Ministério do Turismo consolida gestão descentralizada e participativa

O primeiro ano de trabalho do Ministério do Turismo foi dedicado, prioritariamente, à própria estruturação do Ministério e a discussão e estabelecimento da Política Nacional de Turismo e sua consolidação com a elaboração do Plano Nacional de Turismo.

  
  

O primeiro ano de trabalho do Ministério do Turismo foi dedicado, prioritariamente, à própria estruturação do Ministério e a discussão e estabelecimento da Política Nacional de Turismo e sua consolidação com a elaboração do Plano Nacional de Turismo.

Mesmo assim, o Ministério comemora resultados efetivos, como a implantação dos fóruns estaduais de turismo nas 27 unidades da federação e o Plano Nacional de Turismo.

Lançado pelo Presidente Luís Inácio Lula da Silva, no dia 29 de abril de 2003, o Plano Nacional de Turismo é o documento de referência básica das ações do Ministério do Turismo. Foi concebido de forma coletiva, com ampla consulta a todas entidades das diversas regiões brasileiras e a todos os setores representantativos do turismo.

Tem como princípios orientadores a Redução das Desigualdades Regionais e Sociais, a Geração e Distribuição de Renda, a Geração de Empregos e Ocupação e o Equilíbrio do Balanço de Pagamentos.

Foi consolidado, ainda, o núcleo estratégico, com a oficialização do Conselho Nacional de Turismo, o Fórum de Secretários e Dirigentes Estaduais de Turismo, Câmaras Temáticas e os Fóruns Estaduais de Turismo, instrumentos fundamentais para a gestão democrática e descentralizada proposta.

Com a instalação na terça-feira (17/12) do Fórum Estadual de Turismo de Sergipe, o 27º e último fórum oficializado pelo Ministro Walfrido dos Mares Guia, o Ministério do Turismo termina o ano com a efetiva implantação de um novo modelo de gestão.

Os fóruns constituem instrumento fundamental de descentralização e democratização das ações do Ministério, com representação do poder público municipal, estadual e da sociedade civil.

No campo internacional, o Brasil ampliou a sua atuação junto à Organização Mundial do Turismo (OMT). Além de ter sido reeleito para o Conselho Consultivo da OMT, o País passou a integrar três comitês estratégicos:Qualidade, Orçamento e Finanças, e Marketing. Também consolidou o turismo como setor prioritário no Mercosul.

O Planejamento Territorial Turístico Brasileiro deverá estar pronto em março de 2004. Prevê a definição de, no mínimo 81 pólos turísticos prioritários, envolvendo entre 1.500 e 1.800 municípios. Cada pólo contará com um plano estratégico específico.

Investimentos :

Os investimentos externos vão gerar mais de 10% dos empregos previstos pelo Plano Nacional de Turismo. Em relação ao ano passado houve um incremento na oferta de crédito para o setor de turismo de R$ 1,3 bilhão, sendo que, deste total, R$ 550 milhões representam linhas específicas para financiar o lazer do trabalhador.

A captação de investimento direto externo representa um valor superior a R$ 1,8 bilhão. Grandes grupos, como o Hopotels, Espírito Santo e Iberostar, já decidiram investir.

Embratur :

Com a criação do Ministério do Turismo, a Embratur passou a cuidar exclusivamente da promoção, marketing e apoio à comercialização dos produtos, serviços e destinos brasileiros no exterior.

A Embratur captou 11 eventos internacionais, que vão gerar, em 2004, cerca de 15 milhões de dólares. Também foram implantados 13 escritórios brasileiros de turismo na Europa, Estados Unidos e América do Sul, enquanto a participação para 24 feiras internacionais, com 381 expositores nacionais, 4.723 operadores e 118.765 visitantes.

Fonte: AssCom. Social Ministério do Turismo

  
  

Publicado por em