Empresários de turismo fecham negócios durante a visita a China

A viagem para a China, no mês de maio, considerada a maior missão de negócios do governo Lula, superou todas as expectativas e trouxe resultados concretos para o setor do turismo. Segundo empresários e executivos que estiveram na missão (42 fizeram pa

  
  

A viagem para a China, no mês de maio, considerada a maior missão de negócios do governo Lula, superou todas as expectativas e trouxe resultados concretos para o setor do turismo.

Segundo empresários e executivos que estiveram na missão (42 fizeram parte da comitiva) vários negócios foram encaminhados, além da confirmação dos quatro vôos semanais que a Varig passa a operar a partir de
agosto, ligando os dois países.

Na ocasião, o governo chinês anunciou a concessão ao Brasil do ADS, Estatuto de Destino Aprovado, que possibilitará aos turistas daquele país viajarem para cá
sem os trâmites e restrições existentes hoje. O ADS já foi concedido pelo governo chinês aos membros da União Européia e a outros 34 países, incluindo Cuba, o único país das Américas a receber este tipo de autorização.

O documento será assinado formalmente em agosto e só a partir daí se poderá de fato começar a fechar negócios.

O presidente da Embratur, Eduardo Sanovicz, que liderou o grupo, juntamente com o Ministro do Turismo, Walfrido dos Mares Guia, diz que `nosso setor foi o que mais atraiu empresários durante a visita`, acrescentando que `é imenso o potencial do mercado da China.

A vinda dos seus turistas de negócios e lazer pode representar um grande aumento do superávit da balança comercial brasileira. O fluxo de turistas chineses ao Brasil em 2002 foi de 12.900 pessoas. Com o constante aumento da renda per capta da China podemos prever facilmente um número muito superior a este em pequeno espaço de tempo, após um trabalho concentrado.`

Vários negócios já foram encaminhados e aguardam apenas o acerto formal, segundo José Zuquim, diretor da Ambiental Expedições.

`Foram apresentadas solicitações objetivas, coisa que nunca acontece em eventos dessa natureza`, diz Zuquim, que também é presidente da Braztoa (Associação Brasileira das Operadoras de Turismo) lembrando que `os turistas chineses buscam coisas diversas, como um grupo de prefeitos que quer conhecer de perto o saneamento básico da cidade de São Paulo, outros se interessaram por ecoturismo na Amazônia e também existe uma pequena procura por sol e praia`.

Para a diretora de Turismo de Negócios e Eventos da Embratur, Jeanine Pires, um leque muito grande de possibilidades se abriu com essa visita: `A forma como eles encaram o turismo é muito diversa da que a gente conhece. Eles viajam em grupos e buscam coisas concretas, intimamente ligadas às suas atividades profissionais, ou buscando atividades consideradas exóticas culturalmente.`

Jeanine demonstra também preocupação no receptivo desses turistas, alertando para o fato de que `além de uma cultura e língua completamente diferentes da nossa, eles têm também estes interesses definidos, o que gera um receptivo altamente especializado, que exige muito preparo da nossa parte, o que é imprescindível para a manutenção e ampliação desse mercado`.

Na China, o Ministério do Turismo e a Embratur realizaram workshops com rodadas de negócios em Pequim, no dia 24, e em Shangai dois dias depois. O resultado foi a
presença de 130 e 180 participantes em cada uma delas, número considerado excelente.

De acordo com o Ministério da Relações Exteriores, o relacionamento comercial bilateral com a República Popular da China (RPC) tem contribuído favoravelmente para a balança comercial brasileira. Nesses três anos, cresceram tanto as exportações quanto as importações, tendo o Brasil passado de um déficit de US$ 136 milhões em 2000 para um superávit de US$ 966,3 milhões em 2002.

Há inegável espaço para a ampliação do comércio Brasil-China em diversos setores econômicos, entre os quais o turismo de negócios é de fundamental importância para o seu desenvolvimento.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Embratur

  
  

Publicado por em