Caravana mostra o Brasil para os sul-americanos

Encerrou-se, dia 7/6, a primeira etapa da grande movimentação do projeto Caravana Brasil em 2006, desenvolvido pelo Ministério do Turismo, por meio da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), e implantado há três anos. Iniciada no último dia 30, co

  
  

Encerrou-se, dia 7/6, a primeira etapa da grande movimentação do projeto Caravana Brasil em 2006, desenvolvido pelo Ministério do Turismo, por meio da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), e implantado há três anos.

Iniciada no último dia 30, com oito grupos com 66 operadores de turismo provenientes de Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru e Uruguai, o Caravana Brasil apresentou in loco detalhes de infra-estrutura e operação turística de oito diferentes Estados do País: Alagoas, Ceará, Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Rio de Janeiro.

“Pude ter contato com a maioria dos operadores durante o encontro em São Paulo (SP) e todos se mostraram satisfeitíssimos”, comenta, de maneira geral, a assessora do Escritório Brasileiro de Turismo da América do Sul, Leila Holsbach.

“Pessoalmente, estive com um grupo de argentinos, todos integrantes do comitê Visite Brasil, por Sergipe e Alagoas. E, como todos já vendem Brasil, ficaram muito animados com a oportunidade de conhecerem novos destinos.

Pediram, inclusive, para conhecer mais hotéis que não estavam no roteiro inicial”, conta, destacando também o interesse da imprensa local pela passagem dos profissionais.

Ricardo Herrera, gerente da operadora colombiana Gamma, conheceu os estados de Paraná e Santa Catarina e se disse muito impressionado com Curitiba e Foz do Iguaçu.

“Atualmente levamos turistas para visitar as cataratas pelo lado Argentino, mas o lado brasileiro é muito mais bonito. A partir desse encontro devemos oferecer novos pacotes para o Brasil, principalmente para a região Sul”, contou.

Segundo Herrera, os turistas colombianos querem conhecer o País, mas os preços das tarifas aéreas são mais altos em relação a outros países do continente como Argentina e Chile.

“Brasil e Colômbia têm muitas relações comerciais e queremos que elas sejam intensificadas, sobretudo no turismo”.

“O grupo que acompanhei ficou impressionado como a variedade da infra-estrutura no litoral entre o Rio de Janeiro e São Paulo. Ficaram admirados com o fato de haver desde pequenas e charmosas pousadas até empreendimentos como resorts de alto luxo, em meio a uma natureza exuberante, e tão próximos de grandes metrópoles”, conta Vitor Cid, gerente de Segmentação e Produto da Embratur, que esteve com operadores equatorianos nos dois Estados. Foi a primeira participação de operadores daquele país em uma Caravana.

“Durante a viagem, principalmente os hoteleiros passaram muitos detalhes e no Guarujá (SP) o grupo foi recebido pelo próprio secretário de turismo da cidade”, conta sobre a atenção dispensada.

Depois de conhecerem diferentes destinos, os grupos sul-americanos encontraram-se na noite do último domingo, dia 4, em São Paulo, para uma festa de confraternização realizada no restaurante do terraço do Edifício Itália, tradicional ponto turístico do centro de São Paulo (SP), com visão panorâmica de boa parte da cidade.

Eles foram recebidos pelo presidente da Embratur, Eduardo Sanovicz, e pelos representantes dos principais parceiros na operação do projeto, o presidente da Braztoa (Associação Brasileira das Operadoras de Turismo), José Zuquim, e o diretor Financeiro da Infraero (Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária), Adenauer Figueira Nunes.

Também esteve presente o ministro-chefe da divisão de Feiras e Turismo do Ministério das Relações Exteriores, Sérgio Canaes (o Itamaraty, por meio dos Setores de Promoção Comercial das embaixadas brasileiras, faz parte dos Comitês Descubra Brasil na América do Sul - Visite Brasil, apenas na Argentina -, que reúnem a iniciativa pública e privada local pela promoção turística do País).

Encontro comercial :

Na segunda-feira, dia 5, os estrangeiros reuniram-se com 31 gerentes e diretores de operadoras nacionais para uma rodada de negócios realizada dentro do 2º Salão do Turismo - Roteiros do Brasil. Para se ter melhor idéia da representatividade e do potencial desses operadores, levantamento da FGV-RJ (Fundação Getúlio Vargas), a pedido da diretoria de Estudos e Pesquisas da Embratur, revelou que pelo menos 32 das empresas presentes afirmaram ter estimativa de movimentação que, somada, chega a US$ 20 milhões com negócios nos próximos dois anos (as demais empresas presentes não responderam à consulta).

`Falei com 10 pessoas, principalmente do Peru, Colômbia, Paraguai e Uruguai e fiquei com boas perspectivas para pelo menos três contatos`, revela Silvia Sá, diretora de Receptivo da Designer Tours.

`Nessas ocasiões não necessariamente fechamos negócios, mas abrimos um canal e agora podemos cultivar o relacionamento. E o aval dado pela Embratur e pela Braztoa dá aos operadores uma segurança de que estão tratando com pessoas sérias`, completa Sá.

`Fiquei impressionado com alguns contatos feitos com pessoas que mostraram muito interesse pelos produtos que comercializamos. Foram operadores que, apesar de já venderem Brasil, têm interesse em diversificar a oferta. Vamos mandar detalhes de tarifas, condições da operadora e roteiros detalhados`, diz Glen Gamper, gerente de Operação da Ambiental Expedições.

Hoje os sul-americanos começam a regressar para seus países de origem, à exceção do grupo de uruguaios, que primeiro participou da festa e da rodada de negócios. Desde ontem eles estão no Mato Grosso do Sul.

O projeto tem ainda em viagem desde o último domingo, uma segunda etapa com outros 25 grupos com 216 profissionais provenientes de Europa, América do Norte e África do Sul circulando por 10 Estados do País.

Fonte: Embratur

Del Valle Editoria
Contato: vininha@vininha.com

  
  

Publicado por em