram a idéia para o país depois de terem visitado um estabelecimento na França, em 1956. O primeiro hostel brasileiro recebeu o nome de “Residência Ramos” e foi instalado no bairro de Ramos, no Rio de Janeiro.

Permaneceu aberto de 1965 a 1973. Neste mesmo período, funcionavam no estado de São Paulo dois hostels, um na capital e outro em Campos do Jordão, que foram fechados pelo governo militar sob a alegação de reunir jovens universitários.

Em 1983, Caio Pompeu de Toledo, secretário de Esportes e Turismo do Estado de São Paulo na gestão do governador André Franco Montoro, viajou para a Espanha e conheceu de perto o movimento alberguista. Encantado com o que viu, voltou ao Brasil com a idéia de solidificar este tipo de turismo que já existia de forma tímida em nosso país. Com o apoio do governo e de um grupo de pessoas, a APAJ foi fundada em 15 de março de 1984.

Sem vínculo político e administrativo, foram sócios-fundadores da entidade, entre outras personalidades, Franco Montoro, Caio Pompeu de Toledo, o coordenador de turismo do Estado de São Paulo, Caio Luiz Cibella de
Carvalho; o presidente da Fepasa, Ciro Antonio Laurenza Filho e o economista Luiz Carlos Bresser Pereira. Nenhum destes integrantes da diretoria mediu esforços para expandir a rede no Brasil, através de São Paulo.

Todo o sucesso alcançado até hoje, nestas duas décadas de existência da APAJ, deve-se ao esforço de pessoas como Maria José Giaretta. Ela começou sua trajetória como alberguista, em 1984, e dois anos depois já era diretora da APAJ. Exerceu a presidência nas gestões de 1988, 1995 e 2001, tendo criado o manual de controle e qualidade, a matriz de informações para proprietários e o treinamento de inspetores de qualidade. Foi delegada da FBAJ no Brasil e da Conferência Internacional de Albergues da Juventude, realizada na Austrália em julho de 1994.

Presidente atual

O atual presidente da APAJ é o administrador de empresas e filósofo,Dominici Merari, que decidiu abandonar um emprego de 10 anos na Souza Cruz para cuidar do seu próprio negócio.

Depois de viajar com amigos por hostels no Nordeste, ele encontrou nos albergues uma alternativa para sua vida. O primeiro projeto de Dominici foi em Lençóis, na Bahia. Viabilizou o projeto, mas a morte do proprietário do terreno impediu sua efetivação. Voltou à capital paulista e adaptou seu projeto para a cidade, abrindo o Praça da Árvore Hostel em 1998 e o São Paulo Hostel, em janeiro deste ano, no centro da cidade.

O presidente da APAJ, no cargo desde 2002, revela que a entidade buscou superar a queda na emissão de carteiras, ocasionada pelos ataques terroristas nos Estados Unidos em 11 de setembro de 2001, com um replanejamento voltado ao interior dos estados e à divulgação das vantagens oferecidas pela entidade em universidades e no aumento da demanda do turismo doméstico e captação de viajantes estrangeiros.

“Mesmo com todos os problemas, que afetaram todas as atividades em todo o mundo, conseguimos crescer 20% na venda de carteiras através da internet e equilibramos financeiramente a entidade”.

A mais nova ação da APAJ é a promoção das carteiras internacionais para estudantes. As pessoas que cursam os ensinos fundamental, médio, graduação e mestrado, além de doutorado e cursos no exterior acima de três meses, podem adquirir por apenas R$ 50,00 a carteira de associado da HI Hostel Brasil e a carteira internacional de estudante da ISIC.

A vantagem está na possibilidade de levar na hora as duas carteirinhas e usufruir, por um ano, da hospedagem em mais de quatro mil estabelecimentos espalhados pelo mundo e de descontos em eventos culturais da cidade, entre peças de teatro, shows musicais e cinema.

Para tornar-se sócio, o interessado deve comparecer ao quiosque da APAJ montado no Shopping Eldorado (na Marginal Pinheiros) ou na própria entidade (estação República do metrô), com sua carteira de identidade, uma foto 3X4 e um comprovante de escolaridade. As duas carteiras também podem ser solicitadas pela internet, através do site.

Fonte: HI Hostel Brasil / Ass. de Imprensa

  
  

Publicado por em