Destinos turísticos não foram afetados e aguardam os veranistas em Santa Catarina

Balneários, praias e outros destinos catarinenses, famosos pela beleza natural e excelente estrutura hoteleira e de serviços, não foram atingidos e os turistas serão bem vindos.

  
  

Os destinos turísticos no litoral de Santa Catarina continuam lindos e prontos para receber turistas no verão 2009. As enchentes e deslizamentos ocorridos no período de 21 a 25 de novembro passado se concentraram principalmente no Vale do Itajaí, ou Vale Europeu, como é também conhecido. A área não é considerada turística.

Balneários, praias e outros destinos catarinenses, famosos pela beleza natural e excelente estrutura hoteleira e de serviços, não foram atingidos e aguardam os turistas, como em todos os verões.

O setor de turismo gera cerca de 7% do PIB anual catarinense na estação de veraneio. “O fluxo de turistas, no verão que se aproxima, será muito importante para a recuperação de Santa Catarina”, afirma Wilson Machado, presidente da seção catarinense da Associação Brasileira das Indústrias de Hotéis (Abih).

“Será uma catástrofe ainda maior, para o Estado, se o fluxo turístico for interrompido”, ressalta Célio Salles, empresário catarinense e presidente do Conselho Nacional de Administração da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel). Até o momento, o número de cancelamentos nas reservas não é significativo, segundo o presidente da Abih/SC.

“A tragédia não é menor do que a anunciada pela mídia, porém está concentrada em áreas que não são as do turismo”, explica Salles. Campanhas de esclarecimento estão sendo promovidas por hotéis, pousadas, restaurantes, agências de viagens e receptivo, entre outros, junto à clientela.

Nas próximas semanas, a Secretaria de Estado do Turismo de Santa Catarina (Santur) e entidades do trade turístico vão deflagrar campanha publicitária nacional para atrair turistas e garantir os negócios no verão. O slogan das peças será 'Santa Catarina continua linda', baseada em música de Gilberto Gil dedicada ao Rio de Janeiro.

“Desde a semana passada, recomendamos aos hoteleiros que entrassem em contato com seus hóspedes”, informa o presidente da Abih/SC. A situação nas praias catarinenses é totalmente normal, de acordo com ele. “A atividade turística é determinante para a vida das pessoas no litoral”, enfatiza Salles. A Abrasel/SC também apóia a campanha 'Santa Catarina continua linda', a ser lançada.

Algumas prefeituras de destinos turísticos também estão começando a distribuir matérias jornalísticas, esclarecendo que a estrutura dos destinos está pronta e aguardando visitantes no verão. “A campanha será, ainda, uma forma de agradecimento à solidariedade dos brasileiros”, observa Salles.

Solidariedade Hoteleira:

Na próxima semana, empresários do trade turístico vão promover a campanha Solidariedade Hoteleira de Santa Catarina. Diárias de hotéis, a preços mais acessíveis, serão colocadas em leilão eletrônico.

Do total arrecadado, 70% serão doados para os funcionários dos hotéis associados à entidade que foram atingidos pelas enchentes. O restante (30%) serão repassados para a Defesa Civil do Estado, diz Wilson. “A empresa de leilão está sendo contratada”, informa o presidente da entidade.

As reservas nos meios de hospedagem em Santa Catarina estavam em torno de 65% da capacidade total do Estado antes das chuvas e desastre ocorridos no Vale do Itajaí. Oitenta por cento delas são referentes a destinos litorâneos. A maioria é para hotéis e pousadas de Florianópolis, cuja estrutura conta com 30 mil leitos.

A capital catarinense parou apenas durante os cinco dias de chuvas intensas, esclarece Wilson. Os transtornos pontuais ocorridos já estão sendo solucionados. Eles estão concentrados no norte da ilha. O acesso às praias Juerê, dos Ingleses e Canavieiras, entre outras, estará restaurado em quinze dias, informa. Desvios provisórios garantem o acesso a essas praias por enquanto, segundo ele.

Alerta:

Campanhas, notícias das prefeituras e sites dos integrantes do trade turístico estão começando a divulgar informações e fotos dos balneários e praias para mostrar que continuam em condições normais para o recebimento de turistas. Informações confiáveis sobre doenças decorrentes das enchentes não foram confirmadas pelos órgãos responsáveis, segundo os dirigentes da Abih/SC e Abrasel/SC. Há muita especulação em torno da situação de extrema dificuldade no Vale do Itajaí.

Os meios de comunicação do Estado estão começando a informar que doações materiais já não são mais necessárias. “Há problemas de distribuição nas localidades”, revela Célio. Em alguns casos, há excesso de doações. Um dos locais atingidos pelas enchentes e deslizamentos recebeu doações de arroz suficientes para dez anos de abastecimento, exemplifica.

Doações em dinheiro continuam a ser bem-vindas, porém devem ser depositadas nas contas da Defesa Civil do Estado de Santa Catarina, alerta o presidente da Abrasel/SC. Há iniciativas e contas bancárias suspeitas sendo divulgadas para arrecadar recursos financeiros para Santa Catarina, segundo o dirigente da Abrasel/SC.

Fonte: Sebrae

  
  

Publicado por em

Lucia teixeira

Lucia teixeira

27/12/2008 15:44:33
Já havia planejado ir de carro,do Rio de Janeiro até Florianópolis. Mas depois de tanta catastrofe desisti. Agora pergunto: será que as estradas e os balneários estarão funcionando perfeitamente para os turistas?

Paulo Cesar Candido

Paulo Cesar Candido

13/12/2008 22:16:55
Eu acho que o governo tem que fazer uma campanha muito rápido incentivando o turista a vir para Santa Catarina,pois as reservas ja foram canceladas mais de 30% depois da enchente,pois a midia fala que SC. esta em calamidade.esquecendo de dizer que quem foi atingido foi o vale do itajai e nao Fpolis. Se o governo nao agir rapido teremos serios problemas tambem no setor turistico,que e o nosso caso.

Rafael Augusto

Rafael Augusto

12/12/2008 13:26:58
Boa Tarde!!
Até o momento não suspendi minha ida à Florianópolis no dia 26/12, mas gostaria de saber se os preços das mercadorias e demais serviços aumentarão além do comum em altas temporadas.

Obrigado,

Rafael Augusto