Ecobase: embarque pelo mangue da Ilha das Caieiras

Projeto formará 30 condutores de Ecoturismo para guiar turistas pela diversidade e riqueza do mangue da Ilha das Caieiras, em Vitória (ES)

  
  

Um manguezal urbano a 30 minutos de Vitória (ES). Uma comunidade de pescadores, centro da gastronomia típica capixaba, traduzida pelas mãos das Desfiadeiras de Siri, que abastecem o mercado local de mariscos. Um paraíso chamado Ilha das Caieiras, em Vitória (ES), é o palco do projeto Ecobase, parceria entre o Ministério do Turismo (MTur) e o Instituto Capixaba de Ecoturismo (ICE), que visa à qualificação de condutores de ecoturismo com base na preservação e educação ambiental.

Na ilha, encontra-se a unidade de conservação Estação Ecológica do Lameirão, que preserva o ecossistema de manguezal. A ideia é qualificar jovens locais para conduzirem turistas, em barcos, pela Rota Manguezal, que será formatada pelos moradores da região. Ao todo, 30 jovens entre filhos de pescadores e proprietários de empreendimentos locais participarão do projeto. O curso seguirá instrução normativa do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), que define normas e procedimentos para prestação de serviços, por condutores de visitantes e turismo, em Unidades de Conservação Federais. A previsão é que o curso comece em 3 de maio.

“O projeto, além de aproveitar o potencial natural da região, busca a estruturação de um produto turístico diferenciado, com base na sustentabilidade ambiental, econômica e social. Além disso, pretende criar alternativas para que o turismo se consolide como fonte de geração de renda para a população local. Turismo desenvolvido pela e para a comunidade, que deverá ser a principal beneficiada pelo desenvolvimento da atividade turística”, ressalta a coordenadora-geral de Projetos de Estruturação do Turismo em Áreas Priorizadas, Kátia Silva.

O curso está entre as cinco etapas do projeto. A primeira é a instalação da Ecobase, espaço para desenvolvimento das atividades do projeto, onde funcionará também o centro de educação ambiental da comunidade. Na sequência, será realizado o curso de formação de condutores locais de Ecoturismo. O projeto envolve, ainda, a elaboração de roteiro e organização dos serviços; a formação de Comitê Comunitário de Turismo Sustentável, para debater as políticas públicas para o fomento do turismo na comunidade; e divulgação e venda do produto formatado por meio de parcerias com agências de turismo locais e dos principais destinos emissores.

Segundo o coordenador do projeto, Felipe Ramaldes, a ideia é estabelecer, a partir de passeios no manguezal conduzidos pela comunidade, uma rede de serviços que agregue a culinária local, o artesanato e apresentações culturais. “Assim, será possível estabelecer uma forma alternativa de complementação da renda familiar, por meio do aproveitamento do recurso natural, e resignificação da percepção da identidade pesqueira”, destaca. Ramaldes ressalta, ainda, que o projeto será uma oportunidade de elevar da auto-estima da comunidade e contribuir para o respeito ao meio ambiente.

O Ecobase está entre os 50 projetos de Turismo de Base Comunitária apoiados pelo MTur, conforme edital 001/2008 de apoio às iniciativas de Turismo de Base Comunitária.

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em