Quando a cor da água é um atrativo turístico

Há quem escolha o destino da próxima viagem tendo como base o tom da água

  
  

Não é apenas o volume de água dos rios brasileiros, os cenários de cachoeira ou o balanço das ondas que encantam o turista. A cor da água é, também, um grande atrativo. Há quem escolha o destino da próxima viagem tendo como base o tom da água.

É possível mergulhar em um poço de quase prateado, na Bahia; em um rio de cor verde esmeralda, em Sergipe; e até se refrescar em uma cachoeira de cor dourada, em Goiás.

A variação de cores se explica pela a composição e temperatura da água, a incidência de raios solares e materiais sólidos e orgânicos em suspensão, como algas, fragmentos de rochas e grãos de areia.

“Se não houvesse a mistura de componentes químicos dissolvidos na água do mar, ela seria transparente como a água potável”, afirma o professor do Instituto Oceanógrafo da Universidade São Paulo (USP), Belmiro Castro.

Saiba quais são e onde encontrar as principais tonalidades de águas:

Azul – A cor do Poço Encantando, localizado na Chapada Diamantina (BA), tem um efeito cristalino, resultado das águas formadas por lençóis freáticos. A tonalidade não é comum, já que a maior dos poços na região tem a cor âmbar. Em Bombinhas (SC), as praias também variam em tons de azul claríssimos até o quase cristalino.

Prateado - Na Gruta da Pratinha, também na Chapada Diamantina (BA), e no Rio da Prata, em Bonito (MS), as cores se alternam entre azul anil e um tom esverdeado, com águas claras e transparentes, que refletem brilhos prateados.

Verde Esmeralda - As microalgas e vegetações aquáticas, quando se misturaram com a água, podem resultar em uma cor esverdeada. É o que pode se observar em um passeio de barco, por exemplo, pelo Cânion do Xingó, no Rio São Francisco (SE).

A cachoeira de Santa Bárbara, em Cavalvante(GO), também impressiona com a mistura das tonalidades azul e verde. A melhor época para apreciar a cor, realçada pelos efeitos dos raios solares, é entre maio e setembro, entre 9 às 14 horas.

Dourado – As águas douradas da cachoeira do Garimpão, oriundas do Rio Preto, com nascente na cidade de Alto Paraíso, é um dos cartões portais do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiroshttp://www.Digite.Aqui.Seu.Link, em Goiás.

Na Ilha Vermelha, em Cabedelo (PB), piscinas naturais se formam com águas transparentes sob as areias douradas. Para quem deseja apreciar o pôr do sol sob raios dourados, a Praia do Jacaré, em Paraíba (JP), é uma das opções.

Tons escuros – Águas amarronzadas estão, predominantemente presentes no litoral do Rio Grande do Sul. Esse fenômeno ocorre devido à proximidade da costa marítima ou à quantidade significativa de material sólido em suspensão que, na maioria das vezes, são removidos com o movimento das ondas.

Já na região Amazônica, os tons escuros dos rios Negro e Solimões são resultado da composição química de cada rio, densidade e clima, que contribuem para deixar evidente a coloração preta e marrom das águas.

Terapêuticas - As águas, além das cores, também podem ter podem propriedades medicinais. Águas de Lindóia e São Pedro (SP), Caldas Novas (GO) e Araxá (MG) são destinos conhecidos pelos benefícios à saúde. Pelo baixo teor de sódio e a alta quantidade de cálcio, as águas terapêuticas podem amenizar a dor de reumatismos, hidratar a pele e não apresentam efeitos colaterais.

Visite: www.revistaecotour.com.br

Fonte: MTur/Deborah de Salles

  
  

Publicado por em