Operação de turismo na selva do Peru chama a atenção de brasileiros do projeto Excelência em Turismo

Guias de turismo com formação de nível superior, ótima logística, lodges bem-equipados e uma das melhores estruturas para a observação de aves. Estes foram os pontos que mais chamaram a atenção dos profissionais de turismo que foram ao Peru pelo projeto E

  
  

Guias de turismo com formação de nível superior, ótima logística, lodges bem-equipados e uma das melhores estruturas para a observação de aves. Estes foram os pontos que mais chamaram a atenção dos profissionais de turismo que foram ao Peru pelo projeto Excelência em Turismo: aprendendo com as melhores experiências internacionais, fruto de uma parceria entre o Ministério do Turismo - por meio da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) - e SEBRAE Nacional (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), tendo a Braztoa (Associação Brasileira das Operadoras de Turismo) como executora.

Durante a viagem, que aconteceu entre 10 e 19 de junho, 11 representantes de operadoras de turismo receptivo e meios de hospedagem especializados em ecoturismo e turismo cultural visitaram a Amazônia peruana e cidades patrimônio da humanidade como Cuzco e Machu Picchu. A alta qualificação dos guias turísticos locais impressionou o grupo.

Todos têm curso superior, como turismo ou biologia, e para atuar em determinada região eles precisam ainda de uma certificação específica, que requer até dois anos de estudos para ser obtida.

“Os guias que nos acompanharam nos dois lodges onde ficamos na selva conhecem muito bem a fauna e flora locais. São extremamente simpáticos e carinhosos com os turistas e conduzem bem os grupos, sendo que é prática deles trabalhar com pequenos grupos (de duas a oito pessoas), o que resulta numa melhor prestação de serviço”, relatou a operadora Lucia Castanho Valente, da Harpya, de Santos (SP), que promove visitas à Mata Atlântica paulista.

A logística voltada para o turismo, envolvendo a utilização de diferentes meios de transportes, de barcos a trens, recebeu avaliação positiva dos participantes da viagem, sobretudo por ser o diferencial quando da formatação dos atrativos naturais e culturais em produtos turísticos operados com excelência.

Felipe Aragão, da Dunnas Expedições, de Fortaleza (CE), destacou as ruínas da cidade sagrada da antiga civilização Inca de Machu Pichu, encravadas no alto de uma montanha a mais de 2 mil metros de altitude, encoberta por outras montanhas, e que só foram descobertas em 1911.

“O acesso a ela se dá por trem num percurso de três horas e meia de rara beleza cênica entre as montanhas, desde a cidade de Cuzco até Águas Calientes, e daí em ônibus num trajeto de 20 minutos serpenteando a montanha morro acima”, contou Aragão.

Lodges e aves:

Segundo o representante da Embratur Ricardo Attuch, um dos coordenadores da equipe, o país apresentou produtos bastante desenvolvidos, como os lodges na selva, que são muito bem planejados. A estrutura para a observação de aves foi outro destaque.

As plataformas ficam na altura das copas das árvores, a cerca de 40 metros do solo, o que permite uma completa visualização da enorme variedade de aves.

Benchmarking:

A hoteleira Vitória Carvalho, do Cristalino Jungle Lodge, de Alta Floresta (MT), afirmou que a viagem ao Peru foi uma oportunidade de aprender e absorver as boas práticas, e “verificar que a Amazônia brasileira também oferece produtos de qualidade e diferenciados”.

“Temos muito o que explorar para o mercado externo, como a facilidade de acesso”, disse ela, referindo-se ao potencial brasileiro de turismo de selva.

Os participantes estão elaborando relatórios sobre as visitas, cujas informações servirão de base para a consolidação do material técnico final. Este material, juntamente com o DVD que já está sendo produzido, será utilizado nas ações de multiplicação (oficinas, palestras, publicação de artigos etc.), que têm por objetivo disseminar todo o conhecimento adquirido, buscando implantar melhorias nas empresas que operam e comercializam o produto turístico brasileiro para assegurar a competitividade dos destinos.

Também integraram o grupo os profissionais Carolina Moura, do Hotel Juma, e Nobuyuki Shinozaki, do hotel Amazon RiverSide, ambos de Manaus (AM); Paulo Marcelo de Paiva, da Pousada Uacari, na reserva Mamirauá (AM), a 450 km de Manaus e próxima da tríplice fronteira (Brasil, Peru e Colômbia); Waldinor Mota da Silva, da Santarém Tur, de Santarém (PA); Rosier Saraiva Filho, da operadora Trilhas do Brasil, de Fortaleza (CE); Ricardo Ferreira Garcia, da Pousada Sítio Paraíso, de Itacaré (BA); Daniel de Barros, do Recanto Barra Mansa, no Pantanal (MS); e Lucila Sermann, da operadora Gondwana Brasil, de Curitiba (PR); e ainda, como coordenadores, Karem Basulto, da Braztoa, executiva do projeto, e o consultor técnico Roberto Mourão, do Instituto EcoBrasil.

México:

Na manhã da sexta-feira, 24 de junho, o grupo da terceira viagem técnica do projeto Excelência em Turismo embarcou para o México, onde conhecerá práticas bem-sucedidas em mergulho. A equipe é formada pelos seguintes profissionais de empresas de mergulho: Gilson Galvão, da Bahia Scuba, de Salvador (BA); Santiago Asselborn, da Mar Azul, de Búzios, Luiz Antonio Fernandes, da Cabo Frio Sub, de Cabo Frio, Fernando Gouvêa, da Elite Dive Center, de Ilha Grande, e Daniel Fernandes, da Scuba Point, e Renato Guimarães, da Una Dive, ambas de Paraty (RJ); Carlos Trujillo, da Dive Tech, e Roberto Parola, da Narwhal, ambas de São Paulo, Pedro Paulo Orabona, da Omnimare, de Ubatuba, e Rodrigo Gherardi, da Colonial Diver, de Ilhabela (SP); Fernando Kaltenbach, da Seagate, de Recife (PE); e João Nascimento, da Dive Bonito, de Bonito (MS).

Durante a viagem eles serão coordenados pelo consultor técnico Patrick Muller, de Fernando de Noronha, pela diretora executiva da Braztoa, Mônica Samia, pelo representante da Embratur, Fabio Grossi de Andrade, e pela representante do SEBRAE, Daniela Bitencourt. O cinegrafista Pedro Caldas também compõe o grupo.

Durante o período da visita, a equipe será acompanhada pelo consultor técnico mexicano Jorge Marin Moreno, especialista em turismo de mergulho. O retorno será em 2 de julho.

Mais três viagens técnicas serão realizadas pelo projeto até novembro: Espanha (turismo cultural, bens inscritos na lista de Patrimônios da Humanidade pela Unesco e formatação de rotas e roteiros), Nova Zelândia (turismo de aventura) e Argentina (pesca esportiva).

Fonte: MVL Comunicação

  
  

Publicado por em