Oficina vai tratar da roteirização de destinos no Vale do Acre

Profissionais do Sebrae, Senac e secretarias de Turismo dos estados da Região Norte estiveram reunidos, de 10 a 12 de agosto, no Rio Branco, AC, para obter informações e realizar a montagem da roteirização de três destinos turísticos localizados na região

  
  

Profissionais do Sebrae, Senac e secretarias de Turismo dos estados da Região Norte estiveram reunidos, de 10 a 12 de agosto, no Rio Branco, AC, para obter informações e realizar a montagem da roteirização de três destinos turísticos localizados na região do Vale do Acre.

As três rotas englobam dez municípios e são conhecidas como `Caminhos da Revolução`, situado num sítio arqueológico; `Caminhos de Chico Mendes`, na cidade de Xapuri e no Seringal Cachoeiro; e `Caminhos do Pacífico`, que envolve a integração com a Bolívia e o Peru, partindo de Rio Branco e tendo como ponto de chegada a capital peruana.

A idéia da oficina foi nivelar tendências e conhecimentos sobre roteirização desses destinos, transformando-os em produtos turísticos que serão comercializados. A expectativa é que até o próximo Salão do Turismo, no ano que vem, esses roteiros estejam prontos para o público.

Além do trabalho em sala de aula, os 40 técnicos vão fazer ações em campo para conhecer a infra-estrutura local e o que pode ser sugerido para a governança desenvolver o destino como uma rota comercializável.

A roteirização no Vale do Acre servirá como projeto piloto no trabalho de integração de formatação de roteiros.

Como são os roteiros:

O roteiro `Caminhos do Pacífico`, que liga a capital Rio Branco à cidade de Assis Brasil, distantes 350 quilômetros, quer integrar o Acre ao turismo já promovido no Peru, principalmente na cidade de Cuzco. É o município mais próximo do Estado e o que atrai turistas do mundo todo por conta da cultura Inca em Machu Pichu.

Já o `Caminhos da Revolução`vai apresentar como atrativo a histórica revolução acreana, que movimentou a região no início do século XX. Foi a partir dessa revolução entre seringueiros brasileiros, que exploravam terras bolivianas, e forças da Bolívia, que cobravam impostos dos brasileiros, que surgiu a discussão da criação do território do Acre. Posteriormente, com a assinatura do Tratado de Petrópolis entre os dois países, o Acre tornou-se terra brasileira.

A terceira rota, `Caminhos de Chico`, conta a história de Chico Mendes no Seringal Cachoeira e sua luta pela exploração sustentável dos produtos da floresta amazônica em detrimento da ocupação de fazendeiros na região.

Fonte: Agência Sebrae de Notícias

  
  

Publicado por em