O Destino Brasil é destaque na midia internacional.

As estratégias da EMBRATUR (Instituto Brasileiro de Turismo) para diversificar a oferta do país no exterior começam a trazer resultados.`Um ímã para os turistas estrangeiros`, é como Salvador (BA) é classificada na edição de 28 de setembro do caderno de v

  
  

As estratégias da EMBRATUR (Instituto Brasileiro de Turismo) para diversificar a oferta do país no exterior começam a trazer resultados.`Um ímã para os turistas estrangeiros`, é como Salvador (BA) é classificada na edição de 28 de setembro do caderno de viagem do jornal mexicano Diario de Yucatán.

Esse é apenas um exemplo de como o destino Brasil tem ganhado importância na mídia internacional, focando cada vez mais o país como um mercado importante, com a economia e exportações em franco crescimento e, somado a tudo isso, um país diverso culturalmente e altamente atraente para o turismo internacional.

Além da atenção a destinos tradicionais como a Bahia, a imprensa estrangeira começa a focar o turismo em todos os estados do Brasil e por segmentos turísticos. No ano passado, foram lançados pela EMBRATUR onze produtos a serem oferecidos no mercado internacional(Negócios & Eventos, Cidades Patrimônio, Golfe, Sol & Mar, Resorts, Ecoturismo, Aventura, Festas & Eventos, Mergulho, Incentivo e Pesca Esportiva) no sentido de mostrar que o país tem, além de sol e praia, muito mais para oferecer.

A revista portuguesa Hole One de julho/agosto, tem como reportagem de capa o Golfe no Brasil. Fala que aqui estão reunidos `campos de cortar a respiração` com `falésias
multicoloridas, praias brancas e desertas`.

A revista francesa Sport Free Attitude traz matéria com a prática de surf na pororoca do Rio Amazonas com o oceano Atlântico, mostrando o Brasil como palco interessante para o esporte.

Para a presidente da Amazonastur, Oreni Braga, “ações como a participação em feiras nacionais e internacionais, em cooperado com a EMBRATUR e a parceria do trade turístico do Amazonas, aliados ao atendimento a equipes jornalísticas, são fundamentais. Recebemos
profissionais da França, Itália, Argentina, Alemanha, Inglaterra. Isso gera mídia internacional praticamente gratuita e de grande visibilidade para o Amazonas”.

A viagem ao Pantanal (MS e MT), Florianópolis (PR), Búzios (RJ), São Paulo (SP) e Foz do Iguaçu (PR) do jornalista mexicano Oscar Alvarez,com apoio da EMBRATUR, rendeu matérias diversificadas sobre o Brasil em veículos de seu país, como nas revistas Mercedes, Diz e a De Viaje!, do jornal Reforma. Elas mostraram que se pode observar aves, visitar centros históricos e conhecer resorts de excelente qualidade, entre outras tantas possibilidades.

A revista portuguesa Rotas e Destinos publicou um suplemento especial sobre a Amazônia (AM), mostrando que o ecoturismo é um ótimo motivo para se visitar o Brasil, assim como matéria do americano San Francisco Chronicle, em setembro, que fala de mergulho em Fernando de Noronha (PE) e da Cidade Patrimônio Olinda (PE).

Salvador, que também está inscrita na lista da Unesco como Patrimônio da Humanidade, é destaque na revista portuguesa A Próxima Viagem, que destaca a herança lusitana na cidade.

Negócios :

O profissionalismo brasileiro é citado em matérias de grandes jornais, como o português Independente, em cujo caderno de economia há uma entrevista com a executiva do Escritório Brasileiro de Turismo (EBT) em Lisboa, Vera Sanches, com o título `A criação do Ministério do Turismo foi um grande golo`.

O professor na faculdade de Economia da Universidade Nova Lisboa, José Albuquerque Tavares, assinou um editorial do jornal O Público em agosto que começa assim: `Ganha ou não esta final, em Portugal o ano ficou bem marcado pela alegria e eficácia da gestão dos brasileiros. Fernando Pinto virou a sorte à TAP em anos de vacas magras para voar, Roberto Medina organizou um grande festival de rock marcado pela inovação e Felipe Scolari libertou a seleção de fantasmas do passado para nos oferecer novas alegrias`.

Nada além nem aquém do que o Brasil está vendendo ao exterior - a seriedade com trabalho, como também mostra a matéria `Terra de Negócios`, publicada no The Washington Times em 21 de setembro. A reportagem afirma que o Brasil deixou de ser um lugar `pouco confiável para se investir`, e menciona recentes ofertas de ações realizadas por empresas brasileiras: `A diferença parece estar em como o mundo financeiro enxerga o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Desde que iniciou a gestão, o governo Lula controlou a inflação com políticas monetárias ortodoxas. No começo, levou a economia para a recessão, mas logo a colocou em ritmo de crescimento sustentável não visto desde 1970`.

`Aprendendo a amar Lula`, uma edição especial da revista americana Fortune, comenta que os problemas que existem no Brasil, inclusive a desigualdade social, `têm sua melhor chance em décadas de atingir seu potencial e subir ao nível dos países mais desenvolvidos do mundo`.

O Finantial Times mostra o potencial de exportação brasileiro através de diversos produtos: ônibus rodoviário para África, biquínis para Austrália e França, sapatos para o mundo inteiro etc. São muitas as amostras de que o Brasil ganha confiança lá fora. Para se ter uma idéia,no dia 28 de setembro, a Secom (Secretaria de Comunicação de Governo de Gestão Estratégica da Presidência da República) apurou que o site Google News em inglês resultava em 24 mil notícias pesquisadas com a palavra `Brazil`. O site em espanhol da mesma companhia registrou 21,2 mil notícias no mesmo dia, com a palavra `Brasil`.

O turismo já tem resultados da melhora de imagem do Brasil no exterior: neste ano, os gastos de turistas estrangeiros no país, até agosto, somavam US$ 2.104 bilhões, 36,36% a mais do que em 2003, e os desembarques em vôos internacionais aumentaram 15,17%, chegando a 3.957.752 passageiros, segundo a Infraero.

Fonte: Assessoria de Comunicação da EMBRATUR

  
  

Publicado por em

Terezinha Brito de Almeida

Terezinha Brito de Almeida

17/09/2008 15:28:59
Noticias maravilhosas,mas precisam contagiar nos profissionais do turismo, com ações mais concretas, afinal investimos tanta na nossa carreira e quase não vemos retorno.