Festival revela riqueza cultural da Costa do Descobrimento

A beleza natural do litoral sul da Bahia fez da região uma confluência de pessoas vindas de diferentes partes do país e do mundo. Uma mistura de sotaques e línguas que reflete na variedade da culinária local, como mostra a programação do 2º Festival Gastr

  
  

A beleza natural do litoral sul da Bahia fez da região uma confluência de pessoas vindas de diferentes partes do país e do mundo. Uma mistura de sotaques e línguas que reflete na variedade da culinária local, como mostra a programação do 2º Festival Gastronômico da Costa do Descobrimento, aberto na noite de sexta, dia 21/7, com show do cantor e compositor Orlando Moraes, e que prossegue até 6 de agosto.

De Belmonte e Caraíva, 50 restaurantes estão oferecendo pratos especialmente preparados para o evento. Junto com a peculiaridade dos temperos e a variedade de opções de turismo histórico, ecológico e de aventura, o visitante poderá também saborear muitas histórias desses estabelecimentos e seus donos.

“O turista não precisa ficar apenas à procura de lazer de sol e praia, porque essa região mantém tesouros escondidos que precisam ser explorados”, afirma Paulo Manso, diretor do Sebrae Bahia, entidade organizadora do evento.

“O Festival Gastronômico gera novos conteúdos em lazer, gastronomia, cultura e chama atenção para outros atrativos locais”, completa. Entre esses, pode-se incluir, sem dúvida, a simpatia e a hospitalidade dos moradores da região.

Há quem tenha chegado ali já faz bastante tempo, como o italiano Frederico Idi, que há 15 anos abriu o Fazenda Amendoeira, na praia das Tartarugas, em Santa Cruz de Cabrália. Há quem tenha sempre estado ali, caso da baiana Nelsa Barbosa, a Nelsinha do Restaurante O Açougue, em Belmonte. Idi, que é também chef do Fazenda Amendoeira, criou para o 2º Festival Gastronômico da Costa o Filé de Peixe Pargo Grelhado, flambado em conhaque e servido com batatas douradas na manteiga, alecrim e pimenta do reino e arroz com brócolis.

Nelsinha é expert na comida típica de sua terra, mas durante o Festival vai servir Filé Mignon à Moda da Casa, acompanhado de arroz branco, farofa e aipim.

Há também quem tenha chegado há pouco tempo na região para exercer a paixão pela gastronomia, a exemplo do casal de italianos Tiziano e Roberta, que se mudou para Porto Seguro há seis anos e há três abriu na Passarela do Álcool o Área Restaurante.

É claro que a receita do Peixe a Cartoccio (Camarão, Lula e Legumes) tem inspiração na cozinha italiana. Assim como tem inspiração portuguesa o Bacalhau 5 Patacas que será servido durante o Festival no Restaurante Tropical, inaugurado em 2003 no alto da ladeira do Mirante Panorâmico, em Santa Cruz Cabrália, pelo simpático alentejano Seu José. A chef Alessandra Silva é a responsável pela receita.

De menos longe vieram a família Miola e o casal Walderez e Antônio. A procedência dos Miola está no nome do estabelecimento: Barraca do Gaúcho, aberta em 1989 com apenas um pequeno salão coberto de piaçava e hoje um dos pontos mais freqüentados por moradores e turistas, tendo à frente da cozinha o chef Felipe Alves (que selecionou para o festival um Filé de Peixe em Molho de Alcaparras). Walderez e Antônio, por sua vez, trocaram o dia-a-dia de metalúrgicos na Grande São Paulo pela vida à beira-mar, em 1999.

“Tínhamos feito um acordo na empresa e viemos conhecer Porto Seguro. Foi quando nos ofereceram a barraca e, como estávamos encantados com lugar, assumimos o ponto”, conta Walderez. A barraca a que ela se refere é a Barraca Sol e Mar, localizada na tranqüila praia do Mundaí, entre árvores nativas e amendoeiras. Nesse ambiente poderá ser apreciado o Camarão do Festival.

Arraial D´Ajuda foi o lugar escolhido por dois argentinos para se estabelecerem no ramo gastronômico. Alano Munro chegou há oito anos e preferiu investir na culinária de seu país. Abriu o Restaurante Boi nos Aires, especializado em carnes, como o Medalhão Boi nos Aires, que será servido no Festival.

Alfredo Vivas veio passear no Brasil depois de morar um tempo na Holanda e resolveu ficar em Arraial. Há quatro meses, adquiriu o restaurante Delícias Baianas, no qual conta com a ajuda de uma eficiente equipe, comandada pelo chef José Martins, criador do Espaguete Delícias Baianas, que leva camarão e polvo.

E em Trancoso, dois exemplos do cosmopolitismo da Costa são os Restaurantes Cambusa e Sabor do Mundo. O Cambusa pertence ao casal Alessandro, italiano, e Flávia, fluminense.

O lugar tem ambiente rústico e aconchegante e a qualidade da comida é garantida pelo chef paulistano Plínio Favaro, criador do Robalo Mama Mia, o prato do Festival. O Sabor do Mundo tem à frente de sua cozinha o holandês Bartholomeus Pinners, que oferece uma mistura de cozinha brasileira, asiática e européia, bem representada pelo Plaah Tad Tjap King, filé de peixe olho-de-boi, com tempero condimentado, que inclui fungo japonês, shitake e gengibre. O Sabor do Mundo fica à beira-mar, na praia Rio Verde, a 2 km de Trancoso.

Promovido pelo Sebrae, Bahiatursa e entidades locais, com apoio do Porto Seguro Convention Bureau e das prefeituras de Porto Seguro, Belmonte e Santa Cruz de Cabrália, o 2º Festival Gastronômico da Costa do Descobrimento vai coincidir com outro evento que movimentará o litoral sul da Bahia nos primeiros dias de agosto. Em sua 14ª edição, o tradicional Rally dos Sertões começa dia 24 de julho em Goiânia e termina dia 4 de agosto na Passarela do Álcool, em Porto Seguro.

Lá, os competidores serão recebidos com show da banda Vixe Mainha e no dia seguinte participarão de festa de premiação na Ilha dos Aquários, também em Porto Seguro.

Fonte: Sebrae

Del Valle Editoria
Contato: vininha@vininha.com

  
  

Publicado por em