Brasil quer aumentar intercâmbio de vôos com países sul-americanos

O Ministério do Turismo quer aumentar o intercâmbio de vôos comerciais entre o Brasil e os demais países da América do Sul. Para isso, vai fazer um completo diagnóstico do atual cenário do transporte aéreo no continente sul-americano. O estudo identif

  
  

O Ministério do Turismo quer aumentar o intercâmbio de vôos comerciais entre o Brasil e os demais países da América do Sul. Para isso, vai fazer um completo diagnóstico do atual cenário do transporte aéreo no continente sul-americano.

O estudo identificará as condições para a inserção competitiva das empresas aéreas no processo de integração regional e avaliará o potencial de rotas aéreas hoje inexploradas.

O ministro do Turismo, Walfrido dos Mares Guia, observa que o estudo atende a solicitação do presidente Luis Inácio Lula da Silva, que busca maior integração no continente.

Por meio de convênio assinado com o MTur, caberá ao Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), uma entidade de estudos e pesquisas de alto nível criada em 2001 e ligada ao Ministério da Ciência e Tecnologia, a realização do estudo, que permitirá a formulação e execução de ações para o efetivo incremento da integração física sul-americana.

Deverá criar, também, sob a coordenação técnica do Instituto de Aviação Civil (IAC/DAC), as condições para viabilização de malha regional e rotas transfronteiriças economicamente viáveis, por meio da identificação de pares de cidade com potencial de demanda por transporte aéreo.

A metodologia permitirá a análise do potencial de ligação aérea de três maneiras: entre pares de cidades do Brasil; pares de cidades do Brasil e dos países da América do Sul; e entre pares de cidades de países da América do Sul, exceto o Brasil.

Acessibilidade aérea :

Localizado no Hemisfério Sul e com a Cordilheira dos Andes e a Floresta Amazônica como barreiras de curto prazo à união física com seus vizinhos sul-americanos, o Brasil precisa de acessibilidade aérea, o único instrumento de curto prazo para viabilização dos fluxos turísticos provenientes da costa do pacífico.

A proposta do Ministério do Turismo é respaldada em estudo realizado em 2003 pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que considera que a integração física sul-americana depende da convergência dos fluxos aéreos de longo curso com o tráfego regional realizada mediante centros de distribuição de fluxos aéreos ou HUB (s) aéreos (grandes aeroportos, que concentram a massa de passageiros que chega do exterior ou de pontos extremos do país e os distribui para o resto do país).

O diagnóstico do MTur abordará a atual situação do transporte aéreo na América do Sul, incluindo os acordos bilaterais e multilaterais, pactos regionais e outras iniciativas de integração aérea, as conexões entre o Brasil e os demais países sul-americanos, caracterizando a malha do continente, as principais empresas aéreas que operam na região, os fluxos regionais e sua relação com os fluxos das demais regiões. O estudo do CGEE será concluído até o final do ano.

Fonte: Marlene Gomes

  
  

Publicado por em