Programa de turismo nos parques nacionais será lançado por Carlos Minc

Os parques nacionais e as reservas extrativistas são administradas pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

  
  

O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, confirmou que fará no próximo dia 13 o lançamento do programa de ecoturismo nos parques nacionais. O objetivo é incentivar a visitação e aumentar a preservação dessas unidades. A informação foi dada na noite da terça-feira (2/9), em São Paulo, durante o evento comemorativo dos 40 anos da revista Veja.

O ministro anunciou ainda que até o final do mês fará a apresentação do pacote de apoio ao extrativismo, que trará medidas de incentivo à produção das populações tradicionais que moram em reservas extrativistas ou sobrevivem com a venda dos produtos da floresta.

Os parques nacionais e as reservas extrativistas são administradas pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

Minc disse que o Brasil deve receber, no próximo dia 16, a primeira doação internacional para o Fundo da Amazônia, criado com o objetivo de captar recursos para ações de preservação da floresta. Ele disse não saber o valor exato que virá do governo da Noruega, mas a expectativa é que o cheque ultrapasse a US$ 100 milhões.

Ele afirmou que a previsão do governo é arrecadar em um ano algo em torno de US$ 900 milhões. No próximo dia 16, com a chegada do primeiro-ministro da Noruega, Minc espera que o fundo da Amazônia comece a deslanchar.

Para o ministro, o governo tem sido mais eficiente no controle do desmatamento do que em geração de alternativas sustentáveis. "Você fecha uma serraria ilegal em uma hora, mas não cria 50 empregos em uma hora", disse. Ele considera que o grande desafio do meio ambiente nos 11 ministérios é "criar empregos sustentáveis nos extrativismos, nos manejos e na tecnologia limpa e estamos atrasados. Há riscos", afirmou Minc.

Embora classifique como "ótimo" o plano Amazônia Sustentável, ele advertiu que isso implica em "muita articulação, muito recurso, ciência e tecnologia". Mesmo com o Fundo da Amazônia, o preço mínimo para os produtos extrativistas e manejo florestal "ainda são insuficientes", acredita o ministro.

"O desmatamento foi reduzido, mas há risco de aumentar por falta de velocidade na criação de empregos sustentáveis".

Por isso, defende medidas integradas dos vários ministérios como cadeia de beneficiamento dos produtos da floresta e recuperação das áreas degradadas e intensificação da produção nessas áreas para impedir que "a pecuária ou o cereal invadam os biomas ameaçados como a Amazônia e o Pantanal". Parte dessas medidas estarão no pacote de apoio ao extrativismos e no programa de ecoturismo, que prevê o aumento da preservação dos parques.

Fonte: Instituto Chico Mendes

  
  

Publicado por em