Projeto Gadonça desenvolve atividades de pesquisa, manejo e turismo científico

Os principais resultados alcançados foram a implementação e manutenção de um projeto científico de longo prazo, envolvendo o estudo da dinâmica das onças da região e sua relações com o meio ambiente.

  
  

O Projeto Gadonça é um projeto ambiental de caráter científico, conservacionista e educacional que tem como objetivo principal o estudo da interação entre grandes predadores carnívoros silvestres e animais domésticos na região do Pantanal do Mato Grosso do Sul.

O Projeto é parte das inúmeras iniciativas do Instituto Pró-Carnívoros, uma Organização Não Governamental com sede em Atibaia, São Paulo, e conta com o apoio Institucional do Centro Nacional de Pesquisa para Conservação dos Predadores Naturais, CENAP, um dos centros do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Renováveis, IBAMA.

O Projeto desenvolve atividades de pesquisa, manejo, turismo científico e treinamento de estudantes e profissionais da área ambiental. Entre os objetivos do Projeto estão a determinação do tamanho das populações de grandes predadores silvestres, tais como as onças-pintadas (Panthera onca) e onças-pardas (Puma concolor) e das populações de espécies principais de presas utilizadas como alimento por estes predadores na região sul do Pantanal do Mato Grosso do Sul; a determinação do impacto da predação de onças sobre o gado doméstico; a determinação dos padrões de distribuição e deslocamento de onças na região; a análise de medidas preventivas à predação de onças sobre o gado e o estudo da influência do parentesco e dispersão na determinação dos territórios de onças.

O Projeto Gadonça teve início a partir da necessidade do desenvolvimento de um estudo detalhado a respeito dos possíveis fatores que aumentam o risco do gado bovino ser atacado e morto por onças no Pantanal, principalmente devido ao contato próximo do gado com onças na região.

Na busca de uma área apropriada para tal estudo, onde houvesse principalmente uma população estável de onças, gado bovino em grande número, casos de predação do gado por onças, e áreas de vegetação nativa, a fazenda San Francisco localizada no município de Miranda no Mato Grosso do Sul, foi escolhida como local para a implementação do Projeto.

Por se tratar de um estudo interativo entre o gado doméstico e as onças do Pantanal, o Projeto foi então criado e batizado com o nome de GADONÇA. Tendo como criador e responsável técnico pelo Projeto Gadonça o biólogo Fernando Azevedo, este iniciou o Projeto em janeiro do ano de 2003, após ter visitado a fazenda em novembro de 2002 para análise e determinação do potencial do local como área de estudo para a implementação do Projeto.

Desde fevereiro de 2003, diversas atividades de pesquisa, manejo, educação e interação com turistas, foram realizadas através do Projeto Gadonça. As principais atividades foram as capturas de onças na região, o monitoramento destas onças, o acompanhamento do manejo do gado na fazenda, o registro dos casos de predação do gado por onças, o registro do número de animais silvestres abatidos por onças, a determinação dos tamanhos das populações dos principais animais que serviram de alimento para as onças na fazenda, as visitas às propriedades vizinhas com problemas de predação de gado por onças, o recebimento de turistas, voluntários e estagiários nos trabalhos, a realização de palestras e seminários para turistas nacionais e estrangeiros, e a análise da dieta alimentar das onças na região da fazenda e entorno.

O Projeto, contou também, com o trabalho do biólogo Henrique Concone, que além do monitoramento, desenvolveu atividades de estudo da dieta das onças e recepção de turistas científicos e voluntários na propriedade, e atualmente conta com o trabalho do Biólogo Ricardo Luís da Costa, que além de estudar as populações de presas das onças, dá continuidade as atividades de pesquisa do projeto.

Os principais resultados alcançados pelo Projeto Gadonça foram principalmente a implementação e manutenção de um projeto científico de longo prazo, envolvendo o estudo da dinâmica das onças da região e sua relações com o meio ambiente.

A predação do gado doméstico por grandes carnívoros silvestres é uma das mais importantes fontes de conflito entre carnívoros selvagens e populações humanas. Analisando os padrões de predação do gado por onças-pintadas para analisar os fatores que contribuem para o risco de mortalidade de presas, o Projeto Gadonça colabora para conservação desses animais.

Para uma nova etapa do Projeto Gadonça, existe a necessidade da definição do tamanho da população de onças e como esta população tem se desenvolvido ao longo dos anos. A importância desta etapa de trabalho é grande, pois através dos conhecimentos coletados poderemos analisar como as onças estabelecem territórios ao longo de vários anos e como a reprodução e dispersão destas onças podem afetar as taxas de predação do gado na propriedade e no entorno.

O Projeto, almeja também, adicionar informações de ataques de gado por onça durante estes anos ao seu banco de dados já existente e desta forma melhor entender os padrões de predação para a região. Estas informações a serem coletadas serão úteis na melhoria do manejo do gado na região e na aplicação de possíveis medidas preventivas que reduzam ou mantenham baixos os níveis de predação na região.

Além disto, o Projeto tem como meta a ampliação das atividades para outras propriedades do entorno da fazenda San Francisco, fazendo desta forma com que outras propriedades possam também participar do melhoramento do manejo de seus rebanhos e diminuição das taxas de predação do gado devido a ataques de onças.

Fonte: Fazenda San Francisco

  
  

Publicado por em

Gabriela

Gabriela

21/10/2008 12:15:41
eu acho muito legal esse projeto
eu sou a gabriela e estudo no colegio salesiano dom bosco eu estou fazendo um trabalho sobre o projeto e o achei muito interessante