Embratur participa de feira de cruzeiros nos Estados Unidos

No início de março o Brasil esteve presente no maior encontro internacional da indústria de cruzeiros marítimos, a Seatrade Cruise Shipping Convention, em Miami, nos Estados Unidos. Representada por Alexandre Raulino, responsável pelo Escritório Brasi

  
  

No início de março o Brasil esteve presente no maior encontro internacional da indústria de cruzeiros marítimos, a Seatrade Cruise Shipping Convention, em Miami, nos Estados Unidos.

Representada por Alexandre Raulino, responsável pelo Escritório Brasileiro de Turismo (EBT) nos Estados Unidos, a EMBRATUR (Instituto Brasileiro de Turismo) levou sete co-expositores ao evento, aberto somente a profissionais. `Estamos nos consolidando como destino para cruzeiros há alguns anos`, afirma Raulino.

Segundo a ICCL (International Council of Cruise Lines), cerca de 7,5 milhões de residentes nos EUA viajaram pelo mundo em transatlânticos no ano de 2002, aproximadamente 82% do movimento global de passageiros na indústria.

Um turista de cruzeiro marítimo internacional pode gastar até US$ 100 mil para uma viagem, estima Cláudia Magalhães, gerente da South American Tours no Brasil, que esteve com a EMBRATUR na feira.

Entre outros navios de 2003-2004 (as temporadas vão aproximadamente de outubro a abril), a empresa operou o turismo terrestre no Rio de Janeiro (RJ) dos passageiros do maior navio do mundo, o Queen Mary II.

Ele embarcou um total de 2,6 mil pessoas, a maioria deles americanos, na rota Inglaterra-Estados Unidos-Brasil, e ficou quatro dias no Rio de Janeiro,passando também por Salvador (BA). `Em terra, estes turistas gastam de US$ 100 a US$ 150 por dia`, afirma Cláudia. A média de tempo destas viagens é de quinze dias.

Dos dois tipos de cruzeiro (cabotagem e longo curso), o de longo curso é o que traz turistas estrangeiros, que vêm de seus países e ficam alguns dias em terra.

Entre os dois, a Pier Mauá S.A., que administra a Estação Marítima de Passageiros do Porto do Rio de Janeiro, contabiliza um movimento de 95 mil passageiros na temporada 2002-2003 na cidade.

Destes, 28 mil vieram com navios de longo curso. Em 2001-2002, a empresa viveu seu recorde em cinco anos de gestão da Estação, recebendo 115 mil turistas, dos quais 31 mil eram estrangeiros. Este porto é o de maior volume de passageiros em viagem de longo curso no Brasil.

`O turismo de cruzeiro internacional viveu uma fase não muito boa na temporada passada, mas agora estamos recuperando a movimentação`, afirma Pedro Guimarães, gerente de operações da empresa.

Ele estima para esta temporada 95 mil passageiros a bordo de 37 transatlânticos, resultando uma entrada de US$ 19 milhões, contra US$ 16 milhões na anterior.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Embratur

  
  

Publicado por em