Discutindo ecoturismo, aventura e meio ambiente.

Considere, rapaz / A possibilidade de ir pro Japão Num cargueiro do Lloyd lavando o porão Pela curiosidade de ver / Onde o sol se esconde. Oriente. Gilberto Gil, 1971 ____________________________ Sair, viajar, andar pelo mundo para curtir suas be

  
  

Considere, rapaz / A possibilidade de ir pro Japão
Num cargueiro do Lloyd lavando o porão
Pela curiosidade de ver / Onde o sol se esconde.

Oriente. Gilberto Gil, 1971
____________________________

Sair, viajar, andar pelo mundo para curtir suas belezas. Desfrutar do mundo natural bem de perto, no próximo feriado prolongado ou naquelas tão sonhadas e merecidas férias. O destino pode ser aquela praia paradisíaca, deserta, aonde só se chega de barco, o parque nacional mais espetacular, aquele safári fotográfico que você sonhou por tuda a sua vida, a adrenalina de descer uma cachoeira enorme, o desafio de vencer aquele treking de alto grau de dificuldade.

Não importa o destino, não importa a dificuldade, não importa se é perto ou do outro lado do mundo, não importa se é para curtir o mais absoluto sossêgo no topo de uma montanha, ou para descarregar toda a sua adrenalina no mais radical dos esportes de aventura. Você saiu de sua casa para passar um tempo renovando sua cabeça e suas energias junto à natureza, longe do stress de sua cidade. Você é um ecoturista !

O ecoturismo veio para ficar. É o segmento mais promissor do turismo e vem movimentando considerável quantidade de dinheiro no Brasil e no mundo inteiro. Temos agências e serviços especializados, uma quantidade invejável de destinos, alguns já em operação, muitos outros com grande potencial para isso, políticas públicas, estudos e levantamentos sobre e para o setor. O ecoturismo já foi apontado como atividade de grande potencial para aumentar significativamente o número de turistas estrangeiros no Brasil, o que significa uma boa entrada de dólares e mais gente trabalhando, principalmente em locais onde hoje as oportunidades de trabalho são muito raras.

Mas, afinal, o que diferencia o ecoturismo de outras modalidades? Como se dá a relação do eco com o turismo? E o ecoturista? Será um sujeito meio maluco (ou meio excêntrico) que paga para ser picado por uma núvem de mosquitos só para ver o pôr-do-sol de um ângulo diferente? É um amante da natureza? Um freqüentador assíduo de parques nacionais, preocupado com a conservação do meio ambiente? E os locais que visitamos, serão um destino ecoturístico porque ainda encontram-se em estado primitivo? Porque os habitantes locais restringem-se a tocar pequenas pousadas e alguns botecos? E a aventura, onde se encaixa nisso tudo? E ...

O ano de 2002 foi designado Ano Internacional do Ecoturismo pela ONU. Vamos aproveitar então para abordar o tema nessa coluna. Você poderá encontrar aqui desde algumas dicas para aproveitar melhor a sua caminhada, até uma polêmica sobre se o ecoturismo é eco ou é ismo. Vamos aproveitar para discutir e refletir, rever nosso papel e nossas atitudes como ecoturistas. Afinal, desde o romantismo hippie dos anos 60, que influenciou o compositor Gilberto Gil em seu Oriente, até a reviravolta provocada pelos atentados de 11 de setembro em Nova Yorque, muita coisa mudou.

  
  

Publicado por em