Estrada Parque da Serra do Guararu , a ser inagurada, é um museu natural

A cada verão, a cidade do Guarujá-SP, tem sua população de 260 mil habitantes quadruplicada, o que faz com que a chamada “Pérola do Atlântico”, uma ilha, tenha seus recursos naturais sucessivamente e intensamente degradados. Preocupados co

  
  

A cada verão, a cidade do Guarujá-SP, tem sua população de 260 mil habitantes quadruplicada, o que faz com que a chamada “Pérola do Atlântico”, uma ilha, tenha seus recursos naturais sucessivamente e intensamente degradados.

Preocupados com a situação dos últimos remanescentes de Mata Atlântica do município, uma região de 4 mil hectares na Serra do Guararu, a Sociedade Amigos do Iporanga (SASIP) iniciou há 3 anos uma parceria com a Fundação SOS Mata Atlântica.

O projeto se estendeu a outros setores da sociedade e durante os últimos 3 meses o foco principal foi a obra de revitalização da área da balsa, segunda fase de consolidação da Estrada Parque da Serra do Guararu, um museu natural de percurso, que terá sua inauguração neste sábado (24 de janeiro), às 11h, com a possível presença do governador do Estado, Geraldo Alckmin.

O modelo de implantação da Estrada Parque da Serra do Guararu pode ser replicado em várias outras regiões do País”, ressalta o presidente da Fundação, Roberto Klabin. A mesma estrutura – aliada a programas de conservação que também visam gerar recursos para as comunidades tradicionais e locais – já foi implantada pela SOS na Estrada Parque que liga Itu a Pirapora do Bom Jesus, no interior do Estado.

“Fazemos com que um espaço de “ir e vir” (a estrada) passe a envolver ecoturismo, conservação, lazer, cultura, preservação ambiental e geração de renda”, completa Klabin.

Além da SASIP e da SOS Mata Atlântica, participam do projeto na Serra do Guararu e do ato solene de sábado o Departamento de Estradas de Rodagem (DER), o Desenvolvimento Rodoviário S/A (Dersa) e a Secretaria dos Transportes do Estado de São Paulo.

A obra realizada nos últimos três meses consumiu R$ 200 mil (recursos da SASIP) e contempla, entre as várias etapas, o restauro da trilha que leva à Prainha Branca, que vem sendo realizado em mutirão pela comunidade com acompanhamento do Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico do Estado de São Paulo).

A Estrada Parque da Serra do Guararu está localizada entre os km 8 e 22 da Rodovia SP-61. No km 17 há um Centro de Educação Ambiental e Estudos do Mangue, base do programa na região, onde monitores da SOS Mata Atlântica fornecem informações para os turistas.

A Serra :

Local onde o alemão Hans Staden foi aprisionado por índios por volta de 1550 é hoje ameaçada por graves problemas de ocupação desordenada, agressão ambiental e lixo. Uma das atividades implantadas é
o Jogue Limpo Guararu, um programa de coleta seletiva de materiais recicláveis, que vem gerando renda para os moradores locais.

Na região também conhecida como Rabo do Dragão há nascentes, córregos, cachoeiras, vegetação de restinga e os manguezais essenciais para o controle das marés e a reprodução de espécies nativas.

Entre os ilustres habitantes da Serra estão animais ameaçados de extinção como a preguiça e o pássaro tiê-sangue. Tucanos e beija-flores convivem com o palmito juçara em uma porção de floresta considerada em bom estado de conservação pelos ambientalistas.

Há, ainda, patrimônios arqueológicos e arquitetônicos, como as ruínas dos Fortes de São Felipe e São Luís, além de casas antigas feitas com a técnica de taipa.

Fonte: Voice Agência de Comunicação

  
  

Publicado por em